Comentários
Rony Moura Rony Moura Author
Title: ESPECIAL DIA DAS MULHERES
Author: Rony Moura
Rating 5 of 5 Des:
Um fato que eu nunca me canso de dizer: o mundo não foi a maior criação de Deus. Nem a fauna e flora. Nem os homens. A maior criação de ...

Um fato que eu nunca me canso de dizer: o mundo não foi a maior criação de Deus. Nem a fauna e flora. Nem os homens. A maior criação de Deus foram as mulheres. No fim, tudo se resume a elas. Todos os nossos mimos, carinhos, poesias e flores, sejam especialmente destinados a elas, não somente nesse lindo dia, mas também em todos os outros. Pois todo dia é Dia Internacional da Mulher.

Pensando nesse dia, nós, da equipe do Diário de Seriador, viemos fazer uma homenagem as mais especiais e incríveis mulheres do mundo das séries, mencionando aquelas que nos marcaram, e ainda nos marcam, de uma forma única.

AVISO: PODE CONTER SPOILER DA SÉRIE CITADA!

Molly Hooper - Sherlock


Na série, Molly se mostra uma mulher que tenta ao máximo agradar ao nosso querido ogro insensível, não somente mudando de aparência. Isso não conta tanto no motivo de ela estar nessa lista. Mas também, suportando e amando a um dos personagens mais secos, racionais e insensíveis da TV. Cada merda que Sherlock faz em relação a demonstração de afeto que Molly tem por ele, é uma facada no coração. Apesar de ser um dos shipps preferidos, Sherlock com certeza não merece a mulher fantástica, linda e inteligente que Molly é.

Brooke Davis - One Tree Hill



Brooke Davis começou como uma mera coadjuvante em One Tree Hill, aquele clichê de garota bonita, popular e sempre tem os melhores homens ao seus pés. Mas com o tempo ela foi se mostrando que tudo isso só era uma armadura, ao longo das nove temporadas ela passou de uma garota fútil para uma mulher forte, decidida e que sempre pensou na felicidade do próximo à sua. Brooke sempre será lembrada por mim como uma das mulheres mais interessantes que já passou pela televisão americana e hoje 8 de março é o meu dia, o dela e de todas as mulheres do mundo. Parabéns para nós! (por Poli Mendes)

Rose Tyler - Doctor Who




Companion do nono e do décimo doctor, Rose é o tipo de garota aventureira, que não se conforma em ter uma vida tradicional, e parte nas viagens no tempo e espaço junto com o nono Doctor. Algo característico da personagem, é o fato de ela ter um coração com mais amor, do que o Doctor e seus dois corações. Bad Wolf <3

Katherine Pierce - The Vampire Diaries


Não tem como não citar a rainha de The Vampire Diaries nessa lista. Não importa se você é fã do Damon, se você odeia a Elena ou ama o Stefan, a única certeza é que não tem como não ser fã de Katherine Pierce. Quem não se lembra do épico “Hello John, Goodbye John” no fim da primeira temporada da serie? Katherine Pierce já enganou todos de Mystic Falls e até mesmo nós inúmeras vezes, afinal Katherine Pierce sempre sobrevive. Sempre. (por Gabriel Kriguer)

Rae Earl - My Mad Fat Diary 




Uma adolescente que passa por muitos conflitos internos e aos poucos aprende a entender o mundo ao seu redor, acabando com seus pré-conceitos e percebendo que o mundo não é tão assustador como pensa quando você enfrenta os problemas e é verdadeiro com os outros e principalmente consigo mesmo. Exemplo de vida! (por Débora Nunes)

Donna - Suits



Donna entra na série como a secretária de Harvey na firma de advocacia, mas sua personagem tão linda e excêntrica cativou todo o público! Incrível e forte do jeito que é, praticamente manda no escritório, sabe de tudo e de todos e sempre faz o seu melhor para proteger o chefe em qualquer situação a fim de impedi-lo que entre em encrenca. Suas técnicas são as melhores e mais eficientes e ela usa em qualquer pessoa que ameace entrar em seu caminho. Maior sonho dos fãs de Suits? Que ela engate em um relacionamento com Harvey. (por Rivka)

