"DDS - Séries, livros, filmes e muito mais!!"

San Diego Comic Con 2016

Reviews

Livros

Notícias

Filmes

Colunas

Games

Animes, Mangás e HQ's

27 de jul de 2016

[LIVRO] RESENHA – GIGANTES ADORMECIDOS



Rose passeia de bicicleta pelo bosque perto da sua casa quando de repente é engolida por uma cratera no chão. A cena intriga os bombeiros que chegam ao local para resgatá-la: uma menina de onze anos caída na palma de uma gigantesca mão de ferro.

Dezessete anos depois, Rose é ph.D em Física e é a nova responsável por estudar o artefato que encontrou ainda criança. O objeto permanece um mistério, assim como os painéis que cercavam a câmara onde foi deixado. A datação por carbono desafia todas as convenções da ciência e da antropologia, e qualquer teoria razoável é rapidamente descartada.

Quando outras partes do enorme corpo começam a surgir em diversos lugares do mundo, a dra. Rose Franklin reúne uma equipe para recuperá-las e montar o que parecer ser um robô alienígena gigante quase tão antigo quanto a raça humana.

Mas, uma vez montado o quebra cabeça, ele se transformará em um instrumento para promover a paz ou para causar destruição em massa? 


Sci-fi, alienígenas, conspirações, e EUA no centro de tudo? O que mais amo.

Sabe a escrita desse livro? Ele é diferente, demais! E o por quê? Ela é contada através de entrevistas, e uma ou outra reportagem, onde um cara incógnito do Exército (acho) americano faz as entrevistas, compila em Arquivos numerados, para saber os detalhes, do que está acontecendo enquanto as peças são achadas e montadas. O único capítulo que posso dizer que foi “normal” é o prologo, em que a Rose caiu no buraco que a mão estava, em que é a narrativa dela é em primeira pessoa.

Depois dessa pequena visão que temos de uma das principais da historia, o livro começa com as entrevistas, inclusive, a que abre é a da Rose, contando como foi, já adulta, ser responsável por descobri a historia da mão, e achar o resto do corpo do robô. E a partir disso são introduzidos os outros personagens da historia, a piloto responsável por achar as peças, e seguir as recomendações da Rose, o copiloto dela, e o linguista, que foi chamado para decifrar a linguagem que foi achada junto com alguma das peças ao longo do livro. As “visões” dos três são também apresentadas pelas entrevistas, com esse incógnito na historia.

Então, sobre o modo de escrita desse livro: estranhamente bizarro e legal. Por que assim, você não tem exatamente a visão dos personagens, tem-se uma visão meio cortada, já que ao mesmo tempo você sabe o que eles tão passado e também não sabe, já que as perguntas do senhor que está no comando dessa operação as faz de forma capciosa, e eles demostram quem são, e quase todas as emoções, o que eles acham uns dos outros, e ainda assim é limitado, fazendo com que foquem mais no desvendar do próprio mistério, e as relações interpessoais fiquem mais em segundo plano. Eu, particularmente, achei fantástico. Além do que, esse cara que fez todas as entrevistas: é um mistério sem fim sobre quem é esse cara, não fala de qual órgão de fato ele é, só que esse doido tem as mais loucas conexões, sempre conseguindo aquilo que ele quer, incluindo as coisas mais bizarras possíveis.

Agora, falando no mistério do robô: tudo que envolve a historia de como as partes desse robô vieram para na Terra, em que época (o mais interessante é que o robô, que é do sexo feminino e tem 6000 anos) é mais antigo que a humanidade, no sentido racional, já que por mais que existisse humanos, a época em que os aliens deixaram o robô na Terra, a humanidade estava começando a dar seus primeiros passos de bebê.

E a partir disso, surge uma das melhores teorias sobre o por que de que os alienígenas nunca tentaram contato com a Terra: como já falaram que se alguém a alguns anos luz da Terra virasse e olhasse para o nosso planeta, veria a Terra correspondente a distancia do outro ser, como por exemplo, se o e.t olhasse para cá a 4000 anos luz, ele veria a Terra a 4000 anos luz no passado. Então, por que não deixar algo para o futuro, para que assim se soubesse quando a humanidade estaria pronta para ter contato, e entendesse a linguagem dos visitantes?

A pergunta que reside, assim que terminar a montagem, do que se descobriu ser uma mulher com trajes de guerra, é que: para que esse robô de fato vai servir? Já que, a piloto da historia conseguiu se ligar a robô, e tem acesso de alguma forma a tecnologia, só não sabendo interpreta-la totalmente ainda. E através dessa descoberta, invariavelmente começa a se descobrir mais, mesmo que as perguntas que surgem sejam bem mais e complexas. Será se os e.t vão querer dominar a terra com esse robô? Ou sei lá, vai servir para guerra? Ou paz? Enfim, muitas perguntas!

Assim, eu já amo um bom sci-fi e uma boa conspiração, seja ela militar, governamental e etc. Esse livro juntou isso tudo de uma maneira única no linguajar e da escrita. O autor soube colocar bem todos os elementos, soube conduzir bem a historia, e escrever ao ponto de não deixar nada confuso sobre como as entrevistas eram levadas. E mesmo no quesito da Dra., que tinha uma linguagem mais rebuscada, o autor colocou de uma forma que a própria parecesse se comunicar com o público, através do cara das entrevistas sobre tudo, os mistérios do robô, das coisas mais complicadas, da linguagem que estava sendo traduzida, tudo. Achei bem legal. 






Título: Gigantes Adormecidos                                               Autor: Sylvain Neuvel
Editora: Suma de Letras
Páginas: 307
Ano: 2016
Onde Comprar: Amazon








Leia Mais
Blogger Tricks

[LIVROS] RESENHA - OS TIJOLOS NAS PAREDES DAS CASAS

Becky, Harry e Leon estão deixando Londres, num carro de segunda mão, e com uma mala cheia de dinheiro. O que levamos de nós mesmos, quando decidimos seguir numa viagem? O que de fato conseguimos deixar para trás? Voltando no tempo, Os tijolos nas paredes das casas explora as emoções humanas, a vida contemporânea nas cidades, nos apresenta irresistíveis histórias, por vezes obscuras, e deixa claro que nem sempre boas intenções levam às decisões certas. Kate Tempest nos faz refletir e sobre como nos tornamos nós mesmos, através de momentos contraditórios de beleza, desejo, decepção, fracasso e muita ambição. Os tijolos nas paredes das casas trata da possibilidade real de não se chegar a lugar algum, de questões existenciais, e, sobretudo, da experiência e necessidade de se viver juntos e de se amar uns aos outros de alguma maneira.
Os tijolos nas paredes das casas conta a história de Becky, uma garçonete e dançarina-massagista, Pete, um sonhador desengonçado, e a irmã de Pete, Harry, uma traficante de drogas.

