Comentários
Rayssa Rayssa Author
Title: [REVIEW] THE BLACKLIST - S02E03: DR. JAMES COVINGTON
Author: Rayssa
Rating 5 of 5 Des:
Para sobreviver é preciso compreender as pessoas. Tanto os amigos quanto os inimigos. Começo a review com esta fala porque para mi...

Para sobreviver é preciso compreender as pessoas. Tanto os amigos quanto os inimigos.

Começo a review com esta fala porque para mim, em "Dr. James Covington" Liz e Red demonstraram extrema compreensão de tudo o que estava acontecendo.

Primeiro, que quando a história do Porto da Indonésia apareceu, achei que Raymond estava utilizando argumentos muito superficiais para convencer o sindicato. O investimento parecia arriscado e caro, algo extremamente irresponsável. E por isso tive certeza de que ele tinha intenções por trás de toda a negociação. Porque não é da natureza de Reddington ser desleixado. 

Inicialmente achei que ele estava apenas testando seus parceiros.


Tanto é que a facilidade com que ele acreditava em Niko soava muito estranho. Mas eu não tinha imaginado que toda a história era armação do Red. Simplesmente achei que ele já estava antecipando uma traição e tinha se preparado para isso. Só que eu, mera mortal, nem pensei que o mestre Raymond estava já passos na frente de todos: tanto do sindicato, quanto de Niko e do próprio telespectador.

Foi uma surpresa bem agradável e serviu para nos lembrar o quão frio e calculista Red pode ser. Porque o fato de acharmos o personagem maravilhoso e termos desenvolvido carinho e afeto por ele, nos faz esquecer desta outra face de Raymond.

Ainda mais quando percebemos que a pista do Dr. James Covington foi intencionalmente entregue à Liz. Exatamente para servir aos seus interesses. É claro que já tínhamos compreendido isto antes, mas adorei como o episódio deixou muito claro como Red manipula tudo e a todos de acordo com suas intenções e necessidades.


Quanto à Liz, o diálogo final que ela teve com Navabi foi sensacional. Porque demonstra que ela finalmente acordou para a realidade e agora compreende Raymond melhor do que todo mundo. Ele sempre tem um interesse oculto e as coisas só acontecem porque ele quer e quando ele quer.

E o fato da personagem estar mais lúcida, torna a trama muito mais interessante. Porque contribui para aumentar sua paranoia e obsessão e deixa Liz mais imprevisível.

Tanto é que a cena inicial, com Tom, foi maravilhosa! Eu quase gritei de alegria. Mas a medida que o diálogo ia acontecendo eu fui achando que o Tom estava descuidado demais e isso era estranho. Tipo, até agora os roteiristas estão brincando com o fato do Tom estar ou não vivo, embora todos saibamos (ou esperamos) que ele esteja mais vivinho da silva que todos nós. Logo, ele simplesmente entra no quarto da Liz assim?


P.S.: Adorei a barba!

Mas foi exatamente esta cena que serviu para me lembrar o que continua me incomodando na Liz: como essa mulher está aguentando viver com tantas dúvidas e perguntas? Porque ela não confronta Red? Porque se fosse eu, já tinha colocado Raymond em uma salinha escura e só ia deixar o cara sair até me explicar tudo.

É claro que a série precisa deste mistério para conduzir seu procedural, mas soa estranho, sabe? A mulher dorme com uma arma engatilhada e ataca estranhos que ela suspeita que estejam seguindo ela. Tipo, ela precisa de respostas mais do que nós.

E o pior é perceber que você está recebendo conselhos e sendo repreendida por Ressler. Porque aí sim você está no fundo do poço.

E a história com a criança no meio da cirurgia serviu exatamente para deixar claro que estamos diante de uma nova Liz. Ela agora não segue regras cegamente. Ela desconfia e suspeita. Ela esconde informações e fontes. Liz não confia mais em ninguém. E neste ponto reside o grande crescimento da personagem. Estou adorando essa Elizabeth 2.0. Por isso deixe ela em paz, Harold, ela está melhor que nunca!


Quanto ao caso envolvendo o Dr. Convigton, eu acabei gostando bastante. Exatamente porque demonstrou ser algo a mais. Não se tratava de uma mera venda de órgãos clandestina. O fato de ser um mero aluguel foi outra ótima sacada do roteiro, que deu ao assunto uma nova perspectiva e fugiu do padrão. E outra, mais alguém aqui acreditou na filantropia do médico? Ah ta, você fez tudo isso para ajudar crianças. Nossa, você é um médico bonzinho demais. Alguém mais ficou se perguntando se ele cobra aluguel dos órgãos transplantados àquelas crianças também?

E terminamos o episódio com a cena envolvendo a ex Sra. Reddington. E eu fiquei sem entender nada! O que está acontecendo, meu Deus?! Ela sabia que o Red foi o responsável pelo o seu resgate? Ela sabia que ele estava vindo? São perguntas demais, mas pelo promo imagino que teremos a continuação desta cena semana que vem.

E você, o que achou de "Dr. James Convigton"?

Obs: Achei esta imagem do episódio com o Red e achei o máximo!


"Valorize a lealdade acima de tudo"

Obs: Vocês devem ter percebido que eu mudei o tom da review. Cheguei a conclusão que eu estava implicando demais com The Blacklist e passei a tentar analisar o que estava sendo apresentando ao invés do que eu queria ver. E olha, acabei apreciando bem o episódio depois que fiz isso.

Obs: Existe alguém mais inútil que Navabi? Tipo, ela vai ficar fazendo só figuração e deixando Aram sem graça?

Obs: E o cara do motel? Será que ele é um vilão, alguém mandado por Berlin ou por Tom?

Obs: Você acha que nós, fãs de The Blacklist, temos algum problema por gostar tanto de psicopatas e criminosos, como Red e Tom? Estou ficando preocupada!

Obs: Mais Tom, please!

PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO

Reações:

Sobre o Autor

 
Top