Comentários
João Carlos João Carlos Author
Title: [REVIEW] LAW & ORDER: SVU: S16E05 - PORNSTAR'S REQUIEM
Author: João Carlos
Rating 5 of 5 Des:
Não tem como ficar elogiando a série toda semana, mas não tem como evitar, ela está fazendo um ótimo trabalho com essa temporada. Cada...

Não tem como ficar elogiando a série toda semana, mas não tem como evitar, ela está fazendo um ótimo trabalho com essa temporada. Cada caso da semana está levando o expectador a ter emoções fortes e o episódio dessa semana não foi diferente. 

No dia 13/10 ocorreu um painel da série no PaleyFest NY junto com os atores e os produtores da série. Os produtores falaram um pouco sobre o que esperar da série e os atores falaram sobre como é trabalhar na série. Uma das perguntas que foram feitas foi qual o tema trabalhado na série que mais marcou os atores, e Raúl Esparza que interpreta o Promotor Assistente Barba disse que o tema abordado neste episódio é um dos que mais o marcou. E ele tinha toda a razão.

Somos apresentados a personagem Evie no começo do episódio, vimos que ela está falando com alguém e está sendo gravada. Com 18 anos Evie está longe da sua cidade para começar a faculdade e precisa de dinheiro para pagar pelas suas despesas e encontra na industria pornográfica uma oportunidade de ganhar bastante dinheiro em pouco tempo. Evie aparenta ser uma pessoa reservada e focada nos estudos, mas quando está atuando vira uma outra pessoa, ela achava que seus filmes ficariam escondidos e que ninguém saberia sobre a sua carreira, mas ela estava terrivelmente enganada, pois dois garotos da sua faculdade, Matt e Daniel, descobrem um dos seus filmes e tenta tirar proveito disso e acaba estuprando Evie
.
Para mim não são só os episódios totalmente focados em caçada policial, o lado Order da série como foi no episódio Holden’s Manifesto, para fazer um episódio totalmente empolgante e cheio de tensão. O jeito como foi trabalhado esse episódio foi emocionante, pois Evie foi julgada pelo o que ela faz da vida. Não é porquê você é um advogado que você é um mentiroso; um policial ou político que você seja corrupto, são esse prejulgamentos que faz com que distorcemos a realidade. Evie passou por isso, apesar dela ser uma atriz de filmes adultos as pessoas acham que ela é quer sexo o tempo todo e não tem o direito de negar, e este foi o tema trabalhado no episódio.


Já não é estranho em episódio que envolvam algum ataque dentro de universidades as instituições tomarem medidas para que todo o caso seja abafado, e quando comecei a assistir esse episódio eu achei que esse seria o caso e eu me enganei, pelo menos no começo. Um amigo da vitima vai direto a policia dizendo que já sabe que tentar resolver falando com a segurança do campus não adianta de nada e então a unidade começa a investigar sobre o ataque de Evie e descobre que ela fez vários filmes pornográficos. Barba então acha que o fato da vitima trabalhar na industria pornográfica seria difícil de defender diante do júri, pois eles não veriam com bons olhos a profissão de Evie e Olivia diz que ele está com medo por causa de toda a pressão que está vindo da universidade Hudson.
No episódio passado onde Rollins deu um show na cena final dessa vez foi a vez de Barba brilhar. As cenas do julgamento para mim foram as melhores do episódio, sem contar a cena final que discutirei mais para frente. Enfim, é bom ver Barba defendendo a vitima com unhas e dentes tentando montar um terreno solido para Evie, pois ele sabe que a defesa usará de todos os métodos e tentará persuadir o júri dizendo que Evie fez o que fez por dinheiro e que estava atuando quando estava com Daniel e Matt igual ela fazia em seus filmes. Barba utiliza de meios para fazer com que os acusados se contradizem e usar as próprias palavras deles para montar seu caso, e ele o faz de uma forma bem inteligente e intrigante de assistir.

Assistindo a série não é de se estranhar que nos apegamos as vitimas, torcendo para que tudo se resolva e que elas possam ter um vida tranquila depois do trauma que passaram. Vimos que os pais dela não via dessa forma as escolhas de sua filha, o pai de Evie estava mais preocupado com que o pessoal da cidade estava comentando sobre ela do que ter algum sentimento pelo abuso sofrido pela filha. Isso é uma forma da série mostrar que há esse pré julgamento, que eu havia mencionado antes, pelas pessoas.

Em paralelo a tudo isso que estava acontecendo tem alguns pontos que eu queria mencionar. Deputy Chief Doods veio mesmo só para implicar com a Benson, aparecendo nas piores horas, apontando tudo o que Benson faz de errado e dizendo que ela deveria baixar o bola, pois certas coisas não são da alçada dela. Ele é um personagem irritante, mas, ao meu ver, não de uma forma que foi mal escrito e má atuação a função dele é de ser um antagonista, igual ao Tenente Ed Tucker que quando aparece é só para balançar a vida já complicada dos detetives. E eu até que gosto disso, é bom dar uma movimentada na série.


E o novato finalmente tem seu lugar na abertura da série. Carisi veio para ficar e desde a sua primeira aparição é difícil achar alguém que não gosta do personagem. Nesse episódio não deram um destaque para ele, era só mais um detetive fazendo seu trabalho, mas já até ganhou um “Bom Trabalho” da Benson. Já está valendo.

Para finalizar vamos a sentença do julgamento do caso de Evie. Os jurados acreditaram na versão apresentada por Barba e condenaram Daniel, já que Matt fez um acordo com a promotoria. Quando pensávamos que esse episódio teria um final feliz, eis que estávamos enganados. A universidade se meteu na situação e decidiu expulsar Evie dizendo que ela manchou a reputação da universidade e indo contra o código de conduta da mesma. Depois a universidade deu um jeito de fazer com que a sentença de Daniel fosse revogada. A repulsa que eu senti do juiz falando que sentia um verdadeiro remorso da parte de Daniel e decidindo que ele fosse declarado inocente foi tão forte que se eu pudesse tinha batido no juiz coisa que Barba só não fez, pois botaria sua carreira em risco, mas deu para notar que faltou pouco para isso acontecer. E é isso que eu gosto dos personagens da série, pois eles se envolvem muito com as vítimas a ponto de tomar suas dores.

Evie já abalada por ser expulsa da universidade ainda tem que conviver com a sentença dada a Daniel como se a sociedade a tivesse dizendo que não houve nenhum ataque a ela e que tudo não passou como se fosse mais uma de suas performances que ela faz para as câmeras. Então Evie decide deixar de existir para se tornar Roxxxanne Demay por completo, seu nome artístico.


A cena final onde ela está em um estúdio indo de braços abertos se entregar a uma dúzia de homens e como Rollins e Carisi sem poder fazer nada, para mim, é uma das cenas mais fortes e emocionantes de toda a série.

PS: Amaro nem fez falta nesse episódio. 

PS: Fin precisa ser mais desenvolvido, ele fica só andando de um lado para o outro. Para um personagem que está desde a 2ª temporada na série deveríamos ver mais dele.

PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO:

Reações:

Sobre o Autor

 
Top