Comentários
Guilherme Souza Guilherme Souza Author
Title: [FILMES] REI LEÃO, O FILME QUE MARCOU GERAÇÕES
Author: Guilherme Souza
Rating 5 of 5 Des:
Na quinta-feira (24), o Rei Leão completou 20 anos de existência! Vocês acreditam nisso? Então, nada mais justo de que falarmos um pouc...

Na quinta-feira (24), o Rei Leão completou 20 anos de existência! Vocês acreditam nisso? Então, nada mais justo de que falarmos um pouco sobre esse filme que marcou a infância de muitas pessoas: 

Em 1988, durante uma viagem para a Europa para promover Oliver e sua turma Jeffrey Katzenberg, Roy E. Disney e Peter Schneider surgiram o tema de uma história ambientada na África, e Katzenberg imediatamente aproveitou a idéia. Ela foi então desenvolvida pelo Charlie Fink, vice-presidente das Relações Criativas da Walt Disney Animation Studio. Katzenberg decidiu acrescentar elementos que envolvessem a chegada da maturidade e da morte e idéias de experiências de vida pessoais, como algumas de sua vida esburacada na política, dizendo sobre o filme: "É um pouco sobre mim mesmo". Em novembro do mesmo ano, Thomas Disch (autor de A Torradeira Valente) escreveu um argumento intitulado King of the Kalahari,e, posteriormente, Linda Woolverton anos escrevendo rascunho do roteiro, que inicialmente foi intitulado rei dos animais e, em seguida, o rei da selva.

A versão original do filme era muito diferente da versão final. A trama foi centrada em uma batalha que está entre leões e macacos com Scar ser o líder dos babuínos. Rafiki ser uma chita e Timão e Pumba sendo amigos de infância de Simba. Simba também não iria deixar o reino, mas ia tornar-se um "personagem horrível desleixado, preguiçoso" devido a manipulações de Scar, então Simba seria derrubado depois de atingir a maioridade. Já pensou em um Rei Leão assim? Então em 1990, o produtor Thomas Schumacher, que tinha acabado de completar Bernado e Bianca 2, decidiu unir-se ao projeto, “porque os leões são legais". Schumacher comparou o roteiro de O Rei da Selva "a um animado especial do National Geographic”.

O Rei Leão passou por diversos diretores, inicialmente dirigido por George Scribnerde de "Oliver e sua Turma" sendo mais tarde acompanhado por Roger Allers, que era o principal revisor da história de "A Bela e a Fera" em outubro de 1991. Allers trouxe com ele Brenda Chapman, que se tornaria a chefe de história. Mais tarde, vários dos membros da equipe principal, incluindo Allers, Scribner, Hahn, Chapman, e o desenhista de produção Chris Sanders, fez uma viagem para Parque Nacional, no Quênia, a fim de estudar e ganhar uma apreciação do ambiente para o filme. Depois de seis meses de trabalho de desenvolvimento história, Scribner decidiu deixar o projeto, como ele colidiu com Allers e os produtores sobre a sua decisão de transformar o filme em um musical, como a intenção de Scribner foi de fazer um filme documentário como mais focado em aspectos naturais.

Rob Minkoff substituído Scribner, e o produtor Don Hahn se juntaram à produção como Schumacher tornou-se apenas um produtor executivo, devido à Disney promovê-lo a vice-presidente de desenvolvimento para o Animation Studios. Hahn encontrou o roteiro sem foco e sem um tema claro, e depois de estabelecer o tema principal como "deixando a infância e enfrentar as realidades do mundo", pediu um reequipe final. Allers, Minkoff, Chapman e Hahn então reescreveu a história através de duas semanas de reuniões com diretores Kirk Wise e Gary Trousdale, que tinha acabado de "A Bela e a Fera". O script também teve seu título alterado de Rei da Selva para o O Rei Leão, que a definição não foi à selva, mas um cerrado.

Diferente das outras animações da Disney, o Rei Leão foi o primeiro longa-metragem de animação da Disney com uma história original, em vez de ser baseado em um trabalho já existente. Ninguém sabe ao certo de onde O Rei Leão foi inspirado os cineastas disseram que a história de O Rei Leão foi inspirada pelas José e Moisés da Bíblia e Hamlet de Shakespeare e alguns dizem que é baseado em Kimba o Leão Branco. Para falar a verdade, desde aquele tempo ter uma ideia original era, na verdade é, uma coisa bem difícil de conseguir.

Durante o verão de 1992, foi adicionado á equipe o roteirista Irene Mecchi, com um segundo roteirista, Jonathan Roberts, juntando-se poucos meses depois. Mecchi e Roberts assumiu o comando do processo de revisão, correção de problemas emocionais não resolvidos no script e adicionando cenas para Pumba, Timão e as hienas. O letrista Tim Rice trabalhou em estreita colaboração com a equipe de roteiristas, voando para a Califórnia, pelo menos uma vez por mês, como suas canções se necessário trabalhar na continuidade narrativa. As letras de Rice - que foram retrabalhadas até ao final da produção - foram ainda precisas aos storyboards durante o desenvolvimento. Reescritas eram frequentes, como animador Andreas Deja que tinha completado uma série de cenas que foram precisam ser refeitas devido a mudanças de diálogo.