Veronica Mars – Veronica Mars (dã)


Por conta da grande carisma da personagem e da incrível interpretação de Kristen Bell é impossível você não se apaixonar pela Veronica logo na primeira cena. Com inúmeras frases épicas, Veronica tem fãs de todas as idades em todas as partes do mundo, seja pelo seu jeito irônico e divertido ou por tudo que a personagem passa ao logo das temporadas. "Well, you know what they say. Veronica Mars, she's a marshmallow." (por Gabriel Kriguer)

Temperance Brennan - Bones




PhD em antropologia forense, autora de best-seller, formada em cinesiologia, possui treinamento em três tipos de artes marciais e e em tiro (com licença para caçar em 49 estados), toca guitarra, é poliglota (fala seis idiomas diferentes, incluindo japonês, alemão, francês, espanhol e outros dois que provavelmente você nunca ouviu falar), essa é Temperance Brennan, ou simplesmente ‘Bones’. Brennan é a renomada antropóloga forense do Instituto Jeffersonian e junto com o Agente Especial do FBI ajuda solucionar os casos de assassinato analisando somente os ossos. Conhece cada centímetro do esqueleto humano, e apesar de sua personalidade complicada – distante e racional – ela difere de todos os outros antropólogos porque Bones vê a pessoa por trás dos ossos. Ela vê a dor de cada vítima, o que ela passou e como foi sua vida. Porém, ela mantém este lado tão humano escondido para que suas emoções não interfiram em seu trabalho. Mesmo com sua incapacidade de entender sarcasmo e outras formas de humor, e personalidade forte é impossível não se apaixonar por Brennan (que o diga Booth). (por Thaissa)

Summer Roberts - The O.C.




Summer Roberts era uma garota mimada, uma verdadeira bitch de Orange County. Originalmente, foi contratada para aparecer em poucos episódios, mas os fãs da série se apaixonaram rapidamente pela nossa querida Summer (interpretada por Rachel Bilson), que o criador da série decidiu torná-la uma personagem principal, deixando The O.C. cada vez mais interessante de acompanhar. Com seu jeito fresco e ao mesmo tempo amigável, Summer apaixonou-se por Seth Cohen e eles dois engataram um dos relacionamentos mais fofos da história das séries americanas. (por Walter Hugo)

Monica Geller, Rachel Green e Phoebe Buffay - Friends




Monica Geller era uma garota extremamente gorda no colegial, e tinha apenas uma amiga: Rachel Green. Anos depois, Monica se mudou para a cidade e conheceu Phoebe Buffay. Monica é obsessiva por limpeza e arrumação, e tem um espírito altamente competitivo, especialmente quando a competição é um desafio que ela fez com si mesma. Rachel, uma riquinha mimada e materialista, depois de abandonar o noivo no altar, foi atrás da amiga do colegial por não ter onde ficar e nisso acabou se desencadeando a melhor friendship ever created, tanto que até hoje as atrizes são melhores amigas. Phoebe, uma hippie maluca conseguiu conquistar nossos corações com seu jeito de não ligar para a opinião alheia, suas histórias trágicas da infância que são contadas de uma maneira extremamente hilária e claro, suas habilidades no violão. (por Walter Hugo)

Kiera Cameron - Continuum




Nossa policial do tempo não poderia ficar de fora jamais. Uma mulher forte e inteligente, que acabou por "acidente", indo parar no passado. O motivo de Kiera estar nessa lista é simples: ela tem todo o futuro nas suas mãos. E ela enfrenta todos os dias o dilema de, voltar para sua família, ou salvar o futuro. Muitos com certeza iriam dizer: "Ah, mas é claro que a escolha dela deve ser óbvia. Salvar o futuro vem em primeiro lugar". Mas e se você estivesse no lugar dela? Se você tivesse uma família no futuro, e estivesse a meses longe deles? E se fosse você quem tivesse que derrubar uma facção terrorista, enquanto tenta lidar com a possibilidade de nunca ver seu filho novamente? Com certeza, não é algo que é fácil de se lidar, sem ficar louco primeiro.