Logo no início do livro, vemos Becky e Harry em um carro em alta velocidade, sendo conduzido por Leon, ajudante de Harry, na fuga de um assalto. Algumas páginas a frente, no entanto, somos levados ao passado para mostrar a história do trio, em uma Londres cujo brilho das drogas cobre suas ruas. O retrato dessa Londres é muito bem descrito por Kate Tempest, que usa metáforas muito bem encaixadas no contexto, para explicar tanto a vida, quanto a situação em que os personagens se encontram, dando a quem ler, uma visão fresca e viva de um mundo familiar.

Nessa Londres ninguém é insignificante; todo mundo tem uma história. A devoção e o cuidado com que Tempest relata estes contos pode parecer intrigante, mas o efeito cumulativo é profundamente comovente. A cidade, para melhor ou para pior, faz com que essas pessoas sejam como elas são, e eles por sua vez, fazem de Londres uma cidade fria, cinzenta e profundamente solitária.

Preciso admitir, que o livro não foi um dos meus favoritos, tanto pelo enredo, quanto pelos personagens. Mas como mencionei antes, a maneira de Kate Tempest escrever é envolvente e precisa. Faz com que a leitura seja um momento único e que fique registrado em nossas mentes como a vida as vezes pode ser solitária e ao mesmo tempo envolvente. 


Título: Os tijolos nas paredes das casas
Autor: Kate Tempest 
Editora: LeYa
Páginas: 336
Ano: 2016
Onde Comprar: Amazon












Leia Mais

24 de jul de 2016

[SAN DIEGO COMIC CON 2016] RESUMÃO - SÁBADO


Salve Povo da Terra! 

Estava escondido além de Valíria e não viu o que rolou na San Diego Comic Con nesse sábado? Seus problemas acabaram, vem que tem resumão! Já aviso que tem muito trailer!

Mulher Maravilha

A Princesa das Amazonas aparece sensacional nesse seu primeiro trailer! Falta muito para 2 de Junho de 2017?


Liga da Justiça

O hype meu povo, ele é real! Enquanto ainda estavámos absorvendo o trailer de Diana Prince, fomos bombardeados com uma imagem oficial e com o primeiro trailer da Liga da Justiça! 


O trailer você pode ver aqui, legendado hein?!

The Vampire Diaries


Para os fãs de TVD uma notícia importante: a série irá se encerrar com 16 episódios na 8ª temporada!

Trailers e mais trailers

Agora, por motivos de: TEM MUITO TRAILER, vamos com um combo, sem muito falatório!

Tem Kong: Skull Island


Tem Animais Fantásticos e Onde Habitam


Tem Star Trek Discovery


Tem Legion


Tem a 2ª Temporada de Lúcifer


Tem a 3ª Temporada de The Flash


Tem a 3ª Temporada de Gotham


Tem a 2ª Temporada de Legends of Tomorrow


Ufa. Acabou? Não! Tem...

Marvel


A Marvel começou seus anúncios com o trailer de Doutor Estranho!

Em seguida vários anúncios:

- Kurt Russell será o pai de Peter Quill em Guardiões da Galáxia 2. O personagem? Ego, o Planeta Vivo. Sim!


- Brie Larson será a Capitã Marvel!



- Em imagens de Thor: Ragnarok, vemos o Hulk enfrentando Surtur! Além disso foi mostrada na SDCC a armadura do Golias Esmeralda!



- Além disso foram mostradas as primeiras imagens de Homem Aranha: Homecoming! Nelas vemos um filme bem colegial, além de termos o primeiro vislumbre do Abutre!


Agora sim, acabou por hoje pessoal!
Leia Mais

23 de jul de 2016

[SAN DIEGO COMIC CON 2016] PRIMEIRO TRAILER DA LIGA DA JUSTIÇA


PARE, APENAS PARE O QUE ESTÁ FAZENDO E VENHA VER O TRAILER DA LIGA DA JUSTIÇA!

O trailer apresenta os personagens da Liga e um pouco da trama do filme! O filme será lançado 17 de novembro de 2017!

Leia Mais

[SAN DIEGO COMIC CON 2016] RESUMÃO - SEXTA FEIRA


Bem meus amigos, chegamos ao segundo dia da San Diego Comic Con e o negócio começou a ficar sério! E a tendencia é melhorar! 

Então se você passou o dia de ontem em uma catacumba de Mordor, vamos ao resumão do que rolou pra você ficar em dia com as novidades do mundo nerd!

Mulher Maravilha



Esse é tão bonito que merece ser postado de novo! Que pôster maravilhoso (com o perdão do trocadilho). E hoje (se você está lendo isso sábado), deve sair um trailer. Esperemos!

The Man in the High Castle


Se você ainda não viu essa maravilha, assista! Baseada no livro de mesmo nome do grande Philip K. Dick, a série conta sobre um mundo em que a Alemanha nazista e o Japão venceram a Segunda Guerra e dividem o controle dos EUA. Sério, o que você tá fazendo que não viu ainda?

E já tem trailer da segunda temporada:


Animais Fantásticos e Onde Habitam

Tá pouco de pôster? Então pega esse do derivado de Harry Potter feito só pra SDCC;


The Walking Dead

O que dizer dessa série? Quem acompanha o DDS sabe que eu sou o responsavel pela díficil tarefa de fazer as reviews de The Walking Dead. Sempre beirando a desistência e a euforia. Daí, depois da raiva que passei com o fim da sexta temporada...ELES SOLTAM ESSE TRAILER LINDO! Sério, tem muito Negan, tem Shiva, tem Ezekiel. Vem rápido!


Agents of S.H.I.E.LD.

Então, todo mundo sabe que AoS começou muito ruim e foi melhorando. A maioria não teve paciência de esperar. Mas tá valendo muito a pena! Esse era um boato que vinha ganhando força e foi confirmado! O Ghost Rider estará na próxima temporada! 

Esqueça aqueles filmes do Nicolas Cage, agora será o Motorista Fantasma (rider em inglês pode ser motoqueiro, motorista, cavaleiro, etc.). O ator escolhido para ser o Espirito da Vingança é Gabriel Luna e ele será Robbie Reyes na série. Vem que tem teaser já!


