Comentários
Michelle Louise Michelle Louise Author
Title: [REVIEW] CASTLE - S07E04 & S07E05: CHILD'S PLAY/ MEME IS MURDER.
Author: Michelle Louise
Rating 5 of 5 Des:
Olha quem resolveu aparecer?! Não, gente. Eu não desisti das reviews de Castle. Vou me explicar porque até boatos de que eu estava sain...

Olha quem resolveu aparecer?! Não, gente. Eu não desisti das reviews de Castle. Vou me explicar porque até boatos de que eu estava saindo do DDS estavam surgindo. Então, como muitos sabem – outros não- eu faço faculdade e foi um período conturbado (sendo bem simpática), mas agora conseguirei manter a série em dia. Outro questionamento feito: sim, as reviews de OUAT estão em dia porque a série passa no domingo a noite, logo, eu consigo assistir no dia, Castle passa na segunda e qualquer dia durante a semana complica as coisas para mim. Enfim, acho que agora as coisas tendem a melhorar e bora pra essa review que vem dupla!

S07E04 – CHILD’S PLAY

Não posso deixar de comentar a facilidade com que os produtores e escritores de Castle sabem dosar no humor, no drama, no suspense e no amor dentro da série. O episódio de semana passada veio com aquela pitada bem “Castle” no episódio. As cenas familiares tem tomado um espaço cada vez maior dentro da série ao mesmo tempo que os casos continuam uma delícia de assistir e sempre, de alguma forma, com algo novo na receita para que nós, os degustadores dessa série deliciosa nunca possamos enjoar dela.


O laço familiar que vem sendo construído entre a Família Castle e Beckett desde sempre, mas principalmente desde a quinta temporada fica claro como na cena que temos no começo, um Castle sendo paparicado – e se aproveitando muito disso- e uma Beckett ao seu lado podendo ter a chance, até mesmo, de se surpreender com o gosto do sorvete. São esses pequenos momentos que fazem Castle se manter na sua linha de série família e sem pesar na dose. 

Quando o caso começa descobrimos que Anton (é muito feio lembrar do gigante ou eu preciso parar MESMO de ver OUAT?)  vendedor de sorvete e estudante de design gráfico foi assassinado, seus projetos deletados e, então, uma ligação com um policial entra em cena. O poblema é que, cada suspeito que surgia era encontrado morto também. E então, Castle passa a usar sua marca registrada da surpresa para que o episódio que tinha tudo para ser morno, tenha um “Q” especial. Uma testemunha havia presenciado o assassinato, mas não qualquer testemunha, uma criança.

E eu não posso dizer o quanto me diverti vendo a nossa eterna criança parando de correr atrás de açúcar e passando agora a tentar ganhar a confiança de outras crianças para descobrir quem era a misteriosa testemunha ocular. Você já foi criança, assim como eu, e sabe como crianças podem ser criaturas assustadoras ao mesmo tempo que podem ter uma doçura dentro de si que mal cabe no mundo, porém, se elas se sentem ameaças ou com medo, elas se fecham e apenas para alguém em quem confiem é que elas irão se abrir. Castle e seu lado que nunca cresceu foram essenciais para a conclusão do caso e eu não posso deixar de mencionar a sorte de Alexis por ter tido um paizão desses, no seu sentido mais literal da palavra.

Mas Castle criança entra em cena, fazendo caretas, se vestindo de princesa, arrumando confusão com as crianças erradas e, ainda por cima, tem de ouvir comentários maldosos sobre seus livros! Tsc tsc, pobre Castle!

Depois de muito lutar com as crianças e tentar vários artifícios para descobrir que era a testemunha, Castle consegue a informação. Mas o mais fantástico desse episódio foi observar como, para as crianças, tudo toma uma proporção gigantesca, como um menino puxando seu cabelo e pisando no seu pé de propósito, e que quando elas encontram alguém em quem confiam e podem contar as coisas que estão acontecendo, elas se abrem. Kate, pode ficar tranquila porque Castle saberá como criar e entreter lindamente os três filhos de vocês. 

Entre mortes e máfia russa entrando em jogo, temos mais momentos família quando Alexis retorna para a série. E retorna de forma obsessiva e não posso dizer que a julgo. Ela ainda não está sabendo lidar com o sumiço durante dois meses do pai e acho isso perfeitamente compreensível. Os dois são e sempre foram extremamente grudados deve ter sido terrível para a Alexis passar esse tempo todo sem noticias. Alias, na review sobre isso eu comentei apenas da Kate e esqueci completamente da Alexis (não que eu me sinta culpada porque ZzZzZzZ) e do quanto ela deve ter sofrido. Foi importante Castle, mesclando o lado sério e brincando de ser adulto, lembrá-la de como ele ficou lá em Hunt, quando ela havia sido sequestrada. Eu adoro quando eles fazem isso, trazem algo que aconteceu a bom tempo no contexto da série mostram as marcas que o passado deixa no presente e no futuro. Às vezes é difícil olhar para frente sem pensar no passado ou nas cicatrizes que a gente carrega junto no peito.

