Comentários
Rafael Bürger Rafael Bürger Author
Title: [REVIEW] DOWNTON ABBEY - S05E04
Author: Rafael Bürger
Rating 5 of 5 Des:
Sempre fico chocado que as temporadas de Downton Abbey passem rápido demais. Parece que ontem mesmo estava desesperado pela Quarta Tem...


Sempre fico chocado que as temporadas de Downton Abbey passem rápido demais. Parece que ontem mesmo estava desesperado pela Quarta Temporada após a morte do Matthew, e olhe só já estamos na metade da Quinta Temporada. Continuando a olhar para trás, na minha opinião esta está sendo a temporada em que as mudanças e reviravoltas estão mais evidentes. Na minha opinião a "fatídica" Quarta Temporada fechou um ciclo, e agora essa Quinta inicia outro. Os plots parecem estar com novos ares, e muitos dos costumes e regras estão diferentes dos das outras.

Acho demais o destaque que a série dá para os personagens da "terceira idade", e estou gostando desse foco maior que o habitual que o Julian Fellowes deu a eles nessa temporada. São poucos os plots de destaque que os atores mais veteranos conseguem hoje em dia, tanto na tv quanto no cinema. Violet já era um personagem sensacional, mas nesta temporada ela tem se tornado cada vez mais interessante. Após descobrirmos o lado "Sra, Bennet" dela, descobrimos um lado totalmente inesperado nos dois últimos episódios. Acho que nunca esperaria dela um caso com um Príncipe Russo, mas essa história veio a calhar dentro da proposta da série. A Condessa Viúva passou até aqui todo o tempo pairando acima das situações e desventuras da série. Sua vida era basicamente controlar e direcionar cada um dos membros da família, e até de quem não fazia parte dela (vide Sr. Molesley, Dr. Clarkson e Isobel). Porem agora ela tem de se conformar em ter um caso próprio para cuidar, além de ser pauta nas conversas da mesa de refeições.


Ai... ai... esse triangulo amoroso da Mary não ata nem desata. Tudo bem que eu fiquei feliz de ela ter dado uma desistida do Gillingham, mas ta na hora de dar uma resolvida nesse caso. Foi interessante perceber que os desfiles de moda atuais continuam tão excêntricos quanto os de 90 anos atrás. E Charles Blake garantiu seu lugar como shipp preferido da Mary após essa cena. Ele se mostrou mais leve e descontraído, e o que dizer da ironia dele de apresentar a a ex-noiva do Gillingham para a Mary. Enquanto uns eu passo a gostar mais a cada episódio o outro fica mais chato. Acho que ela não tem um pretendente tão chato e obsessivo desde o Richard Carlisle, interpretado pelo Ian Glen, o Jorah de GoT, que não sai da friendzone nem nas participações especiais que ele faz.

Enquanto alguns relacionamentos florescem, outros entram em crise. Acho que o final do casamento do Shrimpie com a Susan era questão de tempo, aquela mulher é terrível! Ela e a O'Brien se merecem. Mas um outro casamento parece caminhar para o seu fim. Robert nunca foi um personagem muito carismático, e por várias vezes ele e Cora discordaram no pensamento. Porem com o tempo foi passando, essas pequenas discordâncias foram acumulando, e um clima ruim se instalou entre eles. É palpável que ela não aguenta mais ser colocada de fora das decisões, e isso era um sentimento não só dela mas de muitas mulheres durante os anos de 1920. Tudo só piorou com a discussão e a ceninha que o Conde fez quando pressionado pela professorinha, "namorada" do Tom. E falando no Tom, esse está sofrendo com uma baita de uma dúvida. Ele terá que mais cedo ou mais tarde escolher um lado, e espero que ele escolha ficar em Downton.


Outra que sofre, é a Maria do Bairro... digo, é a Edith. Essa moça ultimamente é só desgraça. Acontece sempre a mesma polêmica, a mãe da o filho para uma família cuidar, mas depois quer ela de volta. É impossível, uma mãe sempre será uma mãe e sempre amará o seu filho. Seja ela do andar de cima, ou do andar de baixo (vide Ethel). Amei a relação que eles fizeram com a morte do Michael a tentativa de revolução de Hitler e os Camisas Pardas. Aliás, sempre amo as pequenas referencias que os personagens fazem a eventos históricos importantíssimos, e o pequeno valor que eles dão para eles, como se fossem apenas fatos, onde não se sabe o que irá gerar no futuro.

No andar de baixo tudo ficou relativamente calmo. Eu digo relativamente, porque quase ocorreu uma Revolução Gloriosa nas palavras da Sra. Patmore. Ela andava muito abalada por causa do sobrinho, e fiquei feliz que a Daisy tenha se oferecido para escrever uma carta por ela ao Ministério da Guerra. Daisy aliás está se desenvolvendo intelectualmente muito bem, finalmente aquela garota assustada está se tornando uma mulher  de opinião. Essa doença do Thomas está muito misteriosa. Primeiro era o pai dele quem estava doente, porem depois descobrimos através da Baxter, que era ele quem estava doente. Varias teorias surgiram: ele estaria tentando se curar de sífilis, aids e até de sua homosexualidade. Eu não sei qual teoria seria a mais certa, irei pagar para ver. Outra situação que eu irei pagar para ver é a resolução do caso da morte do Sr. Green. Agora até a Anna virou suspeita, é claro que não foi ela, mas nunca se sabe. Logo, logo a policia chega ao Bates, e eu espero que não tenha sido ele realmente.


Audiência do Episódio:
Reino Unido: 10.245 milhões de domicílios.
Reações:

Sobre o Autor

 
Top