Comentários
Rafael Bürger Rafael Bürger Author
Title: 10 MOTIVOS PARA ASSISTIR: DOWNTON ABBEY
Author: Rafael Bürger
Rating 5 of 5 Des:
Você com certeza já deve ter ouvido falar de Downton Abbey, seja pela sua presença constante em premiações ou pelos comentários de sua l...

Você com certeza já deve ter ouvido falar de Downton Abbey, seja pela sua presença constante em premiações ou pelos comentários de sua legião de fãs. E com certeza sempre ficou com aquela pulga atrás da orelha de "será que a série é tudo isso mesmo?". O objetivo do quadro é colocar mais 10 pulgas atrás dela e te convencer a finalmente começar a assistir essa maravilha do Mundo Moderno!

10 - DIREÇÃO DE ARTE

Fotografia, Cenografia, Figurino e Trilha Sonora se complementam perfeitamente na criação do ambiente da série. Algumas cenas são dignas de serem enquadradas e colocadas em museus. Isso já pode ser visto na primeira cena, um plano sequência lindo que acompanha o trajeto de um trem pelos campos de Yorkshire. Outro grande exemplo é a abertura da série, o tema musical é empolgante e um ícone da série, nela se seguem varias imagens da casa, mostrando que o grande personagem da série é a própria mansão de Downton Abbey.



9 - TEMPORADAS/MARATONAS

A série possui um modelo de temporadas mais curto e diferente do habitual. São 8 episódios por temporada, sendo o primeiro e último com 1 hora e os outros com 47 minutos, e ainda um Especial de Natal de 1 hora e meia, que serve como uma Season Finale para a série. Sendo assim as 4 Temporadas contabilizam no total 34 episódios. E é essa característica que faz da série algo muito fácil de maratonar. Você começa e 4 semanas depois ela já terminou, te deixou depressivo e se sentindo órfão novamente. Isso se você conseguir se controlar e assistir apenas 1 episódio por dia.



8 - JULIAN FELLOWES

O Barão Fellowes de West Stafford é o criador, roteirista e um dos produtores da série. Vencedor do Oscar de Melhor Roteiro Original, em 2001, por Gosford Park, também escreveu os roteiros dos filmes Jovem Rainha Vitória (2009) e O Turista (2010), e da minissérie Titanic (2012). De família nobre e casado com a sobrinha de um Conde, ele sabe muito bem onde está se metendo. E é essa segurança que faz do roteiro da série uma verdadeira jóia. Por exemplo, a esposa dele com a morte do tio e do pai não pode receber o título de Condessa, mesmo sendo a única herdeira, e essa impossibilidade das mulheres obterem títulos de nobreza é um dos principais temas abordados na série. Além disso a série tem um roteiro bem dinâmico e veloz em comparação a outras séries de época. Do primeiro episódio até o Especial de Natal da Quarta Temporada se passaram nada mais nada menos que 11 anos.


7 - IGUALDADE

Apesar de separados por um um jogo de escadas e milhares de Libras na conta bancária, os dois núcleos da trama - Família Crawley e Empregados - recebem de Fellowes a mesma atenção. Todos os plots são bons o bastante para terem vários minutos do episódio dedicados a eles, até mesmo o da ajudante da cozinha que todos desprezam. Então no final todos os personagens são muito bem explorados, e suas personalidades desenvolvidas tão bem que você sente que os conhece intimamente.


6 - FATOS REAIS

A série já começa com um dos fatos mais conhecidos da história contemporânea como pano de fundo, o Naufrágio do Titanic, a partir daí a série passa por fatos como a Primeira Guerra Mundial, a Gripe Espanhola, a Independência Irlandesa e o Plano Marshall. A presença desses fatos nos ajuda a entender como as pessoas daquela época reagiram e tiveram de se adaptar a essas mais diversas adversidades, além de ser uma ótima maneira de relembrar alguns conteúdos da aula de história.



