Comentários
Giulia Barbosa Giulia Barbosa Author
Title: [REVIEW] AMERICAN HORROR STORY - S04E01: MONSTERS AMONG US
Author: Giulia Barbosa
Rating 5 of 5 Des:
"Only by entering will you learn its secrets" Primeiro episódio e já estou apostando que "Freakshow" terá a qualida...


"Only by entering will you learn its secrets" Primeiro episódio e já estou apostando que "Freakshow" terá a qualidade de "Asylum" e não de "Coven". Depois do trauma da última temporada, que tinha potencial para ser boa mas não conseguiram desenvolver, colocamos toda nossa esperança nas imagens de divulgação e nos teasers da nova, e vou lhes dizer que não fiquei decepcionada. "Monsters Among Us" juntou tudo que American Horror Story gosta: sexo, drogas, cenas bizarras, musicais e deu certo, sem aqueles desespero de apresentar todos os personagens de uma vez ou correr com a história, tudo se encaixou muito bem e nos deixou curiosos para saber o que virá em seguida.

ATENÇÃO: POST COM IMAGEM DE PALHAÇO!

Conforme os personagens foram sendo apresentados, uma relação de pena e interesse começa a nascer. Apesar de todos os freaks serem muito legais (inclusive a menor mulher do mundo, Jyoti Amge, que foi a coisa mais fofa do episódio), é impossível não perceber o destaque das gêmeas siameses Bette e Dot (Sarah Paulson), e do rapaz Darling com as mãos defeituosas (Evan Peters). As gêmeas, por mais clichê que pareça, são o oposto uma da outra. Enquanto Bette é romântica e sonhadora, Dot encara a realidade que estas vivem, se tornando amarga e desconfiada de tudo. Graças a essa diferença, seu plot acaba sendo um tanto surpreendente quando descobrimos que a morte da sua mãe foi causada pela Bette em um momento de angústia pela prisão que elas vivem, e que Dot que tenta matar a irmã, mesmo que isso pareça suicídio. O que para elas parece um pesadelo, para Elsa Mars  (Jessica Lange) é a esperança de salvar seu show e trazer para ela, a fama que sempre sonhou.


Já Darling é o "personagem revolucionário", que entende a situação que vive mas não a aceita. Uma das coisas que eu mais gostei do episódio foi a relação que criaram - pelo menos no inicio - de "nós parecemos monstros, mas não somos" e o que o levou a matar o detetive foi influencia do meio, as injustiças que todos sofrem representadas pelo preconceito e desconfiança, representada pelo casa das gêmeas, que mesmo sem todas as provas, foram acusadas baseado no "elas parecem com um monstro" (elas mataram mesmo, mas isso não vem ao caso). É claro que isso terá consequências, mas será que não é isso que chamará a atenção do publico para a Fraulein Elsa’s Cabinet Of Curiosities? 


Simultaneamente a isso, tem o plot  do palhaço assassino - para quem tem fobia de palhaço, fica mil vezes pior-. Existe esse palhaço totalmente bizarro, com uma máscara que mais parece que seu rosto foi rasgado e um tanto quanto psicótico, que mata famílias e sequestra pessoas para assusta-las. De inicio, parecia que não seria nada relevante, mas no final com ele assistindo a matança, vimos que talvez ele se torne um personagem crucial para a história.



Apesar de todas as qualidades, o episódio foi sim um pouco fraco para uma premiere. Mas creio que seja uma forma de acertar os erros de "Coven", que começou totalmente frenético e jogando personagens avulsos. Acredito muito no potencial dessa temporada, os efeitos estão muito bons, a abertura me dá vontade de chorar está bem medonha, sem contar a atuação dos personagens, principalmente a Sarah Paulson interpretando as duas gêmeas. Estou louca para saber mais do papel da Emma Roberts e para o desenrolar da história. E que venha mais uma bizarra temporada de American Horror Story!

PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO:





Reações:

Sobre o Autor

 
Top