American Gods

Fechamos o dia com o primeiro trailer dessa beleza de Neil Gaiman. Se ontem ficamos só no pôster, hoje fica melhor! Da uma olhada nesse elenco!


Por hoje é só pessoal! Mas no sábado temos painéis da DC Comics e da Marvel, então senta que vem bomba!
Leia Mais

22 de jul de 2016

[LIVROS] RESENHA - EU RECEBERIA AS PIORES NOTÍCIAS DOS SEUS LINDOS LÁBIOS





Pungente: a2g. 1. Que punge, fere com ponta aguçada e no fundo. 2. Que dói muito, que atormenta; 3. Que toca a fundo o ânimo, as paixões; 

Se você está tentando entender essa palavra, tem duas opções: pode usar essa definição do Dicionário Aulete ou simplesmente pegar para Eu Poderia Receber as Piores Noticias dos Seus Lindos Lábios, a diferença é que com esse livro, o efeito e significado dessa palavra marcariam para sempre. Assim que li as duas primeiras páginas e bateu aquela paixão, eu fiz uma promessa: "Vou ler aos poucos, saboreando cada palavra, cada personagem." E após isso descobri duas coisas:
-Eu faço promessas impossíveis de cumprir.
-Posso amar e querer um livro com a mesma urgência que Cauby ama Lavinia.

E consequentemente, no final do livro, fiquei me culpando por ter sido rápida demais, mas o que eu esperava de um história sobre desejos incontroláveis, fome de algum sentido na existência e dor?
Se eu não sabia como uma pessoa podia ser quebrada e cheia ao mesmo tempo passei a saber, tal como conheci pessoas com grandes desilusões disfarçadas de saudades, efeitos que só aquele tipo de vida dura pode causar. Aquino não me deu um mistério só pelo mistério, não, ele não deixaria as coisas tão fáceis, ele me fez entrar em cada alma e me mostrou suas mazelas.
     
E ele também deu um presente a Literatura, ele deu Lavínia, sensível e doente que num lugar mais justo não teria sofrido tanto(ou não, afinal que lugar é realmente justo?), fácil de se identificar, pelo menos com alguma faceta dela, porque seria muito fácil ser uma só, ele deu várias. A depressão e as dificuldades de se amar a envolvem de um jeito que impede de distinguir a realidade e os sentimentos.

Essa dualidade na personalidade dela veio também nos amores. Temos Cauby, como o cantor, mas um fotógrafo com uma existência vaga, mas bom a sua maneira e também temos o Pastor Ernani, a abnegação em pessoa, que comete um dos piores pecados contra sua própria fé, o politeísmo, ele adora a Deus, mas mais Lavínia.

Com esse trio vem uma série de conclusões: não é possível se curar com o amor dos outros, é preciso se amar antes(como diria Mama Ru), é preciso saber o momento de dizer adeus e voltar atrás.

Eu queria escrever uma resenha objetiva, na qual contaria o enredo e puxaria alguns ganchos para manter o leitor interessado. Mas para quem estou mentindo? Estou escrevendo é uma carta de amor, despedida, reencontro e encanto para esse livro. Queria abraçar cada personagem, principalmente de uma certa pensão, da onde o homônimo do cantor conta a sua história, de onde o careca fala sobre amores únicos, de onde o menino observa e de onde Dona Jane, olha as estrelas esperando por alguém.

Mas com a incapacidade de tirar todas essas emoções fisicamente, eu escrevo essa resenha, para que ao menos alguém leia e resolva viver também esse caso de paixão que está em algumas dessas páginas.


AUTOR(A): Marçal Aquino
PÁGINAS: 232
EDITORA: Companhia das Letras
LANÇAMENTO: 2005
ONDE COMPRAR: Submarino







P.S.1: Para a minha surpresa, pesquisando sobre o livro, descobri que Marçal de Aquino é o escritor 
de vários livros da sempre amada Série Vagalume, iniciando muitos no mundo da leitura. Para conhecer mais sobre o autor aqui
P.S.2: Não resisti e peguei uma música do Cauby



P.S.3: Trailer do filme baseado no livro.
Leia Mais

[SAN DIEGO COMIC CON 2016] RESUMÃO - QUINTA FEIRA


E o primeiro dia da San Diego Comic Con acabou! A quinta-feira é o dia mais calmo, por isso são poucas novidades, mas que são impactantes para seus fãs! Vamos ao ResumãoDDS!

The Exorcist

Foi liberado um novo pôster (que você vê na imagem título desse resumo) e um novo trailer da série, que estréia em 23 de Setembro na Fox dos EUA. Veja o trailer a seguir:


American Gods

A série de Deuses Americanos, baseada no livro de Neil Gaiman teve seu primeiro pôster divulgado!


Gotham

Foi mesmo um dia da Fox. Gotham teve suas primeiras imagens reveladas. Nada muito surpreendente. Ainda esperamos algo que mostre como a Corte das Corujas será utilizada nessa temporada. Veja os vídeos a seguir:



Netflix

E a Fox ganhou o dia certo? ERRADO! A netflix fez seu painel de Luke Cage, divulgando trailers e mais trailers! Além disso Joe Berthal, o Justiceiro, apareceu no painel do herói do Harlem e anunciou sua série e o logo da mesma!

Está perdido e não viu nenhum trailer? Vem aqui ó: Trailers Netflix

E eles ainda soltaram um vídeo exaltando a sua parceria com a Marvel, tá lindo:


Bem, por hoje é só! Mas fique ligado na página do DDS para novidades e amanhã aqui no site para o resumão da sexta-feira!


Leia Mais

21 de jul de 2016

[SAN DIEGO COMIC CON 2016] NETFLIX LIBERA TRAILER DE LUKE CAGE E TEASERS DE PUNHO DE FERRO, DEFENSORES E DEMOLIDOR!


Sabe quando parece que não pode ficar melhor? De uma vez só a Netflix lançou o trailer de Luke Cage, o teaser de Punho de Ferro e mais um teaser de Defensores!

Se você não esteve escondido no fundo de um lago recentemente, sabe que são as próximas séries da maravilhosa parceria Marvel e Netflix!

Ah, tem mais! Terceira temporada de Demolidor confirmada oficialmente!

