Comentários
Giulia Barbosa Giulia Barbosa Author
Title: [REVIEW] IN THE FLESH - S02E01: EPISODE 1
Author: Giulia Barbosa
Rating 5 of 5 Des:
Depois de 1 ano de espera (que parecia infinito), In The Flesh voltou com tudo, para a alegria de todos os fãs dos portadores da Síndro...

Depois de 1 ano de espera (que parecia infinito), In The Flesh voltou com tudo, para a alegria de todos os fãs dos portadores da Síndrome do Falecimento Parcial. Com ums primeira temporada tão boa, é claro que as minhas expectativas para a segunda estavam nas alturas, e fico feliz em dizer que esse episódio atingiu o esperado, me fazendo lembrar de porque eu gosto tanto.

18 meses se passaram desde que os "ex-zumbis" foram reintegrados a sociedade, se na primeira temporada o convívio deles com os humanos já era difícil, agora está bem mais violento. Os problemas começam com um grupo de portadores extremistas, que ao se drogarem, perdem o controle e atacam as pessoas, tudo acontece por um motivo: é uma reação a um partido que vai contra eles.

Kieren aparece bem mais maduro, ainda com receio das pessoas e dele mesmo pela sua aparência, porém pensando no seu futuro, em como as coisas podem ser. O exemplo disso é  quando ele planeja se mudar para Paris, que segundo eles, as pessoas são mais tolerantes do que em Roarton. A cena em que ele desabafa no cemitério com o tumulo do Rick é de cortar o coração, ainda acredito que poder existir um Kier + Rick 4 ever! Uma das coisas mais legais da doença é que, mesmo sendo um morto-vivo, há uma humanidade dentro dele. 


Mas é claro, que mesmo com toda a fofura do Kieren, é a Amy que chama toda a atenção, como não amar essa mulher? Deixando o Kier com o coração partido e deprimido, ela volta com grandes novidades. Uma é que está comprometida com um (belo) rapaz chamado Simon, um dos primeiros discípulos dos Profetas Mortos Vivos, que junto a Amy, fazem parte do chamado "Movimento de Libertação", relacionado a liberdade dos portadores da SFP.

O episódio não teve grandes mudanças ou surpresas, mas acredito que o que mais chamou a atenção foi a nova membra do Parlamento, Maxine Martim, um membro do Victus, o partido opositor à integração de SFP a sociedade. Ela vem para Roarton com o pretexto de prestar condolências pelos acontecimentos trágicos que vem acontecendo, sendo que na verdade está atrás dos registros paroquiais.


Essa temporada, diferente da anterior terá 6 episódios, dando a chance de aproveitar melhor os enredos - o que eu achei que foi o único defeito da primeira temporada, dava para desenrolar mais a história - entao o ritmo lento do episódio nem acabou sendo de todo mal, há muita coisa que precisa se resolvida, e estou muito ansiosa para descobrir o que vem por ai. 
Reações:

Sobre o Autor

 
Top