Comentários
Ayla Aguiar Ayla Aguiar Author
Title: [REVIEW] FOREVER - S01E04: THE ART OF MURDER
Author: Ayla Aguiar
Rating 5 of 5 Des:
“ As lembranças boas, são essas que doem mais. ” O caso da semana nos traz o assassinato da matriarca de uma família importante em ...

As lembranças boas, são essas que doem mais.

O caso da semana nos traz o assassinato da matriarca de uma família importante em NY, a qual foi morta em uma festa beneficente do museu que a família sempre beneficiou. E esse foi mais um episódio em que faz pensar um pouco na vida, se você não aproveitar o momento, e ficar pensando no futuro, pode acabar perdendo as coisas mais importantes.

E logo no início, quando a Jo vai com o outro detetive ver a cena do crime e o Henry não foi, é de se estranhar, certo? Certo! E o motivo do legista de não ir a cena, foi de que ele tinha lembranças que queria manter enterradas, pois ainda doíam. E gente, amei ver a Jo com raiva, e o outro legista que trabalha com o Morgan é que teve que cuidar da cena. E o interessante é quando ela vai perguntar pra ele o porquê dele não ter dado as caras, ele fala o porquê e ainda rola uma pequena cena fofa, como se ele conhecesse a vitima.


Sobre isso, quando mais jovem, a vitima conheceu o Henry, em um outro evento beneficente, ele entrou “de gaiato” na festa com a Abgail, e acho que a dona da festa sabia de algum modo, mas deixou os dois lá dentro por motivos de: ela queria aquilo para ela, o amor envolvendo os dois, o momento maravilhoso, e a alguns anos ela não tinha isso com o marido.

Em relação a investigação: quanto mais se descobriam as coisas, mais eu jurava que tinha sido ou o filho dela, ou a mulher que ajudava a cuidar da senhora. Pois os dois tinham motivos para tal. Só não imaginava a virada sensacional do caso. A senhora, que todos diziam ser uma megera e que ninguém gostava, e ela dava motivos para tal, sendo um punho de ferro na empresa e no museu, acabou por ser uma pessoa totalmente diferente por dentro. Só que ela acabou guardando pra si, pois quando era jovem, ela se apaixonou por um pintor e tinha até um quadro dele no museu. Só que o marido dela ameaçou arruinar a vida do pobre caso ela não o deixasse. 



Ela tinha alguém especial, tinha uma pessoa a quem amar, só que lhe foi arrancado brutalmente por uma pessoa egoísta e que só pensou na reputação familiar. E o filho dela no final do episodio falou que a mãe dele nunca perdoou o marido, e ele por consequência nunca a perdoou, e acho que por que ela se afastou da familia, não dando a devida atenção e deixando o filho aos cuidados de uma pessoa que não lhe dava atenção e o devido amor.

Ou seja, nunca deixe escapar alguém que você ame, mesmo que isso dure pouco. Mas durou o suficiente para lhe fazer feliz, para lhe arrancar sorrisos, suspiros, e boas lembranças que carregaremos para a vida. E se durar uma vida: melhor ainda. 

P.S: Uma coisa rápida: eu to super curiosa sobre a Abgail, a mulher que o Henry sempre foi apaixonado. As respostas sobre ela tão vindo quase de jegue, e já quero saber mais sobre o que diabos aconteceu com ela. 

P.S²: Mas ainda to shippando ao infinito e além ele e a JO. Cara, eles dois combinam apenas demais pro meu coração. Dão tão certo. A Jo é uma linda e fofa e o Henry é todo amorzinho. 

P.S³: Alguém, pelo amor de Cristo, dá um celular pro Henry. Pra ontem! Mas não nego: me acabei de rir ele pedindo toda vez o celular da Jo ou da chefe dela. Gente, da chefe dela! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Reações:

Sobre o Autor

 
Top