Vejam os vídeos a seguir:

Luke Cage




Defensores



Demolidor


Punho de Ferro
Leia Mais

20 de jul de 2016

[C.NERD] VAMOS FALAR DE HEROÍNAS? (PARTE 1)






Apesar delas existirem e estarem crescendo nas telonas e ganhando HQs solos, pouco se lembra do poder feminino das heroínas, sejam em enquetes, sejam em debates, parece que o mundo se resume a: 

Marvel: Homem de Ferro, Homem Aranha, Capitão América. 
DC se resume a : Batman, Superman, Batman novamente, e agora um pouco de Flash devido ao sucesso da série. 

Mas e as heroínas? E os outros Heróis ótimos também que são deixados de lado? 
Como pode ainda com o mundo dos quadrinhos crescendo tanto nas telonas se limitarem tanto oferecendo o mesmo do mesmo? 
Tanto homens, como mulheres gostam de heróis e heroínas, mas existe uma diferença em gostar do potencial delas como combate ao crime e importância para as equipes, do que apenas servir como modelo sexual para alimentar fantasias. 

Um exemplo recente que vira e mexe falavam: Gal Gadot. A personagem que ela interpretou foi INCRÍVEL, ela foi a RAINHA do filme Batman v Superman mesmo aparecendo pouco. Mas não era com a interpretação e preparo que a Gal tinha que preocupava antes do filme sair. Era "e os peitão? tem que ser gostosa, está com muita roupa" OI?
E nessa todo o esforço da atriz para se manter fiel aos princípios da personagem, a garra da Diana, a boa atuação que ela teve, se torna irrelevante para alguns. 
Já com o Ben Affleck ele está com o corpo padrão, mas reclamavam do que? da atuação do cara, não importa se ele está perfeito visualmente como Bruce Wayne e no ponto do Frank Miller, a atuação tem que surpreender, vocês notam a diferença? 
Mulher: Corpo
Homem: Mente.

Mas Tati, qual o fundamento deste post? Você está sendo "femizanizzzz" etc.

Pois bem, vamos lá, a finalidade é: Eu amo sim muitos heróis, mas também heroínas, e elas são tão importantes quanto os heróis, elas não são a donzela em perigo, elas trabalham salvando o mundo de igual para igual. 

Eu amo o Batman e todo seu universo, mas ninguém menciona que ele já levou uma surra épica da Diana que até virou capa de uma Hq. (Isso foi lindo).


HQ: Wonder Woman: Hiketeia

Mas isso está mudando, bem lentamente mas está, porém ainda é preciso falar disso, e não só para mulheres, mas para homens conhecerem que nem só de corpo "padrão sociedade de beleza" vive uma heroína. 

Então vamos conhecer algumas delas? Eu queria falar de todas se possível, até das que sei da importância mas ainda não me aprofundei, mas vamos a algumas que já conheço e quem tiver sugestões sobre mais alguma, podem pedir que eu escrevo e leio algo delas, adoro indicações. 


Jessica Jones/ Safira

Essa foi minha descoberta mais recente devido a sua série solo que saiu pela Netflix, resolvi ler Alias, e foi uma ótima surpresa, personagem forte, com traumas tão humanos e dilemas existenciais. Quem nunca entrou numa momento bad vibes na vida? E ainda assim, ela não desiste de um bem maior, até escrevi recentemente sobre ela para quem quiser ler: DDS INDICA: JESSICA JONES - ALIAS
Porém a personagem é muito mais que uma heroína, ela representa o feminismo, cultura do estupro, abuso, estresse pós traumático, insônia, fobia social. Ela foi usada, abusada, perdeu os pais muito cedo, guarda o mundo nas costas, o dela e dos outros. Tudo sozinha, e a forma que isso é mostrado tanto nos quadrinhos, como na série foi genial. Os danos que uma relação abusiva pode te causar, a invasão, você não se reconhecer mais, você ser usada sem sua vontade. Jéssica nos mostra como lida com isso mesmo sendo uma heroína com poderes incríveis, mas da forma mais humana possível. Não importa o quão forte você é por fora, se algo está quebrado por dentro, sua vida nunca mais será a mesma, mas ela tem amigos, tem apoio, mesmo sendo ranzinza e tentando afastar as pessoas, ela tem os seus fiéis, é a personagem que mais me identifiquei na vida, até fiz cosplay dela na CCXP, não quero explorar muito ela porque gostaria muito que vocês parassem para conhecer Jessica Jones, agora seu nome será lembrado. 

Jessica ganhou seus poderes sobre-humanos após o veículo de sua família colidir com um caminhão com carga radioativa. Seus pais e irmão faleceram e ela ficou em estado de coma. Durante o período que estava em coma ocorreu o primeiro encontro entre Galactus e o Quarteto Fantástico, que causou uma grande dispersão de radiação cósmica. Durante a adolescência, ela descobriu que possuía as seguintes habilidades: voo, super-força, resistência telepática e uma resistência física maior que qualquer humano normal.

Sua breve carreira como heroína nos quadrinhos: Como Safira, ela conseguiu salvar diversas pessoas e enfrentou alguns vilões, como o Escorpião, até se envolver em uma confusão em um restaurante onde estava o antigo vilão do Demolidor, Zebediah Killgrave, o Homem-Púrpura. O vilão usou seus poderes de controle mental para colocar Jones sob seu comando, psicologicamente torturá-la e forçá-la a ajudar em seus esquemas criminosos. Depois de oito meses, Jones começou a perder a distinção entre o que era verdade e o que era criado pelos poderes de Killgrave.

Em um ataque de fúria, o Homem-Púrpura envia Jessica para matar seu rival, Demolidor. Ao voar atordoada por Nova Iorque, Jessica acaba encontrando a Mansão dos Vingadores - que chegavam de uma missão - e ataca a Feiticeira Escarlate. Os Vingadores, para defender sua aliada, batem exageradamente na confusa Safira, que acaba sendo salva pela Miss Marvel (Carol Danvers), por ser a única que conhecia Jessica. O que não impede a garota de entrar em um novo coma devido aos ferimentos.

Ela fica por meses em estado de latência na sede da S.H.I.E.L.D. recebendo tratamento psíquico com a telepata Jean Grey, que além de ajudar no combate ao estado vegetativo, também criou barreiras para ajudar a psique de Jones em um possível novo encontro com Zebediah.
A natureza profundamente violenta do encontro com o Homem-Púrpura fez com que ela desistisse de sua vida como vigilante. 
Jones deixou de ser uma heroína e abriu uma agência de detetives particulares. No entanto, a maior parte dos seus casos eram relacionados à vida dos mascarados. Nessa época, Carol Danvers apresentou Scott Lang (o segundo Homem-formiga) para Jessica e os dois acabam namorando por alguns meses. Posteriormente ela teve alguns encontros com Luke Cage.

