Comentários
Raphael Gomes Raphael Gomes Author
Title: [C. NERD] RESENHA - CARRIE
Author: Raphael Gomes
Rating 5 of 5 Des:
A história todos conhecem por alto. Uma garota que sofre com o fanatismo religioso da mãe, acaba sendo vítima de uma brincadeira de col...

A história todos conhecem por alto. Uma garota que sofre com o fanatismo religioso da mãe, acaba sendo vítima de uma brincadeira de colegas que faziam bullying com ela. Ela acaba matando a maioria com seus poderes telecinéticos, em um ataque de fúria.

Você nem precisa ler o livro ou ver o filme para estar a par da história de Carrie, afinal, desde o lançamento o livro se tornou um fenômeno pop, sendo adaptado três vezes no cinema, servindo de referência em muitas outras obras, temos até uma "homenagem" em uma cena da novela global "Chocolate com Pimenta" em que a protagonista leva um banho de tinta em sua formatura.

O adaptação de 1976 é considerado um clássico entre os amantes de filme de terror, a de 2002 é vergonha alheia, a de 2013 tem seus momentos bons, mas o livro consegue deixar essas adaptações parecendo histórias para crianças. Após os comentários bem "amorosos" que recebi na minha crítica ao filme de 2003, que você pode relembrar aqui, tomei vergonha e finalmente comprei o livro. Me arrependo sinceramente de não ter lido antes, a tensão psicologia, o fanatismo da mãe, o bullying que ela sofre, a destruição que Carrie causa, tudo isso é pelo menos cinco vezes pior no livro que em qualquer adaptação.

O livro alterna suas partes narrativas com fragmentos de entrevistas, artigos de revistas e estudos acadêmicos sobre o "Caso White", como ficou conhecido o incidente causado por Carrie. A idéia era deixar a história com um tom mais real, deixando você com a sensação de que poderia ter acontecido realmente. Isso cria um suspense cada vez mais forte, todo o final é contado nesses fragmentos bem antes de acontecerem, e ao invés de te deixarem desanimado com a leitura nos deixa cada vez mais ansiosos para os tais acontecimentos. Boa Stephen, você realmente é um gênio.

Margaret White é um personagem muito marcante e muito bem descrito. No começo achei cômico suas atitudes e pensamentos, afinal era difícil engolir que uma mulher normal não conseguisse perceber a diferença entre uma gravidez e câncer. O fanatismo dela é tão cego que passa a assustar, e já na metade do livro você a teme, e não há mais graça naquilo. Me peguei imaginando se existem pessoas nesse nível de fanatismo, fechando os olhos para tudo que não fosse religioso e julgando fervorosamente todos. Margaret é uma mulher doente, não há outra palavra para descreve-la, e só no final finalmente compreendemos o porquê dela achar que estava morrendo de câncer.

O bullying é o assunto principal do livro, querendo ou não adolescência é umas das fases mais cruéis da vida, você sofreu ou praticou bullying, ele sempre vai estar presente na vida de todos. Carrie não conseguia se defender, era sempre o alvo dessa crueldade. Embora na maioria dos filmes isso se resume a cena da menstruação, é perceptível nos livros que não foi só isso, e sim anos e anos de enganação e chacota. Descobrir que Carrie foi inspirada em duas garotas que King conhecia e que acabaram morrendo por isso, já deixa uma sensação de proteção em cima da personagem. Não há como não tomar as dores dela, e sim, vibrar junto com a destruição que ela trás. O livro é tão envolvente que nos sentimos vingados a cada morte. Sim, parece um pouco radical, mas foi assim que senti com as cenas do baile.

Falando em destruição, porque nenhum filme chegou aos pés da proporção de destruição do livro? Não somente isso, mas quase todo o final foi modificado e ganhou um tom bem mais leve para o cinema. A destruição é imensa, a matança é bem maior. E o sentimento de vingança que cresceu dentro de você vai vendo a justiça. Não concordo em justiça com as próprias mãos (ainda mais sobre a luz dos acontecimentos recentes no Brasil), mas ler toda aquela destruição dá sim uma sensação de alivio por ela, uma sensação de vingança por cada tampão jogado, cada gota de sangue de porco jogado.

O livro é curto, mas surpreende com a forma que consegue nos envolver. DEVE ser lido por todos os que gostaram do filme, e até os que não, pois tudo no livro é melhor. Carrie foi uma vítima da sociedade e após os desastres que ela causou ela foi taxada como monstro. Parar para pensar que certas brincadeiras podem destruir uma pessoa emocionalmente é difícil enquanto a brincadeira parece ser tão legal e estão todos rindo, ser alvo das piadas não é bom. Digam não ao bullying.


Autor: Stephen King
Genêro: Terror
Editora: Nova Fronteira
Lançamento: 1974
Páginas: 199
Reações:

Sobre o Autor

 
Top