Comentários
Michelle Louise Michelle Louise Author
Title: [REVIEW] CASTLE - S07E07 - ONCE UPON A TIME IN THE WEST
Author: Michelle Louise
Rating 5 of 5 Des:
Com atraso e aos 47 do segundo tempo eu venho publicar essa review porque eu, Michelle Louise, nunca mais publico uma review dupla dess...

Com atraso e aos 47 do segundo tempo eu venho publicar essa review porque eu, Michelle Louise, nunca mais publico uma review dupla dessa série na vida. Nem que eu tente, em mil vidas, colocar tudo que preciso é possível falando de dois episódios ao mesmo tempo, logo, publico essa review agora, pouco antes do outro episódio ir ao ar.

Se Castle e Beckett tivessem planejado sua lua de mel com antecedência, teria dado tudo errado (basta lembrar do casamento). E não que as coisas tenham dado magicamente certo, afinal,  é Caskett e muita coisa dá errado antes de dar certo.

E começarei falando que o caso foi meramente para dar uma introdução ao velho oeste para a lua de mel, embora ele tenha sido sim bem bacana e bem diferente de tudo que já tivemos. As vezes eu me assusto com a possibilidade gigante de Castle em nos apresentar episódios e histórias distintas mesmo depois de 7 temporadas. Mesmo depois de 7 temporadas a série continua inovando e nos mostrando universos alternativos e até uma visita ao velho oeste para que nós, os eternos amantes dessa série, nunca enjoemos dessa delícia.



Ryan, Espo e Lanie ficaram chateados por não terem sido convidados para o casamento do casal 20. Não posso dizer que eu não os entendo, já que eles são os melhores amigos deles. Aqueles que sempre estiveram com o casal em todos os momentos e, Kate, Lanie estava emagrecendo para entrar no vestido! Isso não se faz. Porém, a bronca válida e sábia da Gates para eles é, sim, um tapa na cara merecido. Olhem para tudo que esses dois passaram para conseguir esse final feliz. Olhem por tudo que eles passaram, os obstáculos no meio do caminho, sumiços, quase mortes, assassinos pelo caminho para que eles pudessem ter se casado. A cerimônia foi restrita sim, e por mais que a família NYPD seja família também, tudo foi organizado de forma corrida e pesou a família Castle/Beckett. E eu não posso deixar de mencionar que Lanie logo entende isso, enquanto os meninos ficam com um “mimimi” infindável por dias, irritando até mesmo a Gates sobre isso.

Mas, focando no casal e na sua lua de mel improvisada,  tudo começa quando Whitney é envenenada após passar um tempo em um resort no Arizona, resort esse que simulava a vida no melhor que o faroeste pode oferecer.  E quem pensa que o romantismo não tem espaço depois do “sim” é porque não se casou com Rick Castle. Não que dar uma arma para a amada seja prova de romantismo, mas considerando as possibilidade, olha....


Depois de algum trabalho e uma intervenção da Gates, Kate aceita ir para o rancho investigar o que pode ter levado ao assassinato de Whitney e quando isso tudo se torna uma caçada atrás de barras de ouro, o lado criança dele rebrota com força total. Alias, Rick teve sua criança interna muito feliz nesse episódio e o homem Castle também, porque ver Kate naquelas roupas e espartilhos, vamos apenas dizer que teve muito auto controle envolvido. Te admiro, Cas. Não sei se eu teria sido tão forte.

Kate não queria admitir que aquilo que fosse sua lua de mel. E, olhem, é compreensível. Parem para pensar que a moça já teve a frustração do primeiro casamento dar errado com o seu noivo sumindo, então, uma lua de mel que desse certo e fosse perfeita era o mínimo que ela queria.  Mas, o perfeito é muito relativo, e depende de quem está ao seu lado para que o perfeito seja algo memorável. Tão memorável como conhecer o homem da sua vida investigando assassinatos, quando beijá-lo pela primeira vez após anos de tensão sexual sendo construída em meio a um trabalho disfarçado, quanto ouvir o “eu te amo” após levar um tiro, quanto ser pedida em casamento após aceitar a proposta para trabalhar em outra cidade. Tão memorável quanto tudo que eles já tinham vivido até aqui. E, percebam, eles viveram muita coisa.

E não precisou de uma ilha deserta para as coisas darem certo, apenas mais alguns dias de folga e um lugar para consumar os atos que não fosse no meio nada para que uma cobra não atacasse. Precisou eles. Eles se bastaram e por mais louca que essa lua de mel possa parecer, e ela é louca, eles nunca foram um casal normal. Eles nunca foram um casal simples, um casal padrão. Eles são um casal marcado pelas irreventes histórias e por uma bagagem que poucos carregam. Eles trazem na mala, mala que eles carregam juntos, a história de uma vida insana compartilhada ao lado de quem vale a pena. Porque ser louco vale a pena quando você acha alguém que aceita ser louco com você e, então, as coisas passam a ter um significado imenso e passam a valer a pena.


Ainda de brinde, como um bônus, tivemos Castle em um duelo (que eu estava dando como perdido até o gatilho mais rápido do leste aparecer). Não poderia, eles não fariam isso, de levar os personagens ao faroeste sem nem ao menos um duelo. Eu o tive, então, fiquei feliz. E, Beckett...que domínio é aquele com a arma, Baby?! Faz isso não.... O que eu posso dizer desse episódio é que eu amei ser transportada ao faroeste, amei ver Beckett de cowgirl (castle me representou forte ali), eu amei ver Beckett tendo paciência com uma criança feliz atrás de ouro, paciência esta que eu não teria sociedade, eu amei ver um casal tendo a lua de mel mais insana que eu poderia ter imaginado de forma tão mágica e tão....remarkable.


PS1: Beckett vestida de Cowgirls é algo DESESTRUTURANTE.
PS2: Vide PS1.
PS3: Ainda pensando demais nela de CowGirl para conseguir pensar em um PS legal. 3Bjs. 
PS4: Só conseguia imaginar a Lanie falando "SEGURA MEU POODLE" por Espo quando ela o manda segurar o copo.

PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO

 


Reações:

Sobre o Autor

 
Top