Comentários
Rafael Bürger Rafael Bürger Author
Title: [REVIEW] PENNY DREADFUL - S01E06: WHAT DEATH CAN JOIN TOGETHER
Author: Rafael Bürger
Rating 5 of 5 Des:
Depois de dois episódios destruidores, era hora de começar a recolher os cacos pelo chão e colocar tudo no lugar. Isso só para depois...


Depois de dois episódios destruidores, era hora de começar a recolher os cacos pelo chão e colocar tudo no lugar. Isso só para depois soltar uma outra bomba e mandar tudo pelos ares novamente. Isso na minha opinião é essencial em uma boa série, se ela para de te surpreender e ter reviravoltas incríveis é melhor começar a pensar em abandonar. É claro que essas reviravoltas precisam ser coerentes, pois se não fica algo nonsense e a impressão de enrolação.

- Marcado no Tarot: Sir Malcolm fica mais impaciente a cada episódio. O Mestre está cada vez mais perto de alcançar a Vanessa e eles cada vez mais perdendo o rastro para achar Mina. Porém Vanessa foi certeira. Ela consultou as cartas de tarot e a resposta veio, Mina estava nas docas de Londres. Observando as cartas que foram mostradas e depois de algumas pesquisas cheguei a vários resultados possíveis. O cinco de copas é uma carta de perda, mas não total alguma coisa continua lá; possível arrependimento de algo no passado; denota herança, patrimônio, mas de algo não bom. Já a Lua é uma carta ligada a solidez, ao lado negro que há dentro de cada um, simboliza os instintos e capacidade de premonição, confusão nos pensamentos e relacionamentos enganadores. Eu não sou nenhum cigano, ou especialista em Tarot, mas eu interpretei as cartas mais como um aviso para Vanessa, do que iria acontecer no final do episódio. Quando ela começou a escutar aquelas vozes, havia o som de um lobo rosnando, e a imagem de um porto, isso me levou a pensar no Ethan, já que a lua é comumente associada a lobos e lobisomens, além de ele estar hospedado perto do porto. E o último resultado é que pode ser que eu esteja errado sobre tudo isso, e as cartas signifiquem exatamente o que a Vanessa disse a Sir Malcolm.


- Submundo do Teatro: Calibã é um personagem inteiramente ambíguo, é impossível definir se você gosta ou odeia ele. Mas admito que a cena com Maud foi tocante. Ele desde o começo estava apaixonado por ela, mas sempre achou que não teria chance, afinal ele é feio e não é um companheiro que uma mulher como ela escolheria. Porém a conversa reacendeu as esperanças dele, afinal o irmão dela assim como ele tem uma feia cicatriz. Achei irônico o nome dele, Lucífer, é um nome bem sugestivo, talvez ele tenha algum envolvimento em uma trama futura, ou foi apenas uma ferramenta de ligação entre os personagens de Maud e Calibã.

- No Leito de Morte: O destino de Bronna está praticamente selado, cedo ou tarde ela irá morrer. Isso por que a tuberculose era considerada incurável na época, mesmo os institutos focados em tentar curar a doença nada podiam fazer, e acabavam como asilos onde a pessoa esperava a morte chegar. Sabendo disso ela logo pediu perdão a ele por o que havia acontecido no teatro, afinal ninguém quer morrer sozinho. O presente de Bronna para Ethan poderia passar totalmente despercebido em qualquer série, menos em Penny Dreadful. Aqui todos os pequenos detalhes são importantes, esse então... O medalhão é de São Judas, o padroeiro das causas perdidas, e não seriam todos nessa série causas perdidas? O resgate de Mina, A salvação de Vanessa, a vida de Victor, e a alma atribulada de Ethan.


- Hanna Wink: Esse foi um dos plots mais impressionantes do episódio, os outros tiveram surpresas mas eram surpresas que uma hora ou outra sabíamos que iria acontecer. Já Calibã matando o professor Van Helsing, nunca iria esperar. Ele foi embora tão cedo, tinha tanta coisa ainda pra desenvolver sobre ele, tanta coisa que ele poderia esclarecer. Pelo menos ele ensinou Victor as principais coisas que ele deveria saber sobre a raça dos vampiros antes de ser morto. Vampiros são mesmo bichos desgracentos, imagina como deve ser difícil você matar a pessoa que você ama, mesmo não sendo mais ela que está ali. Ah, não poderia esquecer que esse foi o plot que nomeia o episódio. "A vida não pode separar, o que a morte uniu".

- Navio: o trio formado por Ethan, Malcolm e Sembene saiu para uma nova exploração noturna. O que mais suspeito que um navio vindo do Egito e interditado por quatro meses devido uma doença misteriosa. Um clássico caso de "chicanice", como disse Malcolm. O Dicionário do DDS responde: "Chicanice: é o ato de trapacear, em uma ação judicial; fraude; trapaça.". Ou seja, alguém conseguiu tornar aquele navio em algo fantasma, ele está alí, mas ninguém sabe dizer o porquê ou para que. A explicação vem do plot do Victor, uma espécie de grupo de vampiros basicamente formada pelo Mestre (que no caso seria um tipo de Drácula) e suas "esposas". Eu realmente não sei o que esperar desse grupo, pois em Penny Dreadful é impossível de se ter certeza de algo, nada é o que parece. A cena foi de perder a respiração, e aquele ataque das "esposas" de repente. A série mostrou que além de saber fazer cenas de drama, terror e possessão muito bem, também arrasa nas de ação.


- Aventuras, Fotografias e Possessões: Assim que Dorian apareceu com o convite para levar Vanessa a uma aventura Sir Malcolm já ficou animado, ele mostrou bem que não confia nela. A aliança dos dois é algo apenas temporário pelo bem de Mina e nada mais, existem profundas feridas que separam os dois de algum tipo de relacionamento alem do de interesse comum. Vanessa aproveitou o momento para espairecer um pouco, afinal não é algo normal ter seu quarto invadido por um demônio que te procura compulsivamente. É interessante ver como as fotografias tinham um caráter místico no século XIX. Muitos tinham medo pois acreditavam que ela capturava a sua alma. Vanessa não, ela olhou diretamente para a câmera, o que denota bem o espírito aventureiro e corajoso dela. O jantar foi muito bom para entender os pensamentos tanto de Vanessa quanto de Dorian. Ela apresenta uma visão mais pessimista da vida, algo bem existencialista. Já ele apresenta uma visão de aproveite o momento, "somos seres divinos e poderosos, estamos acima dos problemas mundano". Dorian deixou a entender que tem o mesmo dom de Vanessa, mas não senti firmeza no que ele disse. É um personagem muito misterioso, que acho que demorará mais algumas temporadas até entendermos ele completamente. No final os dois liberaram seus desejos mais carnais. Porem Vanessa estava certa, existem coisas que não devem ser liberadas. Essa liberdade gerou uma reação em cadeia incontrolável que resultou na possessão do final do episódio. Final de matar mesmo, deixou todos loucos pelo próximo.

PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO: 

Reações:

Sobre o Autor

 
Top