Comentários
Camila Menezes Camila Menezes Author
Title: [REVIEW] HANNIBAL - S02E02: SAKIZUKE
Author: Camila Menezes
Rating 5 of 5 Des:
Antes de começar a escrever esta review, fiquei alguns minutos olhando para a folha me perguntando como expressar em palavras a excitação...
Antes de começar a escrever esta review, fiquei alguns minutos olhando para a folha me perguntando como expressar em palavras a excitação intelectual que esse episódio me causou. 

Na mesma proporção dessa excitação, foi também a indignação ao saber que Sakizuke foi a menor audiência de toda a série. Sei que todos nós estamos torcendo por uma (sofrida) renovação, mas será que essa é uma boa ideia? De uma coisa eu sei: a TV aberta não sabe avaliar a genialidade de Hannibal e quanto mais a série usa aspectos macabros, mais a audiência cai.

A questão é que a obra de Thomas Harris é um dos melhores thrillers psicológicos da literatura e é focado em um canibal. Logo, o que se espera são cenas como as que vimos no episódio dessa semana. Não há como fugir! Essa não é uma série de meiguice, com elfos encantados em uma linda floresta mágica. NÃO HÁ TERNURA EM HANNIBAL!


Se a TV aberta não está preparada para isso, talvez a solução seja a série ir para uma emissora fechada. Ir para uma emissora cujos telespectadores saibam avaliar séries inteligentes e com qualidade. Ali Hannibal será bem recebida e compreendida em sua genialidade.

Vamos comentar o episódio em si: antes de qualquer coisa, eu tenho que reverenciar (mais uma vez) a direção artística dessa série. A cena inicial foi de uma realidade inacreditável. Inacreditável e angustiante ver aquele homem sair milharal a fora em carne viva, bem estilo “circo dos horrores”. [Ouvi boatos que muitos seriadores não tiveram um estômago tão forte para ver aquilo]

E ainda mais bizarro foi rever chef Hannibal fazer um delicioso ossobuco com a perna do autor do mural humano. Para quem estava com saudades de ver Dr. Lecter com a mão na massa, isso foi um prato cheio. [Ouvi dizer também que muitos ficaram com fome ao ver aquilo]. Embora o momento tenha sido bem doentio, não pude deixar de achar meio cômico todos tentando achar um padrão no fato de faltar uma perna na cena do crime enquanto Hannibal estava soberano cozinhando.



Estes e muitos pontos tensos marcaram o episódio dessa semana, como por exemplo, a relação entre Bedelia e seu ex-paciente. Fico até feliz que a relação dos dois tenha esquentado, pois já não aguentava mais aquela apatia toda naquelas sessões. Finalmente alguns diálogos saíram da zona do não-dito. Desejo a Bedelia vida longa e que ela não morra. Pelos menos não ainda. Ela ainda pode ajudar muito Will Graham. Imagina o alívio dele ao ouvir finalmente que alguém acredita em sua inocência. É a confirmação que ele não está louco. Uma luz no fim do túnel.

E por falar no Will, até que enfim o donzelo acordou! Finalmente ele aprendeu a entrar na dança e está usando toda sua inteligência para lidar com Hannibal. Só sendo mais ardiloso que ele é que Will conseguirá uma maneira de provar sua inocência.


Não posso deixar de ressaltar aqui o quanto fiquei feliz ao vê-lo analisar uma cena de crime mais uma vez. Estava com saudades da frase “This is my design”. As cenas dele se projetando até o local do crime sempre são muito bem elaboradas e nos dão a dimensão do que é ter empatia. Como diz em Dragão Vermelho, é um dom importante para seu trabalho, mas “extremamente desconfortável”.

Por fim, finalmente começamos a entender muitas ações do Hannibal durante a primeira temporada e quanto mais entendo, mais tenho certeza que ele é um grande filho da ****. Nunca, nun-ca dá ponto sem nó. O silêncio sobre a doença do Will, a morte do neurologista, tudo fazia parte de um plano maior para incriminar Will meses depois. Tenho que assumir: é um FDP, mas um FPD genial.

                                                 PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO:

Reações:

Sobre o Autor

 
Top