Nikita Mears - Nikita




Nikita Mears era uma agente altamente treinada da Division. Depois de executarem seu namorado, ela começa a estudar as fraquezas do local e, eventualmente, torna-se a primeira recruta a escapar viva daquele inferno. O único problema é que Nikita morre de ódio de todos na Division, e faz de tudo para destruir qualquer um no seu caminho de acabar com aquele local. Nikita, diferente de outras agentes do mundo dos seriados, não mede esforços para chegar onde quer e, a cada episódio da série, samba cada vez mais nas nossas caras. (por Walter Hugo)

Max Black & Caroline Channing - 2 Broke Girls




Caroline Channing sempre foi o pior estereótipo que se pode imaginar. Rica, tem nojo de pobres e de tudo que não faça parte da sociedade em que ela vivia e, claro, esnobe. Tudo isso mudou assim que seu pai trouxe a sua família a falência, o que fez Caroline ser jogada no Brooklyn com Max Black, uma garçonete que não tem medo de falar o que pensa e como todas do tipo, é cheia de respostas na ponta da língua. A princípio, a amizade das duas não é lá das melhores, mas ao passar dos episódios, conseguimos ver Caroline evoluindo cada vez mais à uma pessoa comum, como se nunca houvesse sido rica e Max, que agora é capaz de amar alguém. Não vou mentir, é difícil engolir uma amizade assim, mas como alguém uma vez disse: Os opostos se atraem, e é isso que torna Caroline e Max duas mulheres que você se sentirá bem em amar. (por Walter Hugo)

Robin Scherbatsky, Lily Aldrin e Mother - How I Met Your Mother




Robin Scherbatsky não teve uma vida das melhores. Seu pai queria um garoto, e por isso ela foi tratada como tal. Em meio à tantos altos e baixos em sua família, de algum modo, Robin teve tempo de se tornar uma pop star canadense com o hit “Let’s Go to the Mall”, e até hoje luta para esquecer esse passado. Hoje, ela e Lily Aldrin (uma professora do jardim da infância) se tornaram melhores amigas e estão o tempo inteiro uma do lado da outra, nos momentos bons e nos momentos ruins, e volta e meia, Lily dá a entender que quer pegar a Robin. Da Mother, por outro lado, não sabemos tanta coisa. Sabemos que ela é perfeita pra o Ted, com suas peculiaridades bastante incomuns (tais como usar luvas para dirigir), mas em poucos episódios, Cristin Millioti conseguiu fazer com que nós, fãs de How I Met Your Mother, não parássemos de amar a companheira do Ted, especialmente quando ela esbanjou talento ao cantar La Vie En Rose. (por Walter Hugo)

Olivia Dunham - Fringe



Olivia Dunham, interpretada com brilhantismo por Anna Torv,era a maravilhosa agente do FBI que aprendemos a amar. Olivia investigando os casos estranhos da Fringe division, sempre foi o tipo de mulher que se é fácil de se apegar. Fechada em seu próprio mundo, independente, faz seu trabalho como ninguém. A forma como ela entendia as vítimas, se preocupava com elas acima tudo. Era fácil sentir certa empatia por ela. Ela corria atrás do que queria, era firme e procurava uma solução para os casos mesmo que isso parecesse impossível. Ela se doava por aqueles que ela amava. Colocando os outros e as necessidades dos outros acima de suas próprias necessidades. Acima de si mesma. Aprendeu a lidar com dores da perda e traumas de infância e se fez forte. E já que uma mulher como ela só era pouco, temos logo duas. Duas Olivias para amar, adotar, querer abraçar e tomar como espelho de mulher que todas podem um dia se tornar. (por Michelle Louise)