O episódio mesclou o leve e o drama como sempre e na fórmula que a série tem uma receita pronta e que não falha. E eu ainda me questiono como tem gente que não gosta desse mundinho particular que só quem é fã entende.

S07E05 – MEME IS MURDER

E se o episódio passado foi leve, esse veio em carga explosiva mostrando todos os efeitos e consequências de algo que vemos com bastante frequência: o cyberbullying. É uma pena esse episódio ter caído na review dupla porque não terei espaço suficiente para abranger o tema que eu julgo como importante, pertinente e extremamente atual.

Uma coisa Kate estava certa. Na internet as coisas fogem de controle e tudo que você diz, fala ou posta, se torna realmente viral e se espalha numa velocidade incrível. Expor a vida na internet não é muito seguro, saudável ou correto mas dá Ibope, as celebridades da internet estão ai, acessíveis a quem quiser vê-las, basta ligar o computador.

Quando uma celebridade da internet é morta, eu não esperava que o caso fosse tomar as proporções que tomou e, sinceramente, eu adorei esse episódio que eu achei muito bem construído e bem desenrolado, dando todo o clímax que o caso pedia.


Esse não foi um caso como no anterior, onde em meio ao caso você conseguia rir, os momentos de riso foram o inicio e o fim do episódio, o restante foi para você prender a respiração, focar no caso, torcer para que Kate conseguisse arrancar as informações que precisava e para pensar: o que eu posto na internet, toma quantas proporções?! Eu mesma, escrevendo essa review, estou me expondo e expondo meu ponto de vista sobre as coisas. Eu, Michelle, e vocês também se expõe diariamente nas redes sociais, porém, é preciso sim parar e pensar no que se expõe. 

Muito semelhante ao que ocorre no filme “Sem Vestígios” o assassino coloca duas pessoas disputando entre a vida e a morte na internet e quem decide? O sadismo das pessoas. Sim, isso mesmo. Infelizmente crueldade e sadismo acompanham a vida das pessoas e elas gostam de ver outras se dando mal. E é bem fácil perceber isso quando vemos a bilheteria e a audiência de filmes/séries que quase fazem sangue jorrar da tela da TV.

Fato é, as pessoas gostam de estarem no controle e gostam de ver o outro em situações complicadas porque é fácil ver de fora. Colocar duas pessoas para morrer e a que tiver mais likes sobrevive é medonho, mas eu não duvido que se isso realmente acontecesse, as pessoas fariam. E isso sim me assusta. A série é ficção, mas a ficção proposta nesse episódio não foge da realidade.

A internet te oferece uma arma poderosa chamada anonimato, onde muitos se aproveitam para fazer o que bem entendem por se julgarem em tal direito. E o anonimato que essa rede de comunicação propicia, como a própria Beckett afirma, que covardes sejam valentões. Ofender, machucar ou praticar cyberbullying fica fácil e impune, muitas vezes, por causa disso.


Saindo da sessão reflexão, vamos rir um pouquinho das coisas que são só um pontinho do espaço continuum da internet? Não, Castle não passou imune. Ao querer divulgar seu livro com um web comercial, Chrichard Rastle. teve que aguentar seu comercial gravado com tanto carinho virar um remix e se espalhar mais fácil que fofoca na internet. Isso já me valeu o ano. Ver a família toda rindo descontraída depois de um caso destes foi tão lindo de se ver que acho que até o Castle vai esquecer o pequeno mico que vai pagar por um bom tempo na internet.

Esse foi um caso que nos fez pensar mais do que tudo. Pensar no que fazemos e no quanto a internet nos expõe e do como devemos nos portar nela. Vale lembrar que uma vez postado, as coisas se espalham e ficam fora de controle. Então, amiguinhos, vamos pensar  bem no que fazemos e... For a spine tingling, bone chilling adventure – Raging Heat.

PS1: Eu escrevi essa review 4 vezes porque meu computador  estava dando problema toda vez. Então, cês podem imaginar como eu estou feliz...talvez não.
PS2: Desculpem mesmo pela demora e pela review dupla ( e curta). Não vai se repetir.
PS3: A CARINHA DA KATE NA ÚLTIMA FOTO <3
PS4: Durmam com a música na cabeça.
PS5: O QUE É ESSA PROMO?! ALGUÉM ME SOCORRE, SOS!

PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO


Reações:

Sobre o Autor

 
Top