Killgrave, obcecado por Jones, escapou da prisão de alta segurança chamada Balsa, graças a invasão fomentada pelos Skrulls junto com o vilão Electro. Ele tentou quebrar sua confiança, fazendo-a passar por seu pior pesadelo: descobrir que Lang e Cage estavam em um encontro com sua amiga, Danvers. Desta vez, as defesas mentais que Jean construiu permitiram que Jones se libertasse de seu controle. Ela conseguiu vencê-lo e o vilão foi recapturado. Na série Danvers foi substituída por Patsy, devido a personagem entrar para o MCU, e Lang já está no mundo cinematográfico então também não aparece, mas temos Luke Cage e torço para que siga o caminho dos quadrinhos atuais, leiam e assistam Jessica Jones, ela é incrível e vale muito aprofundar essa personagem.

Barbara Gordon/Batgirl 

A filha do comissário de polícia Jim Gordon, Barbara Gordon foi criada em Gotham City, sabendo em primeira mão dos perigos inerentes a viver lá. Uma clássica empreendedora e determinada aluna, ela luta contra o crime por conta própria como Batgirl em uma tentativa de ajudar Batman e seu pai em sua missão de proteger os cidadãos de Gotham. Tragicamente a vida de Bárbara foi alterada para sempre quando o Coringa atirou em sua identidade civil ao atacar seu pai. Ela ficou paralisada da cintura para baixo, e parecia que seu tempo como Batgirl foi encerrado permanentemente. Mas Barbara não desistiu! Trabalhando com os limites absolutos de suas habilidades físicas e mentais, com o tempo ela recuperou a capacidade de andar. Levou as coisas um passo adiante, ela fez a escolha ousada para reciclar-se e voltar a patrulhar Gotham City como Batgirl. Mesmo tendo todos os motivos físicos e mentais para desistir ela foi forte e deu a volta por cima! Batgirl também foi conhecida para assumir missões com sua amiga Canário Negro e a equipe Aves de Rapina. Muito amor pela Babs.


CAROL DANVERS/MISS MARVEL/CAPITÃ MARVEL 


Carol Danvers, então piloto da Força Aérea dos Estados Unidos, adquiriu seus poderes ao ser salva da explosão de um maquinário kree (o psicomagnetron) pelo primeiro Capitão Marvel (Mar-Vell). Porém, a radiação da explosão atingiu seu corpo em nível celular: ela se tornou uma híbrida genética kree/humana (o DNA do Mar-Vell impregnou o DNA humano dela). Adquiriu superforça, poder de vôo e um “sétimo sentido”. Assim, ela iniciou uma carreira de heroína como Miss Marvel, entrou para o grupo Os Vingadores, teve um caso com o filho de Imortus (Marcus) e depois retornou, quando teve os poderes absorvidos por Vampira. Nesta fase a heroína perdeu seus poderes e memória numa batalha contra Vampira (quando esta ainda era vilã), que os absorveu, Aparentemente, a natureza insólita de sua concepção genética travou os poderes, embora sua estrutura genética continuasse alterada. Com a ajuda do Professor Xavier ela se reergueu, mas se tornou quase uma estrela humana mudou por um tempo seu nome para Binária, quando seus poderes finalmente voltaram aos níveis anteriores, e ela resolveu adotar o codinome Warbird. A insegurança por não possuir mais suas antigas habilidades a levaram ao alcoolismo e, novamente, deixou a equipe. Mas como a mulher forte que ela é, deu a volta por cima. Atualmente membro dos Vingadores, mostrando ser uma importante aliada. Na atual saga Vingadores vs. X-men resolve mudar seu nome e se tornar a nova Capitã Marvel.

WANDA MAXIMOFF/ FEITICEIRA ESCARLATE



Essa é difícil eu falar e evitar textão, porque é minha favorita do universo Marvel. A mais poderosa, incrível, destruidora, com uma força imensa por dentro e por fora, mas vamos conhecer quem é Wanda Maximoff. 
Criado pelos incríveis Stan Lee e Jack Kirby. Ela é uma mutante nível ômega, cujos poderes são magia e distorção da realidade. Pertenceu ao grupo Irmandade de Mutantes, liderado por Magneto, pois tinha uma dívida com o mesmo e queria poder retribuir de alguma forma, já que este era pai dela e do seu irmão gêmeo Pietro. Depois que abandonou o grupo por não querer fazer parte de tal equipe, e discordar dos ideais do pai, entrou para os Vingadores onde permaneceu como membro até os dias atuais. Seu início começou em X-Men volume 4 (1964). 
Essa foi sua primeira origem, mas com toda essa bagunça de direitos autorais, de mutantes na Marvel serem Inumanos ou alterados geneticamente devido os Mutantes serem da FOX, tivemos a decepcionante mudança em sua origem. Que foi revelado no volume 4 de Uncanny Avengers, que eles não são filhos do Magneto, e sim de dois humanos Marya e Django Maximoff, tendo seus poderes através de testes genéticos se alinhando as origens do Universo Cinematográfico Marvel.

Feiticeira Escarlate na minha eterna versão favorita, é uma Mutante Bruxa, possuindo tanto o Gene X, como talento para Magia. Inicialmente seus poderes eram a manipulação de probabilidades, podendo criar eventos surreais, que não tinham muitas chances de acontecer sozinhos. Ela é capaz de desviar objetos e ataques, criar combustão instantânea ou enferrujar metais, e dominar habilidades de outros personagens.

Seus poderes evoluíram para níveis absurdos, quando Wanda se demostrou capaz para controlar a Energia do Caos (uma das formas mais poderosas de energia) e através da sua magia, que ela usava para controlar tal poder, se tornou a Magia do Caos: Uma fonte de poder que ela usou para alterar toda realidade, como fez na Dinastia M. (Melhor quadrinho com ela por sinal)

Ela é tão poderosa que é capaz de ressuscitar os mortos, como fez com seu irmão Pietro e Magnum, que acabou sendo seu novo par romântico após o Visão. Wanda pode apagar seres da existência ou criar seres a partir do nada, um caso por exemplo, seus filhos.

