Comentários
Michelle Louise Michelle Louise Author
Title: [REVIEW] ONCE UPON A TIME S03E15 & S03E16
Author: Michelle Louise
Rating 5 of 5 Des:
Estou viva. Estou bem. E começo essa review me desculpando pelo longo atraso. Bem, período complicado na minha faculdade – complicado m...

Estou viva. Estou bem. E começo essa review me desculpando pelo longo atraso. Bem, período complicado na minha faculdade – complicado mesmo- e eu, sendo sempre eu mesma, me envolvi em 300 projetos e... me perdi. Deixei as reviews para trás, mas agora estou aqui, colocando em dia.

Porém o que importa aqui não sou eu e sim Regina, digo, Once Upon a Time. Devido ao atraso – sim, são de três fucking episódios- eu farei esta review dupla, falando primeiro do episódio S03E15 “Quite Minds” e, depois, seguindo a lógica o S03E16 “It’s not Easy To Be Green”. Postarei a do episódio S03E17, logo em seguida em outra review. UFA! Vamos lá...

"Quiet Minds" trouxe algo que eu a muito tempo esperava: A morte de Neal. E, todos sabem que eu queria isso, não foi apenas por meu desejo de ver isso acontecendo que eu gostei da cena. Eu gostei da forma como a cena se desenrolou e os motivos para a morte do eterno Bea. Em nome de algo maior. Não é isso pelo quais os mais utópicos sonham em morrer? Morrer por algo maior do que você, algo pelo qual vale a pena morrer. Há quem diga que não vivemos plenamente até encontrarmos algo pelo que valha a pena dar a nossa vida. E salvar aqueles que ele amava e a cidade em si foi esse algo de Neal. Com um quê de nobreza e um quê de tristeza, ele deixa a série, nos oferecendo um plot bem legal a tira colo.


Lumiere. Ah, como eu esperei para vê-lo na serie. Juro para vocês, eu amo a Bela e a Fera e essa é – de longe- uma das minhas histórias favoritas das princesas (momento eu sendo fofa e aceitando o lado menina que Deus me deu), ver o encaixe do personagem, mesmo que ao lado da Wicked, e ver Bea e Belle encontrando Rumple na floresta foi maravilhoso. Ali já ficou claro que Zelena tinha muitos truques e é boa em magia – coisa que se confirmou no episódio seguinte. Ela não veio para brincadeira. Mas o que achei bacana foi Rumple e seu filho terem voltado como um só. Por um motivo simples: Toda a magia tem seu preço. Dois corpos não podem ocupar o mesmo lugar, a física já nos lembra. E então, é apenas o Senhor das Trevas que sobrevive. 

As cenas entre a Wicked e Rumple são interessantes demais de se ver. A interação dos personagens é muito bacana e, olhem, gostei demais da atriz da Wicked. Não, não é uma Lana Parrilla. Mas minha gente? OUAT só tem lugar para uma diva e ela já existe.

Já existe e tem o SHIP MAIS FOFO DA SÉRIE, POR FAVOR! Desculpem o caps, mas vocês não tem noção do tamanho do amor que meu coração tem por Outalw Queen. Juro para vocês, quando eu soube –um bocado de episódio atrás- que ele era o amor verdadeiro dela, eu já shippei. Agora? SENHOR! Me ajudem porque não passo bem com eles dois. Mas, vamos tentar ser racionais e analisar as coisas com calma...(God Lord, Help me).


Sempre me perguntei como o caminho da Evil Queen (não tão Evil, porém toda Queen) e do nosso ladrão iriam se cruzar. Pois bem, Robin. Você não perderá a cabeça por atirar uma flecha na Queen do Reino, afinal, ela achava que você era um macaco voador (não, não gosto dessa parte da história, apaga).  A interação e tensão entre eles é gritante e ME fez sentir toda boba aqui fora. Ela não pediu por um parceiro, mas ele vai mesmo assim. Afinal, não é apenas quando pedimos que precisamos, certo? Existe um bichinho pequeno, que parece inofensivo, mas que machuca e faz estrago. O nome dele é orgulho. Porém, mesmo sendo orgulhosa e não querendo admitir que precisa de ajuda, ela aceita a companhia dele. 