Olivia Pope - Scandal



Conhecida por "consertar" seus clientes poderosos, Olivia é uma mulher especial, apesar de sua vida amorosa influenciar muito em seus atos. É forte e muito boa no que faz. Perdeu a mãe quando pequena e foi criada pelo pai. Formada na faculdade de Princeton em Ciências Políticas, comanda a Pope and Associates, que conta com um pessoal especializado para resolver problemas de relações públicas de seus clientes. "It's handled". (por Dana Rodrigues)

Sarah Walker - Chuck




Forte. Ágil. Inteligente. Gostosa. É basicamente como podemos descrever Sarah Walker em poucas palavras. Sarah Walker já foi uma civil comum, com uma vida comum, até que seu pai acabou enfiando-a em seus esquemas de roubo e ela adquiriu um conhecimento de ruas, por assim dizer. Depois de recrutada para a CIA, Sarah se tornou uma das melhores recrutas da agência e logo estava sendo cogitada em praticamente todas as missões, até que aceitou uma missão em particular: A de cuidar do intersetorial, que viria a ser, Chuck Bartowski. Diferente de outras agentes, Sarah começou a se importar com as pessoas que se defendia e passou a ver que nem todos eles são meros alvos do governo, e logo, aprendeu a se importar com eles e amá-los cada vez mais. (por Walter Hugo)

Alicia Florrick - The Good Wife




Após ser humilhada com a exposição da traição do marido além dos seus problemas políticos, volta a exercer a profissão de advogada na Lockhart & Gardner, empresa do seu colega de faculdade Will e sua parceira Diane. The Good Wife está no ar há cinco temporadas e é notável toda a evolução da personagem em uma mulher forte, decidida, mas que ainda tenta lidar com os dramas da vida profissional e pessoal. (por Dana Rodrigues)

Erica Strange - Being Erica




É mestre em literatura, solteira, com um emprego sem futuro, na casa dos 30 e cheia de inseguranças. Como ela poderia inspirar alguém então? Bom, ela tem uma característica que raramente é vista nas séries, ela é uma simples mortal, nada de grandioso ocorreu na vida dela, até então, sem grandes salvamentos, sem tiros, dragões ou cirurgias impossíveis. O que ela tem? muitas inseguranças, julgamentos internos, uma vida cheia de constrangimentos e baseada em expectativas de outros. A única diferença da vida dela para a nossa? Erica, após chegar ao fundo do poço, aceita fazer uma terapia alternativa, que dá a ela nada mais nada menos, que a capacidade de voltar no tempo e desfazer seus arrependimentos. De episódio em episódio ela revela sua força, sua capacidade de lidar com expectativas e frustrações, junto com ela e Dr. Tom (seu terapeuta) nós aprendemos que na maioria das vezes não são os erros do passado que seguram nosso crescimento pessoal, mas sim como nós lidamos com os danos que eles deixaram. (por Rossana)

Daenerys Targaryen - Game of Thrones



Nossa pequena gigante Khaleesi foi oprimida e basicamente vendida pelo seu irmão para ser noiva e, assim ela nos provou a força pode estar onde menos se espera, ela se mantém firme e não desanima, pelo contrário. É aí que entra outra qualidade dessa mulher incrível. A compreensão, a compreensão de aceitar esse marido e aprender a amá-lo. Ela compreende o ser humano por essência e, por isso, ela defende os oprimidos ganhando o respeito e a admiração dos  mesmos. Ela prende uma nova cultura, uma nova língua e se torna uma líder Dothraki como ninguém jamais viu. Ela não teme nem mesmo comer um coração de cavalo em nome da nova cultura e em nome do filho. Ela conduz um povo pelo deserto, mesmo quando o grupo quer desistir ela não faz isso. Ela é uma gigante que serve de inspiração e consegue conquistar povos de forma tão leal como ela faz. Ela comanda um exército pela admiração, confiança e lealdade. Respeito é melhor forma de criar relações e alianças fortes, e ela consegue isso. E, gente?! Ela tem dragões. Isso já justificaria a presença dela nesta lista! (por Michelle Louise)

Lilly Rush - Cold Case



"Pessoas não deveriam ser esquecidas, mesmo se eles forem o meu tipo de pessoa. Talvez, elas não tenham dinheiro, não tenham advogados, mas elas importam."

