Comentários
Mariana Ribeiro Mariana Ribeiro Author
Title: [REVIEW] FAMILY GUY - S13E01: THE SIMPSONS GUY
Author: Mariana Ribeiro
Rating 5 of 5 Des:
Começando uma nova temporada tivemos um ótimo crossover que além de divertido, colocou um ponto final entre as supostas similaridades ...

Começando uma nova temporada tivemos um ótimo crossover que além de divertido, colocou um ponto final entre as supostas similaridades entre ambas as séries. Digo isso, pois como visto durante o episódio, que dessa vez foi mais longo – fato que inclusive gerou uma piada por parte de Peter – nos mostrou as grandes diferenças que existem entre The Simpsons e Family Guy, tudo de maneira cômica e bem elaborada. Sim, o episódio desse início de temporada realmente trouxe algumas boas risadas, algo que não conseguíamos em Family Guy há algum tempo.

Assim, como não pode deixar de ser, o episódio já começa com certa ironia aos crossovers, que seriam mais uma jogada de marketing do que união de tudo que há de melhor em duas séries diferentes, isso segundo o que notamos na fala de Chris quando a família assiste o crossover de Modern Family e All In The Family. E também, como é típico de Family Guy, Peter mais uma vez coloca a família inteira em perigo, após uma tirinha machista que escreve para um jornal. Aqui já vemos que muitos recursos típicos da série são inseridos logo no começo, para que depois sejam contrastados com elementos de The Simpsons


Após fugir de Quahog, se perder e ter o carro da família roubado em Springfield, Peter encontra Homer e a identificação das personagens é quase que imediata. Já Stewie e Bart não se dão muito bem, obviamente por causa do gênio psicopata de Stewie, que acaba assustando Bart. Esse momento foi muito interessante por mostrar exatamente o diferente tipo de humor que envolve cada  uma das séries. Mais algumas diferenças foram as frases de efeito de Bart e Stewie, Eat my Shorts e What a Deuce respectivamente, além da maneira com que Stewie lida com valentões que o desafiam, que vem a ser o extremo oposto de Bart. 

Outro momento muito bonito foi o da relação entre Meg e Lisa, em que esta acaba tendo que admitir que Meg toca o saxofone tão bem quanto ela. Ao contrário dos outros personagens, essas duas se deram muito bem, acredito mesmo que foi pelo fato de que Lisa é uma menina valorizada por seus dons, enquanto Meg é menosprezada por sua família. Claro que vemos diferenças entre elas, e vale ressaltar mais uma vez a diferença entre o humor pesado de Family Guy e o de The Simpsons, principalmente no momento em que Meg revela seus problemas para Lisa, que convenhamos, são bem depressivos e intensos. 


Vale ressaltar mais algumas partes do episódio: a cena do tribunal, no momento em que o juiz fala da imitação da cerveja Duff pela Pawtucket, em que, simultaneamente, vemos closes dos personagens de ambas as séries sendo comparados, o que mostra a similaridade da forma em que ambas são construídas. Porém, os detalhes que cercam cada personagem são diferentes, como fica evidente entre Brian e Santa's Little Helper e assim vemos que as séries não se excluem por seguirem o mesmo padrão em alguns sentidos, mas se complementam nas suas diferenças e atendem aos mais diferentes tipos de telespectadores.  

Alguns aspectos típicos de Family Guy como uma dança sensual de Homer e Peter lavando carros, isto é, cenas insólitas, o Kool-Aid e a famosa chicken fight voltaram com tudo, e devo dizer, muito bem produzidas. Outras piadas envolvendo trocas de farpas como os emmys de The Simpsons sendo arremessados em Peter e a piada com a água da cidade que deve estar dando hepatite nos moradores de Springfield também surgiram. Stewie tentando superar Bart e escrevendo isso na lousa – referência direta à abertura da série The Simpsons – também chama a atenção em meio a todas as outras situações que cercaram esse episódio. 

Em geral, acredito que a série iniciou a temporada muito bem, claro que isso se deve em parte ao crossover, mas o nível ainda pode subir mais nos próximos episódios, tendo em vista as piadas e trocadilhos desse primeiro momento. Confesso que apesar de não assistir muito The Simpsons foi adorável ver ambas as séries, que têm sido comparadas há muito tempo já - creio que desde o início de Family Guy – conviverem em um mesmo episódio, que foi muito sutilmente elaborado, sem forçar a barra e sem muita enrolação. Com certeza foi memorável, senão épico. 
Reações:

Sobre o Autor

 
Top