A tensão deles dentro da casa (poção do amor, hein Regina?!) foi....ridiculamente grande. E eu não sei lidar. Porque até agora quando eu me lembro da cena dele olhando diretamente para a bunda de Regina dizendo “Vendo por este ângulo..” eu choro de rir. Sabem de uma coisa que amei nisso tudo? A essência se manteve. Regina não deixou de ser Regina em momento algum pelo Robin e a recíproca é verdadeira. Eles se sentem atraídos um pelo outro e, embora eu tenha ficado surpresa de ela ver a tatuagem já, ver que ele é aquele que homem que já deveria ser sua alma gêmea há tempos..mexeu com ela. 

Acho que quando ela o vê com Ronald, brincando, ela se pergunta como teria sido. Fazendo a retrospectiva, Regina sempre foi sozinha, precisou adotar Henry, ninguém a amava, apenas..a temiam. Como ela mesmo disse, o medo lhe foi útil. Mas foi também seu maior inimigo, afinal, quem tem medo não se aproxima e como ela iria encontrar alguém que visse sua essência por baixo daquela pose toda? Ela não deixava ninguém ver a Regina suave, a menina que perdeu o amor, a mulher que sofria por ser sozinha. Ela se escondia por baixo da magia porque, sem ela, ela era apenas um ser humano frágil e vulnerável, como qualquer outro. Todos precisamos de alguém para onde possamos correr de vez em quando. Alguém que te sirva de porto seguro. Alguém. Será que, finalmente, Regina será feliz? Eu espero que sim, ela merece. Como a própria Lana afirmou, acho que Regina finalmente encontrou um homem que pode aguentar com ela. (Power, babies). 


Porém, para ser feliz, ela precisa aprender a encarar o passado e descobrir mais algumas coisinhas podres sobre Cora. Nesse contexto, vamos conhecer um pouco mais de Zelena e descobrir que não é nada fácil ser verde no episódio S03E16.

E começo revoltada. Quem essa verdinha pensa que é para desafiar Regina para alguma coisa? Olha, Regina...sua família é meio problemática. Mas, bem... Parte dos motivos que trouxeram Zelena para cá agora estão entendidos e podem ser resumidos em uma frase: You Born. 

Isso, por recalque meus amigos. Por inveja. Puro recalque da filha que foi rejeitada por Cora. Sim, Regina. Ela tem inveja de você. Fecha a conta e vamos para casa. Não? Isso. Não mesmo. Zelena tem algumas coisinhas para aprender com a irmã que sabe como ir preparada para uma batalha de bruxas.

Zelena nasceu com o dom da magia,  diferentemente de Regina que precisou trabalhar - e muito- o mesmo para aperfeiçoá-lo. Cora, mesmo assim, optou por abandoná-la. Muitos acharam isso sem sentido, se  menina nasceu com magia porque Cora quis abandoná-la? Se Regina se tornou Queen foi porque Cora armou muito para isso. Porque não fazer isso por Zelena e facilitar sua vida?


Aprendam uma coisa, meus amores. Quem é dono do poder sabe, também, temê-lo. O que Zelena poderia fazer caso crescesse e não concordasse com os planos da mãe? Ela pequena já movia árvores, o que ela poderia fazer com seus poderes aperfeiçoados? Muita coisa! Lealdade não poderia ser exigida e, então, a mãe viveria sob um medo do que a filha poderia fazer. Na dúvida, Cora a abandona e, então, a menina até então nada verde, é adotada por um casal de Oz. A menina cresce e buscando ajuda no Mágico de Oz, anos mais tarde, ela descobre sua família biológica e descobre ela: Evil Queen. 

Claro que Rumple, de um jeito ou outro, entraria na história. E vendo o tamanho dos poderes de Zelena resolve treiná-la. Ao testá-la, ele percebe que ela não era confiável – ponto pra Cora- e caba escolhendo treinar Regina. Todos sempre escolhem Regina (aceite, criança) e então, sua ira e inveja a atingem de forma tão gigantesca que ela passa a ficar verde (preciso de paciência pra essa série as vezes, porque é cada coisa..). Os planos da verdinha? Basicamente, Zelena quer voltar no tempo para mudar o passado e fazer as coisas de uma forma diferente para ela. Porém, se paramos para pensar, se ela mudar as coisas Regina não nasce e toda a história tem Regina como base... Bem, agora é esperar para ver.