O desenvolvimento de O Rei Leão começou simultaneamente com Pocahontas, por isso, a maioria dos animadores da Disney decidiu trabalhar nele ao invés de no Rei Leão, acreditando que seria o mais prestigiado e bem-sucedido dos dois. Os artistas de história também não tinha muita fé no projeto, com Brenda Chapman declarando que ela estava relutante em aceitar o trabalho “porque a história não é muito boa", e o escritor Burny Mattinson dizendo ao colega de trabalho Joe Ranft sobre o filme que "eu não sei quem vai querer assistir a isso.” A maioria dos principais animadores ou foram fazendo o seu primeiro grande trabalho de supervisão de um personagem, ou tinha muito interesse em animar um animal. Treze desses supervisores de animação, ambos na Califórnia e na Flórida, foram responsáveis por estabelecer as personalidades e ajustar o tom para os personagens principais do filme. A animação principal dos personagens inclui Mark Henn animando o Simba (filhote), Ruben A. Aquino em Simba (adulto), Andreas Deja em Scar, Aaron Blaise em Nala (filhote), Anthony DeRosa em Nala (adulta), e Tony Fucile em Mufasa. Quase 20 minutos do filme, incluindo o "O que eu quero mais é ser Rei" foram animadas no Disney-MGM Studios. Em última análise, mais de 600 artistas, animadores e técnicos contribuíram para O Rei Leão ao longo de sua produção. Semanas antes de o filme ser lançado, a produção foi afetada pelo terremoto de Northridge em 1994, que desligou o estúdio e foi necessário os animadores terminar o seu trabalho de casa.

Os animadores de personagens estudaram animais da vida real para referência, como foi feito para Bambi em 1942. Jim Fowler, renomado especialista em vida selvagem, visitou os estúdios em várias ocasiões com uma variedade de leões e outros habitantes da savana para discutir o comportamento e ajudar os animadores dar aos seus desenhos uma sensação de autenticidade. As Terras dos Reinos são modelados sobre o parque nacional queniano visitado pela equipe. Distâncias focais variadas e lentes foram empregadas para diferir do retrato habitual da África em documentários - que empregam lentes teleobjetivas para fotografar a vida selvagem à distância. A sensação épica se inspirou nos estudos do artista Hans Bacher e as obras de pintores como Charles Marion Russell, Frederic Remington e Maxfield Parrish. Uma vez que os personagens não seres antropomorfismos, todos os animadores tiveram de aprender a desenhar animais de quatro patas, e o desenvolvimento da história e personagem foi feito através do uso de cenas mais longas seguintes personagens.

O Rei Leão é a décima nona maior bilheteria da história, a terceira animação com maior bilheteria de todos os tempos, perdendo apenas recentemente para Frozen - Uma Aventura Congelante e Toy Story 3.

Curiosidades:

Quando Scar está preparando seus exércitos de Hienas, a cena foi inspirada nas marchas nazistas;
O primeiro personagem da Disney a peidar foi o Pumba;
Na versão em português de Kakuna Matata, Timão e Pumba dizem "HaTUna", já que a Disney não queria que algum personagem seu falasse "Ku";
A cena com a Manada de Gnus demorou cerca de 3 anos e meio para ser animada;
Demorou 9 meses para converter o filme em 3D no mais recente relançamento aos cinemas;
Quando algum estúdio preparava mais de um filme por ano, a Disney costumava relançar sucessos nos cinemas para tirar o sucesso da concorrência, Rei Leão foi relançado diversas vezes nos EUA, mais recentemente em IMAX e 3D;
Rei Leão é o video caseiro mais bem vendido de todos os tempos, são mais de 55 milhões de copias vendidas.
E com 10 milhões, é a trilha sonora mais bem vendida também. Aqui no Brasil, toda a trilha sonora foi dublada, porém nunca lançaram um CD com a trilha em português.

Depoimento de Michelle Louise de como o filme marcou sua vida:

"Hakuna Matata. É lindo dizer.
Cresci assistindo Rei Leão e o tenho, até hoje, como um dos filmes favoritos e que marcaram minha –até agora- curta vida. É aquele filminho bobo que vai fazendo você pensar nas coisas, te dando pequenas lições de vida lentamente e gradativamente. Hoje, quando paro para pensar no filme, lembro que foi a primeira vez que eu odiei um personagem. Que eu chorei por uma morte de um personagem (quem eu quero enganar? Ainda choro toda vez por essa morte!). A primeira vez que eu shippei. Rei Leão foi a minha primeira vez em muitas coisas. Cresci com Simba, amei a Nala e ainda amo o Mufasa. E, para mim, ele é o melhor filme da Disney muito provavelmente porque além da história bem contada, com uma paisagem bacana e uma fotografia linda, fugiu dos padrões da “Casa do Mickey” que a Disney tinha mantido até então, se passando no meio da Savanna africana e nos fazendo entender que, algumas vezes, nós precisamos rir na cara do perigo. É o típico filme que, se tivesse cheiro, teria o cheiro de infância."

E aí, curtiram? Tem um depoimento também? Escreve aí nos comentários!

Fontes : O Rei Leão e Curiosidades sobre O Rei Leão
Reações:

Sobre o Autor

 
Top