Comentários
Carolina Carli Carolina Carli Author
Title: [REVIEW] CHICAGO PD - S02E04 E S02E05: CHICKEN, DYNAMITE, CHAINSAW/ AN HONEST WOMAN
Author: Carolina Carli
Rating 5 of 5 Des:
Porque o Voight é uma caixinha de surpresas.  Depois de um ritmo moderado de acontecimentos em “Chicken, dynamite, chainsaw”, fomos ...

Porque o Voight é uma caixinha de surpresas. 

Depois de um ritmo moderado de acontecimentos em “Chicken, dynamite, chainsaw”, fomos presenteados com um episódio que veio para provar que Chicago PD tem um potencial gigantesco e que os roteiristas sabem o momento certo de elevar a tensão da série. Vou mesclar os dois episódios na review, até porque ambos têm ligação e fica mais tranquilo acompanhar assim do que se eu for isolar as tramas. 

O caso da semana de “Chicken, dynamite, chainsaw” foi fraco e sem uma grande reviravolta. Mas, não foi de todo perdido porque ele serviu para compor e até fazer um certo contraste com o plot do Voight. O chefe da Inteligência descobriu que vai ser avô e isso afetou toda a sua performance nos dois episódios. O E04 mostrou muito a reação do pai com o sequestro da sua filha e o interessante aqui foram as expressões que o Hank fazia no desenrolar do caso. Acredito que essa questão de proteger a família fez com que ele pensasse muito na sua relação com o Justin e agora na relação do Justin com seu neto. O próprio “An Honest Woman” é um exemplo de como a notícia refletiu nele e mudou suas escolhas. 

Vamos combinar que para alguém sequestrar e dar uma surra no Hank, é preciso ter muita coragem e nenhum medo de morrer. Pela fama que o policial construiu em Chicago, Voight é temido. E justamente para ele não ser uma figura totalmente amedrontadora e afastar a simpatia do público, os roteiristas constantemente tiram a armadura do policial e mostram que apesar de ser durão, o Voight é uma boa pessoa. A mudança de postura que ele tem ao não matar os sequestradores, porque convenhamos, se fosse na primeira temporada teríamos quarenta minutos de pura tortura, é muito positiva e traz a leveza que o personagem precisa. Não dá para afirmar que vai ser sempre assim, até acredito que não seja, mas em um ou outro episódio é bom quando esse tipo de coisa acontece, porque humaniza o Voight e aproxima ele do telespectador. 

Uma coisa que eu andei reparando é que os policias do CPD tem um certo problema em admitir que suas esposas não são mais suas esposas. O Antonio está no meio de um divórcio e o Olinsky mora na garagem da própria casa numa tentativa de mascarar a verdade. No caso do Alvin, o conselho do Ruzek foi pontual. Se o Al quer mesmo reconquistar a mulher, ele precisa sair da posição de observador e começar a agir. Já a situação do Antonio é complicado falar, porque a saída da Laura de casa foi repentina e não houve ainda um aprofundamento do roteiro no processo do divórcio. Aliás, nesse ponto, os dois personagens precisam urgentemente de um plot consistente e interessante. O Antonio até começou a sair da sombra com essa história de segurança privado, mas acredito que ele mereça mais. 

A nova dupla dinâmica Burguess e Roman está sendo simplesmente sensacional. Os dois têm uma química muito bacana no serviço e a parceria vem rendendo ótimas cenas com diálogos carregados de humor. Toda série tem seu núcleo cômico e apesar de em Chicago PD todo mundo sempre ter uma tirada humorística, Burguess e Roman são o que melhor representam esse núcleo. 

E o que falar dessa oferta que a Lindsay recebeu para COMANDAR uma força-tarefa? Ao mesmo tempo que eu gritei para ela aceitar eu voltei atrás e pedi para ela não deixar a Inteligência por nada nesse mundo. É um conflito de emoções porque a equipe da Inteligência é muito amorzinho e depois de 20 episódios eles estreitaram os laços e estão praticamente como uma família, mas ao mesmo tempo é uma oportunidade excelente para a carreira da Erin. Uma outra coisa que pode contribuir para a aceitação dela é a oportunidade de poder assumir um relacionamento com o Halstead porque vamos combinar, a tensão sexual entre os dois personagens aumenta a cada episódio. Apesar de ser uma alternativa para o relacionamento dos dois, seria muito bom ver a Lindsay passando por cima das ordens do Voight e dando início ao romance. 

PS: Atwater e Ruzek não ganharam muito destaque nesses episódios, mas o E06 é praticamente todo deles. 
PS: “Acabei de ver um arbusto seco ao vento.” – Burguess sobre o trabalho da troca de armas. Como não amar?  


E vocês, o que acharam dos episódios?

PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO:

Reações:

Sobre o Autor

 
Top