A batalha entre as duas irmãs foi algo muito legal de se ver. As línguas afiadas, as cenas, a interação. Gostei demais. E Wicked? Nem em Oz que preto que fica melhor em você. Zelena quer o coração de Regina e eis que o segundo elemento de Oz dá as caras. Coragem de Charming, sentimento (coração) de Regina.... Porém, Regina teve lições dura com Cora, lições que a Wicked não teve, como por exemplo: Não traga seu coração para uma batalha de bruxas. Pois bem, Regina deixou seu coração escondido e Zelena saiu frustada. Regina esconder o coração, tudo bem, mas onde ela o escondeu é o encanto.

Momentos antes, Robin, o stalker, segue Regina até a floresta. Como eu disse sobre o episódio anterior, ela não pediu um parceiro, mas ele está lá novamente. Ele parece ser um dos poucos que se preocupa realmente com ela ou com o que ela sente. E, gente...ele ROUBOU A CARTA DELA. Na maior cara de pau ele roubou a carta dela e...ela nem se importou com isso. Ela nem ligou e quando ele pede para ler, ela apenas diz que nada o estava impedindo.

No fundo, Regina precisava desabafar. E desde que ela descobriu que ele era seu amor verdadeiro, ela tentou dar um passos para trás, porém, ele sempre estava perto dela. Se desculpando por qualquer coisa que possa ter feito para ela ter ido embora daquele jeito, por fazer ela fugir. Regina precisa de alguém que a ame, a entenda. Ela precisa de alguém que faça isso....aceite ela. Quando ela diz para Robin que leu aquela carta milhares de vezes para se sentir melhor e que, no fim das contas, a carta nem falava dela...é triste. Ela precisava de um pedaço de papel para se sentir bem e feliz? Não pode. Isso não deveria acontecer com ninguém. Ela se abre com ele e faz mais. Deixa o seu coração para que ele o proteja...e o Robin assim o faz.

Ele protege o coração dela e ela, no fim, sabe que o coração dela está onde sempre deveria ter estado. Por isso, por sentir que com Robin é o lugar dele e que com Robin ele está seguro, ela pede para que o ladrão fique com ele. E solta aquela frase de mil sentidos “Você não pode roubar algo que foi dado para você”. Ela deu o coração para Robin e, acho que ela sente que fez a escolha certa. Acho, sinceramente, que existem momentos, raros momentos, que sentimos algo inexplicável por algumas pessoas. Um sentimento que dispensa explicações ou meras palavras não podem traduzir. É aquele momento mágico que você perde o medo de arriscar e percebe que pode ser feliz ao lado de alguém. Acho que Regina, chegou nesse momento e o sorriso dela ao ir embora, mostra que ela não quer perdê-lo.


Regina, vá e tome aquele Whisky com ele. Se deixe ser feliz agora. Robin, Ronald e Regina (sai, Henry que o clubinho do R não te quer..mentira..ela te ama, moleque chato). 

Falando em Henry, Hook tem sido um fofo com ele. E não apenas para conquistar Emma. Ele fala de Bea para Henry com carinho, como quem sente a perda, e ele o faz. Ele sente a perda de Neal também. Porém, Henry? Tu não achou estranho um cara da idade do Hook conhecer seu pai desde criança? Perdeu QI, menino? O Henry de antes não teria deixado essa passar! A. sobre o terceiro elemento de Oz? A inteligência? Ela tem Rumple ao seu lado e faz questão de controlá-lo. Ela tem o cérebro dele a seu favor. Robin, cuida bem do que te foi confiado porque os outros dois elementos ela já tem, ao menos na minha visão. Agora, o que ela irá fazer com isso? Bom plot para a finale, não?! 

Pois bem, com essa review shipper eu encerro meus comentários sobre estes dois episódios e, devo dizer, que estou amando o rumo da série. Todos se achando, coisas ficando claras e a história contada de forma bacana. Essa sintonia do elenco e história bem construída podem ser a chave do sucesso da série. Com esse elenco fantástico, a série vive seu melhor momento...e que fique assim até que todos encontrem seus finais felizes. 

Até a próxima review.

PS1: Regina, sou sua. Me ame.

PS2: Prometo deixar de ser essa FDP e postar as reviews em dia.

PS3: Shippem comigo, gente! Não me deixem aqui sozinha...

PS4: Porque sim:


Reações:

Sobre o Autor

 
Top