Comentários
Mariana Ribeiro Mariana Ribeiro Author
Title: [REVIEW] BATES MOTEL - S02E10: THE IMMUTABLE TRUTH [SEASON FINALE]
Author: Mariana Ribeiro
Rating 5 of 5 Des:
Depois de muita espera e ansiedade, Norman finalmente é resgatado. Fiquei surpresa, pois o que parecia que iria durar o episódio todo...


Depois de muita espera e ansiedade, Norman finalmente é resgatado. Fiquei surpresa, pois o que parecia que iria durar o episódio todo, já que tivemos muitos episódios enrolados, tomou somente o início do episódio. Romero, como sempre, aparece para salvar Dylan e dar um fim inclusive em Zane, o que já pretendia fazer a muito tempo, e finalmente viu uma oportunidade com a morte de Nick Ford. Assim, as mortes de Nick e Zane ficam parecendo parte de uma retaliação entre os dois grupos, levando, inclusive, Jodi embora, o que, convenhamos, não foi perda nenhuma para a série. Vemos então uma possível parceria entre Dylan e Romero, já que se abre uma lacuna com a morte dos dois grandes líderes da região. Dylan não aceita de início, mas com certeza isso ainda será tema para uma próxima temporada. 


Norman, por sua vez, sai da caixa em que estava preso com a certeza de que matou Blaire Watson, e diz isso para Norma, que como sempre, não aceita que o problema dos apagões de Norman é muito mais sério do que ela imagina. Romero insiste para que Norman faça o teste do polígrafo, mas como Norma não pode se ver separada de seu filho, planeja fugir junto com Norman e Dylan. Norma sabe muito bem que seu filho é um assassino, mas simplesmente não quer deixá-lo ir para um lugar onde não seja perigoso para mais ninguém, na verdade ela parece pouco se importar com quem ele mate, desde que não seja a si mesmo. Claro que de uma mãe extremamente protetora e que não estabelece limites para sua relação com o filho só poderia sair algo como isso. Inclusive Norma diz a Norman que se este morrer ela morre junto, pois são a mesma pessoa. Isso é comprovado ainda nesse episódio, pois Norman imagina uma versão de sua mãe que lhe diz que foi ela quem matou Blaire Watson, o que, na cabeça de Norman, o livra da culpa de ser um assassino. Assim, tudo é justificado para Norman, uma vez que ele acredita ser sua mãe quem fere as pessoas, e não ele. Porém, também não podemos esquecer que essa Norma imaginada é uma espécie de segunda personalidade de Norman, e o personagem carregará isso para sempre, inclusive no filme em que a série se baseia. Aqui vemos o início desse transtorno de dupla personalidade de Norman, que vem, em boa parte, da conduta de sua mãe para com ele, sendo que Norma pensa só estar protegendo seu filho, quando na verdade, faz mais do que isso, faz com que seu filho atribua suas próprias ações a outra pessoa, no caso Norma.


Outra coisa que não podemos deixar de lado é a cena da reconciliação de Norma com Dylan, o que foi muito legal da parte dela, que excluiu o filho por toda a vida. Também temos Emma descobrindo a verdade sobre Norma e seu irmão, o que a faz reconsiderar sua saída. Foi algo bom, pois Emma é uma boa personagem, e acredito que ainda há espaço para ela na série.

No geral, o episódio, diferente de alguns outros da temporada, saiu do ritmo de drama adolescente e se aprofundou mais na questão que realmente importa: a mente de Norman. Se aproximou, portanto, mais da história original, numa tentativa de explicar o que aconteceu com Norman, para que seu transtorno se agravasse tanto. Acredito que daqui para frente teremos muito mais a respeito dessa questão, ainda mais agora que Norman achou uma saída para se livrar de seus crimes. 
Reações:

Sobre o Autor

 
Top