Ela também possui ensinamentos da Magia do nível Ômega avançado ensinados por Dr. Estanho e sua tutora: Agatha Harkness, sendo capaz de voar, teleportar, gerar campos de força, canalizar sua energia e provocar explosões, controlar a mente das pessoas, tendo também a habilidade de Clarividência. Resumindo, um leque imenso de habilidades sendo uma das mais fortes do Universo Marvel. Recentemente passou a ter a capacidade de manipular mentes e também telecinese molecular, persuasão, como podemos ver quando ela usa seu poder contra os robôs de Ultron, habilidades demostradas em filmes e quadrinhos de Os Vingadores: A Era de Ultron, onde Wanda consegue moldar a Magia do Caos de acordo com os conformes necessários para ataque e proteção.

Em sua entrada aos Vingadores ela foi treinada por Gavião Arqueiro e Capitão América em combate corpo a corpo, tendo aprendido também estratégias de combate, além de ser o Nexo do Universo original da Marvel, no qual todo o mesmo está ligado a ela. Merece ou não merece um filme solo hein?


                                                        MULHER MARAVILHA 

Da DC sem dúvidas é minha favorita, Diana representa toda a força que nos mulheres temos, não só se trata sobre super poderes, ela é empoderada, independente, forte, corajosa, odeia injustiças e dona da verdade. Não desiste nem se rende, tem sororidade,chama suas companheiras amazonas de irmãs, nessa nova versão dela em os "Novos 52" tem passagens feministas incríveis, não só vindo dela, mas da própria mãe a Rainha Hipólita e da deusa Hera. 
Na geração clássica ela foi criada nos anos 40, onde somente predominavam os heróis como Batman, Superman e Lanterna Verde por exemplo. 
Portanto Atribui-se à esposa de Marston, Elizabeth Holloway Marston, a ideia de se criar uma super-heroína: "William Moulton Marston, um psicólogo já famoso por inventar o polígrafo (precursor mecânico do laço mágico), teve a ideia para um tipo novo de super-herói, um que triunfaria não com punhos ou poderes, mas com amor. "Bom", disse Elizabeth. "Mas faça-o uma mulher." (Fonte Wikipédia)

A Ilha Paraíso era habitada pelas antigas amazonas da mitologia, e não havia homens na ilha. Por anos sua história era que a Mulher-Maravilha veio ao mundo na Ilha Paraíso como uma estátua de menina criada por Hipólita (rainha das amazonas). Tão apaixonada por sua escultura, a rainha pediu aos deuses que dessem vida a figura, e foi atendida (semelhante ao mito grego de Pigmaleão). Mas nas  publicações recentes foi revelado que na verdade ela é filha biológica de Hipólita com Zeus, nos Novos 52.

Recebeu o nome de Diana. Junto com a vida, ela foi apresentada pela maioria dos Deuses do Olímpo ganhando alguns de seus poderes. Atena lhe deu a sabedoria; Hermes velocidade, Deméter ganhou a força e poder. De Afrodite, enorme beleza e coração amoroso, dos gêmeos Ártemis e Apolo, ganhou os olhos de caçadora, a compreensão das feras e a capacidade de cura acelerada, Héstia, concebeu a afinidade com o fogo para que os corações se abrissem para ela através do seu laço da verdade feito por Hefesto. Que também lhe deu a imunidade ao fogo, seus braceletes e seu laço mágico; do seu tio Poseidon, ganhou a destreza no nado e de seu pai Zeus, ela recebeu a herança de semi-deusa e a capacidade de voo.

A Mulher-Maravilha adotou a identidade secreta de Diana Prince, uma enfermeira da Força Aérea americana. Era apaixonada por Steve Trevor, que era piloto da Força Aérea americana, e um dos motivos de Diana conseguir sair da ilha paraíso para salvar o mundo e ter sua independência. 

Por fim segundo o repórter Jill Lepore em artigo para a revista New Yorker Magazine. "Mulher Maravilha foi concebida pelo Dr. Marston para criar um padrão entre as crianças e jovens de uma feminilidade forte, livre e corajosa; para combater a ideia de que as mulheres são inferiores aos homens, e para inspirar as meninas a terem auto-confiança e a se realizarem no esporte e nas ocupações e profissões monopolizadas por homens’, porque ‘a única esperança para a civilização é a maior liberdade, desenvolvimento e igualdade das mulheres em todos campos da atividade humana'  O próprio William Marston escreveu, ao justificar sua criação que "a Mulher-Maravilha é a propaganda psicológica para o novo tipo de mulher que, creio eu, deve governar o mundo".

E você está certíssimo Will, minha vida e de muitas garotas mudaram após conhecer Diana Prince, Mulher - Maravilha, que podemos ser fortes, salvar o mundo ou sermos nossas próprias heroínas, ela foi o pontapé inicial para existir tantas heroínas maravilhosas hoje em dia, por isso todo meu amor!


Fico feliz em ver o quanto as heroínas e anti-heroínas estão tomando seu espaço, tendo seu destaque, ainda é muito pouco, mas já é um passo. Os quadrinhos solos novos que estão saindo como Mulher Maravilha, Ms. Marvel, Capitã Marvel, Viúva Negra, e agora até uma mulher na tropa dos Lanternas Verdes, isso me deixa bem feliz. Precisamos de representatividade, que não é um gênero que nos definem, que somos fortes sendo heroínas em quadrinhos, ou salvando vidas como médicas, enfermeiras, bombeiras, policiais, soldados, política. Seja sua própria heroína, as vezes só em fazer alguém que está destruído por dentro sorrir, já é um poder para o bem certo? 
E isso meus amigos não é uma exclusividade do gênero masculino, existem mulheres que não precisam ser salvas e que podem salvar. E fico feliz em homens que acreditam na igualdade de gênero e gostam das heroínas não só pela forma objetificada como ocorreu por anos, muitas estão até adaptando uniformes, outras continuam porque se sentem bem com "meu corpo, minhas regras". 
Farei uma continuação dessa postagem, porque descobri novas heroínas incríveis, e que tornaria o artigo uma bíblia, mas espero que gostem e despertem a curiosidade de conhecer essas mulheres incríveis! Logo virá a parte 2, já adianto que terá sobre Viúva Negra, Arlequina, Magia, Zatanna, e muito mais, enjoy!
Leia Mais

19 de jul de 2016

[LIVROS] RESENHA- A VIDA DOS ELFOS




Maria e Clara são jovens órfãs ligadas por dons secretos. A chegada de Maria traz prosperidade à granja francesa onde é criada, enquanto Clara, crescida em uma aldeia do sul da Itália, é enviada a Roma para desenvolver sua veia musical prodigiosa.

