Comentários
Dayane Andreatta Dayane Andreatta Author
Title: [REVIEW] FALLING SKIES - S04E01: GHOST IN THE MACHINE
Author: Dayane Andreatta
Rating 5 of 5 Des:
Olá, olá, amigos! Falling Skies voltou em ritmo de pirataria. O primeiro episódio desta quarta temporada vazou para o mundo em meados da...

Olá, olá, amigos! Falling Skies voltou em ritmo de pirataria. O primeiro episódio desta quarta temporada vazou para o mundo em meados da semana passada, mas já que aqui temos pessoas que apenas assistem coisas originais e não são afobados para assistir o episódio antes do lançamento oficial, estamos aqui, fingindo que somos boas pessoas.

Ghost in the Machine teve um ritmo bem introdutório, mais parecendo um começo de série do que de temporada, retomando pouco do que já aconteceu até agora e com um grande espaçamento de tempo sem explicação, o que já é tipico de Falling Skies. E não, isso não é uma coisa boa.

Mas vamos aos fatos. O episódio começou com a galera da 2º Mass muito animada subindo uma colina, a caminho de Charleston. É, eles realmente não resolveram seguir o conselho de Cochise e vir para o Brasil, e se ferraram. Ao invés de vir para esse pais tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza, seguiram de volta para Charleston. Sinceramente não sei o que eles esperavam da cidade, que não foi nada hospitaleira.

Como alegria de humano em apocalipse alienígena dura pouco, eles já sofrem ataque dos Espheni e, claro, sem a proteção dos Volm são facilmente derrotados e separados uns dos outros.

Quatro meses depois vamos vendo onde cada um dos personagens principais foram parar. Tom e Hal Mason, Pope e Dan Weaver ficão numa especie de "campo de concentração" dos Espheni, chamado Ghetoo, onde surpreendentemente não existem mais crianças com arreios trabalhando pra eles. Esse lugar é apenas uma concentração de humanos adultos confinados e brigando por comida, onde Tom tá dando uma de motoqueiro fantasma, tentando descobrir um jeito de sair dali.


Ben, Lourdes, Maggie e Lexi estão em "Chinatown", uma comunidade onde a destruição dos Espheni não conseguiu chegar. Um lugar muito estranho; geralmente locais com muita paz me assustam, porque nada pode ser tão tranquilo, nem mesmo sem uma invasão alienígena.

E sobre a Lexi, o que me dizem? Em quatro meses a criançinha morena virou uma adolescente loira, hippie, aparentemente influente e poderosa. Essa garota é um eterno mistério, e espero que nessa temporada possamos saber de fato o que ela é.

Matt ficou separado de todo o resto da 2º Mass, e um recrutamento onde as crianças são educadas para aprender coisas como o respeito a vida, a não se oporem aos Espheni e a seguir ordens. Outro lugar muito esquisito onde Matt já expressa o gene da revolução da família Mason.


Já a Anne, coitada, está mais perdida do que surdo em bingo. Ela lidera um pequeno grupo a procura de sua filha, Lexi, que ela imagina que ainda seja uma criança. Agora não sei o que eles vão fazer com aquele verdadeiro caminhão de crianças que eles acharam no meio do caminho. Confesso que até dei uma risadinha quando eles abriram a carga do caminhão e acharam um monte de mini-gentes.

Cochise, vulgo o amor da minha vida, voltou pra dar um "oizinho" para Tom Mason. Nada de mais. Serviu apenas para nos mostrar que os Volm ainda estão por aí, e poderão voltar.

Quanto a tecnologia Espheni temos 2 novas coisinhas: "Eye in the skie" que é uma nave - odeio a palavra nave, mas ok - que vigia os prisioneiros humanos. Temos também skitters evoluídos, que podem voar, chamados "Black Hornets", que são bem maiores que seus ancestrais.

E isso é tudo, pessoal. 

PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO:

Reações:

Sobre o Autor

 
Top