Comentários
Rayssa Rayssa Author
Title: [REVIEW] THE BLACKLIST - S02E08: THE DECEMBRIST
Author: Rayssa
Rating 5 of 5 Des:
A verdade. Ou pelo menos uma partícula dela. Tentando diminuir um pouco a frustração dos fãs a respeito da pouca quantidade de resp...

A verdade. Ou pelo menos uma partícula dela.

Tentando diminuir um pouco a frustração dos fãs a respeito da pouca quantidade de respostas que temos às milhões de perguntas suscitadas toda semana em The Blacklist, senti que o roteiro tentou nos dar alguma coisa. Tipo quando você está com fome e você belisca algo para enganar o estômago.

Por isso os primeiros minutos de "The Decembrist" foram exatamente para explicar como Tom sobreviveu e foi parar no porão daquele navio. A história realmente fez sentido, ainda mais quando a gente vê que Liz optou por recorrer a uma amiga para salvar a vida do marido.


E foi até interessante ver como foram os interrogatórios de Liz. Como ela foi conseguindo suas informações. E escondendo tudo isso de Red.

Mas sinceramente, foi a única parte que eu realmente apreciei no episódio todo. Isto porque o reencontro de Berlin com a filha foi super broxante. Tipo, uma explicação super didática para algo que todos nós já tínhamos deduzido. Afinal, The Blacklist nos dá tão pouco, que aprendemos a fazer limonada, torta de limão e margueritas com apenas um limão.


Depois disso tivemos Kiryl Morozov. Pessoa mais aleatória: impossível. Foi morto de forma mais descartável possível (e olha que esta série descarta pessoas com certa facilidade). E serviu apenas para dar o nome do verdadeiro responsável por toda esta bagaça: Alan Fitch.

O tal cara lá, que faz parte de um grupo que ninguém sabe do que se trata, que deliberam sobre coisas misteriosas e que fazem só Deus sabe o quê. Uau, super interessante, hein? A gente até acharia isso no primeiro ano da série, hoje é só mais uma encheção de saco.

Pelo menos já sabemos que isto tem a vez com o sumiço do Red. Este tal grupo (que no momento não me desperta nenhuma curiosidade) parece querer a cabeça de Raymond a qualquer custo e até agora só não o fizeram porque Red tem algo contra eles. E Alan deixou bem claro que isto não impedirá a caçada ao Raymond. Não após a sua morte.


Será que agora teremos uma guerra ainda mais do que a que Berlin travou com Ray? (agora fiquei íntima também, repararam?)

Não sei. Aliás, falando em Berlin, o cara teve uma morte pior do que a do tal Kiryl. Percebem como eu digo que The Blacklist descarta as pessoas assim, sem mais nem menos? Berlin seria um personagem bom para deixar nos bastidores, trazendo uma hora ou outra como um rosto conhecido. Mas não. Red embebedou o cara e atirou nele. Conseguiram com isso apenas gastar minutos de tela, porque não acrescentou ou engrandeceu em nada o episódio. A não ser que você conte a tentativa do roteiro de demonstrar, mais uma vez, como Ray é um filho da mãe de frio e calculista.

Daí, como se eu não estivesse frustrada o suficiente descobrimos que Red tem uma ligação com Tom. O que libera mais vinte milhões de perguntas: Tom era um agente duplo? Ele sabe da relação entre Red e Liz? Porque Ray deu dinheiro a ele e proibiu ele de vê-la? Só para poupar seus sentimentos?


Sei não, viu. Eu terminei este Fall Finale tão desesperançada. Fico me sentindo diante de Lost, uma série que eu amava, mas que criou tantas voltas e mistérios que, ao final, não foi capaz de responder nada. A não ser o que era a fumaça e de onde vinha o urso polar.

E o problema disso tudo é que dá uma sensação de que os roteiristas não sabem a onde estão indo. Aonde querem chegar. O que pretendem com este segundo ano da série. Tipo, vamos ficar só no caso semanal (para dar alguma função a força tarefa?) e algum plano secreto de Red (que não será revelado tão cedo)?


Sinto que a série tem medo de explorar muito o seu procedural porque não sabe o que seria dela sem os mistérios envolvendo Red e Liz. Por isso tudo tem que vir em doses homeopáticas. O problema é que isto cansa e dá uma frustração ver uma série tão boa e com tanto potencial ir por esta toada. Está mais que na hora de The Blacklist se reinventar. Porque qualidade para isto ela tem.

Afinal, não dá para ficar nesta de só depender de James Spader (o qual está sempre fantástico no papel de Red). Com o tempo, a história pede mais, os fãs pedem mais. Felizmente ou não, "The Decembrist" bateu recorde de audiência. Então é esperar para ver se esta folga acomoda ou motiva nossos roteiristas. (Fonte: Minha Série)

Até mais!

Obs: The Blacklist retorna em 1º de fevereiro de 2015.
Reações:

Sobre o Autor

 
Top