Comentários
Michelle Louise Michelle Louise Author
Title: [REVIEW] ONCE UPON A TIME - S03E14: THE TOWER
Author: Michelle Louise
Rating 5 of 5 Des:
E você? Do que você tem medo? Once Upon a Time, por mais boba que possa parecer, no fundo é uma série que te faz pensar. Ela coloca p...
E você? Do que você tem medo?
Once Upon a Time, por mais boba que possa parecer, no fundo é uma série que te faz pensar. Ela coloca para você temas que são altamente reflexivos dentro de uma história boba de conto de fadas que se mistura com a realidade e, então, a realidade fica fácil de encarar. O “tema” da semana? Medo.

Quando Charming começa a ter pesadelos com Emma (numa fofura que só vendo naquele vestido de princesa, deixando a jaqueta de couro de lado), seus medos começam a serem mostrados. Quando sua filha grita em seu sonho “Não falhe com o próximo” e, então, Snow o informa de que está grávida é como se tudo aquilo fizesse sentido. Durante muito tempo vimos Snow se culpando por ter abandonado Emma. Não ter visto sua infância e nem ter sido criado o seu bebê. Charming sempre foi a âncora da Snow, acalmando a princesa e mostrando que a culpa não havia sido dela. 

Em “The Tower”, no entanto, vemos um Charming que admite que se sente um pouco culpado com isso. Uma culpa silenciosa que nunca o abandonou e que, uma hora ou outra, ele teria de enfrentar. Ele não quer falhar com seu próximo filho, afinal, ele já falhou com Emma duas vezes. E então ele parte em busca de algo que tire seu medo. A Raiz Noturna surge na história como via para trazer um personagem até então fora da história: Rapunzel.


Quando Charming vai atrás da raiz que supostamente tiraria seu medo, ele acaba esbarrando na torre onde Rapunzel se encontrava. A Rapunzel estava presa pela suposta Bruxa na Torre, a história normal (e que eu sempre detestei) e conhecida de todos. E então, a parte legal se desenrola. A Bruxa que a prendia a torre, na verdade, era ela mesma. Ou melhor, seus medos. Seus medos tomaram forma, pois, para vencê-los é preciso enfrentá-los. E, vamos combinar, muitas vezes nosso maior inimigo é ninguém além de nós mesmos.

Paralelo a isso, em Storybrooke, Zelena faz com que David ingira, aqui também, a raiz para fazê-lo enfrentar seu medo, é claro, com segundas (terceiras, quartas, quintas..) intenções. E, assim como aconteceu com Rapunzel, David vê a si mesmo como seu maior inimigo. Imagine você mesma se olhando no espelho se chamando de fraco(a) e mexendo com o mais profundo do seu ser e de seus medos? Pois é exatamente isso. Esse episódio foi um convite a olharmos para nós mesmos e, então, enfrentarmos nosso maior inimigo: o Eu Interior de cada um. Seus medos, suas fraquezas, dores que ficaram... Tudo isso conta. Quando enfrentamos nossos medos (sejam eles de fracasso, de não conseguir ser quem queremos ser e, sim, todos os outros que estão passando pela sua cabeça agora), descobrimos uma coragem até então desconhecida. O medo é algo intrínseco ao homem, porém, a coragem também é. 

Enfrentar nossos medos, sejam eles quais forem, é a melhor forma de descobrir e encontrar sua coragem. Sentir medo é normal o que não se pode fazer, é se deixar dominar por ele. David enfrentou seus medos, admitiu eles para si e, assim, encontrou em Emma coragem para revidar. Nada nos move mais, nos instiga mais, do que lutar por aqueles que amamos. Porque, então, temos algo além de nós mesmos para lutar e tudo faz sentido. Perder o medo deixar de ser opção e vira a única escolha. E foi isso que David fez.

Ao derrotar a personificação de seus medos na forma de outro David com sua espada, o príncipe encantado deixou registrado nela, sua coragem, porém, Zelena consegue pegar a espada antes dele, possuindo a partir de agora, um item com a coragem do príncipe.

Falando em coragem.....

Pedirei permissão (e a considerarei concedida) para entrar mais a afundo no debate de Oz. Para que não conhece, ou não se lembra da história, Oz nos apresenta a figura de Dorothy acompanhada do Leão, do Homem de Lata e do Espantalho. Cada um deles procura algo que não tem e, então, eles acompanham a menina na busca pelo Mágico que pode lhes dar o que eles querem. Dorothy quer voltar para casa e seus três amigos, procuram coisas que não têm: o Espantalho quer um cérebro (Inteligência), o Homem-de-Lata quer um coração (Sentimento), e o Leão quer Coragem. 


O primeiro elemento de Oz, a coragem, foi inserido na história e a Bruxa Má do Oeste já o tem em mãos na forma da espada do David. Os planos dela ainda são obscuros e não tenho um palpite sobre o que poder ser. Fato é que Rumple está incluindo em suas armas o que, por sinal, me intriga bastante. Ela o domina por possuir a adaga, tudo bem, mas como ela conseguiu a adaga em primeiro lugar? Tudo está obscuro, mas algo que me diz que veremos os outros elementos de Oz tomando forma. Vejo o sentimentalismo mais presente da Snow, o que justificaria a aproximação de Zelena com ela. Mas... Ainda e cedo demais para palpites.

Finalmente descobriram que Rumple está vivo e descobriram onde ele estava escondido. Porém, ele já havia fugido: MAS COMO?! Para onde ele pode ter ido? (Se ele fugiu por conta própria, Bella é uma opção?!) A cara de felicidade de Regina ao saber que ele está vivo chegou a ser fofa (como não amar você, Lana?) e teremos que esperar o próximo episódio para ver onde Rumple está se veremos mais de Oz por aí.

Até semana que vem!

PS1: Regina e Henry é  mais amor do que posso aguentar.

PS2: Achei a atuação da Rapunzel fraca. Fraca mesmo.

PS3: Emma, agara o Hook por favor? Obrigada, amiga.

PS4: Rumple não é pai da Zelena, pelo mostrado até agora. Alguma teoria nova?

PS5: Ela deixou de ser caminhoneira naquele vestido, gente?! Jen, sua linda! 


PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO
 



Reações:

Sobre o Autor

 
Top