Comentários
Felipe Lima Felipe Lima Author
Title: [REVIEW] THE MINDY PROJECT – S02E22: DANNY AND MINDY
Author: Felipe Lima
Rating 5 of 5 Des:
Bruce Springsteen, Meg Ryan, Billy Crystal, Tom Hanks… Todos eles estavam lá, de alguma forma, reunidos na season finale de The Mindy ...

Bruce Springsteen, Meg Ryan, Billy Crystal, Tom Hanks… Todos eles estavam lá, de alguma forma, reunidos na season finale de The Mindy Project. Com direito a referências mil, o último episódio da segunda temporada do seriado foi razoavelmente satisfatório e nos trouxe algo que já era esperado: afinal, Mindy e Castellano estão juntos – ou, ao menos, estavam até a última cena gravada.

"Mensagem pra você", um dos primeiros clássicos do cinema com temática virtual, estrelado por Tom Hanks e Meg Ryan, foi o grande fio condutor do enredo. Em mais uma de suas investidas amorosas, Mindy resolve apaixonar-se por um desconhecido do metrô, o qual colocará um anúncio procurando por ela no jornal e ela, é claro, irá localizar o anúncio e começar a se corresponder com ele. Tudo isso em Nova York. 

A verdade é que quem está por trás das mensagens é Danny Castellano, em uma estratégia um tanto capenga de fazer ela se apaixonar por ele, enquanto, na realidade, ela estaria se apaixonando pelo rapaz do metrô. Em mais uma referência explícita à obra de Nora Ephron, o ponto de encontro dos dois será no alto do Empire States. Uma vez que, nem Danny, tampouco o estranho do metrô aparecem, começa então o drama. 

Drama esse que nos leva a uma das cenas mais interessantes quiçá de todo o seriado, a conversa dos dois no banheiro. Encontramos ali resquícios de um drama verdadeiro, interpretações honestas e não caricatas. Fiquei surpreendido com o que vi, admito.

Por fim, após muitos encontros e desencontros, a turma toda do consultório, em uma união que eu achei bem legal, age como cupido e faz tanto Mindy acreditar no amor de Castellano e ir se encontrar com ele no alto do prédio, quanto ele, que já estava desiludido de toda essa história, correr pelas ruas de NY (sendo “atropelado” por um táxi – uma ótima cena, diga-se –, aqui uma referência dentro da referência) e, afinal, encontrar-se com ela. Quem dá os ares da graça por aqui é Bruce Springsteen, com sua muito adequada Dancing in the dark e, logo em seguida, outro clássico dos anos 80, Drive, da banda The Cars.


Fazendo agora um balanço geral dessa segunda temporada, cabe dizer que foi bastante menos interessante do que a primeira. Teve seus pontos altos, inteligentes, engraçados, mas teve um excesso devastador de bobeiras quase inadmissíveis, o que acaba fazendo o espectador com o mínimo de inteligência e senso crítico se afastar um pouco. A segunda temporada acaba da mesma forma que acabou a primeira, e, uma vez que cachorro que foi mordido por cobra tem medo até de linguiça, cabe não ficarmos muito esperançosos para finalmente vermos o desenvolvimento dessa relação entre os dois. Podemos ser iludidos da mesma forma que fomos no início dessa temporada.

O que sabemos de fato sobre a terceira temporada é que Zoe Jarman, que interpreta a amável e inocente recepcionista Betsy não estará mais no elenco fixo. Segundo notícias divulgadas na internet, ela ainda deve fazer algumas participações esporádicas. Cabe agora esperar para ver se Jeremy Reed voltará a ter algum papel de destaque no enredo, se Peter manterá o destaque que alcançou, se Morgan voltará a ter o espaço que merece (de preferência fazendo um humor absurdo porém inteligente, e não somente estúpido como vinha sendo) e, claro, se Mindy e Danny finalmente desencantarão e nos darão o prazer de vê-los segurando a barra de uma vida a dois.

Até a próxima temporada, pessoal!

Reações:

Sobre o Autor

 
Top