5 - HIGHCLERE CASTLE

A série se passa inteiramente na propriedade dos Crawley que dá o nome a série, Downton Abbey, e que na vida real se chama Highclere Castle. O "Castelo" foi projetado pelo mesmo arquiteto do Parlamento Britânico - onde fica o Big Ben - e com a série se tornou um verdadeiro ícone. Eu como amante de arquitetura me delicio com as imagens, e as vezes me perco observando os detalhes do cenário. Eu com certeza não consigo ver uma locação melhor que esta para a série, a arquitetura é bem imponente e serve muito bem para transmitir ao telespectador a luxuosidade e o orgulho da nobreza inglesa do início do século passado - nessa época eles eram a maior potência mundial e o maior império da história. Com certeza meu ambiente favorito da casa é o imenso hall central, com suas arcadas góticas e a escadaria principal, é apaixonante. Mas não se preocupem, vocês não irão enjoar desse cenário, afinal a série também tem suas cenas gravadas na aldeia perto dele, e muitas vezes a família viaja para lugares como a Escócia, Londres e as praias do sul da Inglaterra.



4 - ELENCO INTEGRADO

A química entre eles é impressionantemente palpável, mesmo que os sentimentos fiquem escondidos por trás da máscara da etiqueta e regras da época. Todos os sentimentos ficam escondidos, mas mesmo assim nós conseguimos percebe-los, e eu acho que esse é o grande trunfo da série. Além disso é essa capacidade desses atores que fazem eles sempre figurarem nas premiações do Emmy e do SAG (Screen Actors Guild). Outro elenco que arrasa é o recorrente, aqueles atores que fazem participações em alguns episódios na temporada. Shirley McLane, Ian Glen (Jorah de GoT), Maria Doyle Kennedy (Sra. S. de Orphan Black), Theo James (Quatro de Divergente) e Rose Leslie (Ygritte de GoT).



3 - MAGGIE SMITH

A Atriz mundialmente conhecida por seu papel de Professora Minerva, em Harry Potter, é com certeza o grande destaque da série. Vencedora de 2 Emmys, 1 Globo de Ouro e 2 Prêmios do Screen Actors Guild, apenas pelo papel de Violet Crawley, a Matriarca da família. O personagem cai nela como uma luva, sempre se metendo nas decisões e nas mais diversas situações que a família passa. Nada escapa do seu conhecimento, muito menos da sua língua ferina. Ela com certeza tem os melhores diálogos da série, e uma extensa lista de frases épicas e tiradas cômicas (Uma delas inclusive foi copiada pela novela brasileira Lado a Lado). É a personificação da antiga Aristocracia Inglesa, orgulhosa, tradicional e com dificuldades de aceitar as mudanças da modernidade, e desse modo tem um papel centrar na crítica da série a sociedade da época.

2 - RECONHECIMENTO DA CRÍTICA

Downton Abbey possui no total 46 indicações ao Emmy, 8 ao Globo de Ouro, 12 ao BAFTA, 6 ao Premio Screen Actors Guild e 9 ao Premio Satellite. Dessas indicações a série levou 10 Emmys, 2 Globos de Ouro, 2 BAFTAs, 2 Premios Screen Actors Guild e 1 Premio Satellite. Sendo assim ela se tornou a série Britânica mais premiada nos Estados Unidos. No ano de sua estréia entrou para o Guinness (O Livros dos Recordes) como o programa televisivo mais aclamado pela crítica no ano, feito que Breaking Bad também conseguiu com a sua quinta e ultima temporada. E eu confesso que foi toda essa aclamação que me levou a assistir a série, e não me decepcionei nem um pouco. Aliás a audiência da série aumenta a cada ano, não só no Reino Unido, mas também nos Estados Unidos. Na exibição americana de sua terceira temporada foi contabilizada uma audiência geral de 24 milhões de espectadores, e apenas para termos uma noção, no mesmo ano a terceira temporada de Game of Thrones obteve uma audiência geral de 14 milhões de espectadores.


1 - PRODUÇÃO BRITÂNICA

Acho que nem precisava dizer mais nada. Séries Britânicas são sinônimo de qualidade, temporadas menores e aquele sotaque maravilhoso que eu amo e invejo. As vezes você passa meses indicando uma série para seu amigo, mas é só falar que ela é britânica que ele corre assistir. Parece que elas tem um feitiço, ficam escondidas da maior parte das pessoas, mas quando são descobertas elas te envolvem e te viciam completamente.

E aí, gostaram? Deu vontade de maratonar? Comentem!!!
Reações:

Sobre o Autor

 
Top