Cada uma à sua maneira, as duas garotas se comunicam com um mundo misterioso, que garante profundidade e beleza à vida humana, mas, ao mesmo tempo, oferece uma ameaça grave contra a nossa espécie. Só Maria e Clara poderão combatê-la.

Neste romance de atmosfera inesquecível, primeiro de dois volumes, a autora do best-seller internacional A elegância de ouriço se aventura pela fantasia para fazer um elogio do encantamento, da poesia e da natureza.


É, talvez exista ainda alguns gêneros de leitura que eu não estou pronta para encarar.

Um aviso àqueles que, como eu, não são tão fãs de leituras rebuscadas e bem detalhadas: esse livro é assim. Mesmo que eu compreenda os motivos que levaram a autora a escrever dessa maneira, criando a ambientação necessária para o leitor, eu não sou fã de muitas descrições. Não tem jeito. Eu não fui feita pra isso. 

A vida dos elfos contara a história de duas garotinhas, Maria e Clara. As duas são órfãs e possuem dons que são peculiares. Contudo as duas estão em lugares distintos. 

Clara foi deixada em uma igreja e acabou sendo criada pelo Padre e a empregada. Vivendo nesse mundo mais recluso, Clara acabou se tornando uma boa observadora e gosta de ficar horas apenas observando as paisagens naturais do lugar onde vive. 

Maria, por outro lado, acabou "aparecendo" em uma fazenda. Uma região onde todos que moram ali se consideram parentes e acolhem a garotinha de prontidão. O que surpreende os moradores é que junto dessa menina vem também um ar de mudança, uma virada na sorte dessa aldeia. A colheita melhora, há mais bichos para a caça... E, como Clara, Maria tem uma grande ligação com a natureza. 

É quando Clara começa, "magicamente" a tocar um piano, sem nunca ter tido aulas ou ter até mesmo visto um, que a aventura começa. Clara é levada para ter aulas com um Maestro em Roma e é nessa viagem que sua origem e sua ligação com Maria irão começar a aparecer. 

O jornal Le figaro comparou a autora de A vida dos elfos com  J.K Rowling e Jules Verne, porém, nunca havia lido nada parecido com esse livro. É uma história clássica, que pode remeter a escola literária do Arcadismo (lembra dos poemas bucólicos da sua aula de literatura?)

Importante ressaltar que a fantasia no livro não é o foco da história. Na realidade, eu percebi que fui enganada pela sinopse do livro e, como boa amante da literatura fantástica, me peguei decepcionada com a leitura. 

Volto a dizer: provavelmente eu ainda não amadureci o suficiente para apreciar um livro tão elaborado e tão intrínseco e clássico como A vida dos Elfos. Mesmo assim, eu consigo ver outros leitores fascinados pela leitura deste livro Francês. 

AUTOR: Muriel Barbery
NÚMERO DE PÁGINAS: 270
EDITORA: Companhia das letras
LANÇAMENTO: 2015
ONDE COMPRAR: Clique aqui
Leia Mais

[REVIEW] PRETTY LITTLE LIARS - S07E04: HIT AND RUN, RUN, RUN


Posso dizer que pela primeira vez em muito tempo o episódio terminou e me deixou com vontade de assistir freneticamente, um atrás do outro, maratonar mesmo. Isso se tivéssemos mais episódios, mas como não é o caso, vamos ter que nos contentar com os comentários acerca do episódio da semana que passou.

Sim, finalmente rolou morte envolvendo diretamente as liars, assim como acontece bastante no livro, e como já era de se esperar, estas acabam cometendo alguns erros na hora de acobertar o crime/acidente, como todo o homicídio não premeditado, e até mesmo os premeditados, deixam. Primeiramente cabe comentar que além de suspense, tivemos alguns momentos bem engraçados com Hanna surtando, o que ajudou a descontrair um pouco de todo o excesso de drama que tivemos no episódio envolvendo Alison e sua volta ao hospital, Toby e suas descobertas e Caleb tentando conversar com Spencer. 


Que fique claro que não estou dando uma de insensível ou jogando praga no casal imprevisto da temporada. Pelo contrário, gostei muito da cena, e achei que Spencer-Caleb se provou mais real do que Caleb-Hanna foi algum dia. Isso prova que as liars realmente amadureceram e que tudo é mais real e tem maiores consequências para aqueles que estão ao nosso redor quando somos adultos, isto é, quando somos responsáveis por nossas decisões. 

Já no que se refere à descoberta de Toby de que Elliott é um nome falso, creio que já estava previsto pelo último episódio, e sim, claro, poderíamos chamar a ação das liars de ter perseguido o sinal de celular de Elliott para encontrar Alison como precipitado ou até mesmo burrice, mas devo ressaltar que teve um pouco de má sorte do destino aí também. O que quero dizer é que esse acidente envolvendo Elliott não ficou parecendo mais uma confusão organizada pelas próprias liars, mas um infortúnio que realmente terá consequências além do previsto. O que foi um dos motivos, em conjunto com aqueles já citados, que fez com que o episódio passasse rápido e deixasse vontade de ver mais. 


Finalmente, também gostei do episódio pela volta de Mona, que volta a ser a Mona de antes, sem ironias e caras feias, mas resolvendo os problemas e se mostrando muito capaz, para além do que as liars pensam. Afinal, não dá para passar despercebido o fato de que ela as salvou umas duas vezes só nesse episódio, e que também, por causa dela, acabamos descobrindo um novo personagem envolvido na questão, que até então nem lembrávamos da existência. Se tem uma coisa que PLL faz melhor do que qualquer série e resgatar personagens de acordo com a necessidade da série, e, ainda que possa não colaborar muito para nada essa nova aparição, valeu a pena pelo suspense, que finalmente parece mais fundamentado do que outras vezes.

E sim, caso ainda estejam perguntando sobre a tal aparição, confirmo: deixarei em suspenso, deixarei no suspense. Que nada, vocês provavelmente já devem saber. 

PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO:


Leia Mais

16 de jul de 2016

[LIVROS] RESENHA - LUA DE VINIL


Em 1973, a ditadura militar comandava o Brasil. O Pink Floyd lançava o aguardado disco The Dark Side of the Moon. E Giba passava os dias jogando futebol de botão com os amigos do prédio, suspirando por Leila, sua vizinha irreverente e descolada. Ele tentava ignorar o estado grave de seu pai, internado no hospital, e não sabia que a violência do governo estava muito mais perto da sua casa na Vila Mariana do que ele imaginava.
Até que, num dia tranquilo de março, ele acaba causando um acidente e se vê obrigado a lidar com um dilema moral que o fará abandonar a inocência dos dezesseis anos para sempre.