Como não amar alguém que se importa tanto com a figura humana? Lilly Rush se enquadra no campo das protagonistas que você quer abraçar e levar para casa. Lilly é uma detetive da Filadélfia que é especialista em resolver os “arquivos mortos”, ou crimes que foram arquivados e nunca resolvidos. Devido a sua infância e adolescência baseadas em abandono, com uma mãe alcoólatra e negligente, Rush aprendeu desde cedo a se virar sozinha e a cuidar de si mesma. Talvez disso venha o fato da dificuldade de Lilly em entrar em relacionamentos. Porém, ela era uma personagem incrivelmente forte e admiável no ponto de vista humano. Ela procurava se colocar no lugar da vítima e entendê-la e acho que isso a tornava tão boa em seu trabalho. Ela buscava justiça e verdade porque ela julgava, e entendia mais do que ninguém que a família merecia isso. Lilly Rush é digna de toda a nossa admiração e aplausos, como mulher e como ser humano. (por Michelle Louise).

Katherine Houghton Beckett - Castle


Impossível falar de mulheres neste dia e não mencionar aquela mais extraordinária, notável, enlouquecedora, desafiadora e frustrante mulher que nós já conhecemos.   A detetive começou como a co- estrela da série e, em pouco tempo, tomou o lugar de favorita de muitos. Inteligente, culta, boa no que faz, determinada, independente e que sorri sem medo de mostrar a felicidade que guarda no coração, Kate Beckett é o modelo de mulher que todos queremos nos tornar. Além disso, a personagem é interpretada pela fantástica Stana Katic, logo, impossível não se apaixonar.

A detetive sexy tem amigos mais que leais, porque a sinceridade que exala dela conquista até mesmo os mais desavisados [e também, aqueles já sabem o estrago que aquele sorriso, que ofusca o mundo, pode fazer].  Porém, é preciso mesclar e saber mostrar quem manda algumas vezes, por isso, toda mulher precisa do seu lado “Tigresa”, tal como, o que a domina quando ela pisa na sala de interrogatório.  Aquela que sabe ser mulher e perseguir a justiça em nome da mãe, que ela perdeu tão cedo e de forma tão injusta, sem colocar seus desejos pessoais acima da sua obrigação para com a sociedade. Afinal, ser mulher é também querer lutar com unhas e dentes, mas fazer isso de forma limpa. Ela ama a figura humana e procura entender a história de cada um que cruza seu caminho, carinhosa, bondosa e dona de um coração que mal cabe no peito, ela conquista e não há como ser de outra forma.

É preciso ser mulher, com M maiúsculo para lutar contra todas as impossibilidades e, ainda assim, relembrar que mesmo nos piores dias existe a possibilidade de alegria. E para fazer um homem ficar ao seu encalço durante quatro anos, sem desistir, e fazer tudo isso valer a pena no final. Seja em cima de um salto correndo pelas ruas de NY perseguindo bandidos ou, simplesmente, admitindo seus erros e suas falhas e tomando para si o homem que sempre foi seu, Kate Beckett é o exemplo de mulher que eu quero ser quando crescer.   E quem sabe, assim, um dia eu encontre um escritor numa cena de crime qualquer para chamar de babe e dizer meu Always para ele que, talvez, se torne o “one and done” de alguém que seria dali por diante uma “one writer girl”. (por Michelle Louise (obviamente).

E essa é nossa forma de agradecer a mulheres tão maravilhosas, que tornam nossa vida seriadora mais interessante, fazendo papéis que muitos homens nunca conseguiriam fazer! E parabéns a todas vocês, mulheres que conheço ou não, famosas ou não, altas, baixas, morenas, loiras, brancas, negras, mulatas, índias, asiáticas, americanas, europeias, africanas... Todas mulheres lindas e espetaculares!

PS: Um agradecimento especial a Michelle Louise (#TeamRochelle <3), que me ajudou com o post, e a todos da equipe, que deram suas sugestões. Obrigado!
Reações:

Sobre o Autor

 
Top