Preciso admitir que eu estava um pouco receosa quanto a esse livro, já que o enredo parecia ser bem diferente. Ele se passa em nosso país e em um época que nós sabemos que foi bastante turbulenta, a Ditadura Militar.

Contudo, após ler algumas páginas com a narrativa de nosso personagem principal, Gilberto Polatti, me encantei completamente.

Sabe aquele personagem engraçado, irônico, sagaz, pensador e que não é completamente bom, nem completamente ruim? Sabe aquele personagem tão bem construído, tanto em sentindo físico e emocional, que parece que é real? Sabe aquele narrador que faz com que você se sinta dentro da própria história? Pois bem, esse é Gilberto. Ou Giba, ou até Giges. 

Bem, deu para perceber o quanto gostei dele, não é? Porém, mais do que gostar dele, eu gostei da própria história em si. Que preciso admitir, no começo eu demorei para entender. A narrativa nos apresenta primeiro às personagens, ao ambiente cultural e político da época e à situação de cada pessoa envolvida, para então, começar realmente o ‘drama’ que Gilberto está envolvido.

Como descrito na sinopse, sim, há romance. E alguns de vocês já sabem, por resenhas anteriores, que não sou muito fã de romances, contudo, sempre há aqueles que nos surpreendem. ‘Lua de Vinil’ foi um deles.

A história não gira apenas em torno do romance em si, mas muito mais que isso, ela trata de questões sérias, que até em nossa época, mais do que nunca, são necessárias. Fala de moral, de ética, de honestidade.

Até quando você é honesto? Quando você sai lucrando com isso, ou até quando você se prejudica? Quando apenas você sabe o segredo que pode trazer alívios a muitos, mas prejuízos a você, o que você faz? Ajuda ou renega? 

O livro é cheio dessas questões que me fizeram refletir em vários momentos. É um livro que tem um ‘quê’ de mistério, que vai lhe encantando e lhe enlaçando, pouco a pouco, até que por fim, você acabou. 

De verdade, recomendo muito a leitura. Um livro fácil e gostoso de ler, com uma mensagem que transcende as épocas. 

"Lembrei da aula do Padre Fernando, na semana seguinte à minha exposição sobre Giges, um ano antes. É sob o manto da invisibilidade, disse ele, que se revela a verdadeira natureza moral de uma pessoa. [...] O que eu faria? Afinal, qual seria a essência sob o verniz que exibo aos outros? Na República, eu me lembro, os interlocutores de Sócrates argumentam que a virtude da justiça só é exercida sob algum tipo de constrangimento. Se o homem tiver a liberdade de escolha, vai sempre optar não pelo que for justo, mas pelo que for mais conveniente a ele."  Página 71


Título: Lua de Vinil
Autor: Oscar Pilagallo
Editora: Seguinte 
Páginas: 168
Ano: 2016
Onde Comprar: Amazon

Leia Mais

[REVIEW] PRETTY LITTLE LIARS - S07E02-03: BEDLAM/ THE TALENTED MR. ROLLINS


Com o acúmulo de duas reviewssorry – temos um episódio mais ou menos – me refiro ao segundo - e o mais recente, em que as coisas ficaram um pouco mais interessantes. O que acontece é aquilo que, de uma maneira ou de outra, já estava meio que na cara: Caleb ainda não terminou com Hanna como tinha imaginado terminar, e acabou, na verdade, com seu atual namoro – não que tenha sido grande fã disso também. 

Já Hanna, creio que teve problemas maiores que isso em suas mãos, depois de ser sequestrada e questionar todas as escolhas possíveis de sua vida: emprego, casamento com Jordan, etc. Achei tudo muito natural, e, aliás, já estava pensando em reclamar sobre a excessiva inverossimilhança de uma série que se propõe a ser de acordo com a realidade, quando não é que Spencer perde o emprego, Aria também enfrenta dificuldades com o livro que anda escrevendo, e Emily, pela primeira vez, não consegue roubar o coração de uma pretendente? Sim, pelo jeito, todas estão com problemas, assim como qualquer um estaria ao voltar para essa bagunça e abandonar suas vidas que, aparentemente, tinham prosseguido. Sublinhe-se o aparentemente. 


Mas estas não são a parte interessante não people. O interessante foi o reinado do terror do nosso aspirante à psicopata, Elliott, acabar tão rápido e tão inesperadamente, uma vez que no tempo curto de dois episódios – sim, ao menos para PLL é um tempo curto, como os firmes e fortes seguidores da série sabem – Hanna descobriu que o próprio teve participação em sua tortura, e todas ficaram sabendo do fato de que Alison andava para lá de Bagdá pelos sedativos que estava sendo forçada a tomar. Sinceramente, esperava que a situação durasse mais um pouco, mas dessa vez tudo foi para o buraco bem rápido – metafórico e literal (primeiro episódio, lembram?) –, mas bem rápido mesmo. Sem dar spoilers, só digo isso: inesperado para quem conhece o ritmo da série que tanto nos faz sofrer. E com isso quero dizer que foi ótimo, embora um tanto inverossímil se pensarmos que as liars nunca foram tão rápidas assim para descobrir quem era a A...


Fora isso tivemos alguns detalhes que não comentarei, porque acredito que podemos ainda ver mais algum desenvolvimento antes de partirmos para conclusões precipitadas. Não comentarei, mas mencionarei e talvez expressarei algum sentimento: Toby noivando com Yvonne, what the hell? Além disso, não sei se repararam, mas a história das irmãs gêmeas Mary Drake e Jessica DiLaurentis, sendo Jessica a malévola e Mary a perturbada, remete diretamente às irmãs do livro, só que ao invés das filhas, a história toda envolve as mães. Ou fiquei pensando que talvez pudesse ser, na verdade, o uso duplicado do mesmo recurso, isto é, filhas e mães com problemas, afinal, sabemos que Charlotte nunca esteve em sua razão perfeita e Alison, por sua vez, antes de ser uma santa era muito cruel. De qualquer maneira acabou dando em uma história parecida com o livro, mas com muito mais enrolação. 

PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO:
Leia Mais
Designed By . Modificado por: Rony, Dana, Thaíssa e Laisa. Todos os direitos de filmes, séries, games, livros, animes, mangás e HQs são de seus respectivos donos. Copyright © 2014 Diário de Seriador.