Comentários
João Carlos João Carlos Author
Title: [REVIEW] LAW & ORDER: SVU: S16E08 - SPOUSAL PRIVILEGE
Author: João Carlos
Rating 5 of 5 Des:
Violência doméstica é algo aterrorizante e não é algo que será erradicado da humanidade de uma hora para outra. Hoje em dia existem lei...

Violência doméstica é algo aterrorizante e não é algo que será erradicado da humanidade de uma hora para outra. Hoje em dia existem leis que pune esses tipos de ato, mas e quando o terror é tão grande que a vítima não tem a coragem de denunciar seu atacante? É isso que vimos no episódios dessa semana.

Violência física o que fica visível é o dano que acontece externamente em uma pessoas os machucados e hematomas, mas também faz estragos, as vezes até piores, psicologicamente. O terror de algo acontecer de novo, saber o que a vítima irá sofrer ou até mesmo as pessoas amadas ao redor dela é difícil de se conviver que é melhor fazer todo o possível para deixar tudo conforme está.

A negação é a pior de tudo, é uma mal que é difícil fazer com que algo possa dar certo. Quem nunca negou algo por medo de represálias? Para uma vítima de abusos domésticos que não tem coragem de enfrentar seu agressor a negação é a melhor forma de lidar com o ocorrido. Por dentro mesmo sabendo que tem algo errado e que nenhuma desculpa é o que realmente parece é dificil lidar com esse tipo de situação.


No caso de mulheres que já são frágeis fisicamente é fácil de um homem subjugá-las e mostrar com os punhos quem é que manda. As vezes as mulheres deixam esses abusos acontecer por causa de seus filhos, por exemplo, pois é o instinto de mãe proteger seus filhos e por conta do terror psicológico que as envolvem nesses tipos de situações para elas o melhor seria deixar as coisas como estão.

Podemos pensar que hoje em dias as coisas não são mais assim, pois vemos as mulheres mais ativas no mundo, mas infelizmente nem todas as mulheres tem esse tipo de liberdade para se expressar. No caso do episódio vimos o relacionamento de A.J. Martin um jogador de futebol americano aposentado e Paula Bryant sua, até então, namorada ser o centro deste tema abordado pelo episódio.

Após um dia praticamente normal na unidade, os detetives descobrem um vídeo do famosos jogador A.J. Martin discutindo calorosamente com sua companheira Paula Bryant e depois arrastando ela para o carro, e a partir dessas filmagens a unidade começa a investigar. Benson e Fin vão até a residência de A.J. e Paula para averiguar o ocorrido. Claro que eles, principalmente A.J, iriam negar tudo arrumando desculpas e dizendo que foi algo que nunca tinha acontecido. Olhando desse jeito podemos até pensar que tudo foi por motivo de ciúmes misturado com a bebedeira, mas a maneira como A.J. tratou seu filho na frente dos detetives, o olhar de Paula e a maneira controladora que ele tem sobre ela fica evidente para os detetives que algo acontece naquela casa.

Para a promotoria com base nas poucas evidencias que tem para trabalhar é difícil ter um caso concreto e até entendo o motivo do Barba estar um pouco relutante sobre o assunto, mas Benson insiste que tem muita história por trás do vídeo que eles possuem, e até que mais tarde sai em uma emissora de televisão o restante do vídeo onde mostra A.J. socando Paula e a nocauteando e agora sim a promotoria tem algo para trabalhar.

As partes do julgamento não foi nenhuma novidade. A defesa tentava mostrar como A.J. era uma pessoa bondosa e gentil para com sua esposa e que o que aconteceu foi um evento único no relacionamento deles, e a promotoria retrucava dizendo que as atitudes de A.J era algo insano e desrespeitoso para com a sua mulher e uma afronta a todas as mulheres. E é nesse ponto que a negação que eu comentei no inicio da review entra em cena. Sempre que Benson tentava abordar Paula sobre o ocorrido ela sempre negava tudo dizendo que está tudo bem, que faria qualquer coisa para manter sua família unida. E a pior parte da negação são as desculpas feitas pelas vítimas para o seu agressor.


Em paralelo com a investigação temos Amaro com um dilema familiar. No início do episódio Amaro está discutindo com a suas ex esposa pelo telefone sobre a mudança de plano na última hora onde a sua filha irá passar o feriado de Ação de Graças. Claro que ele já está nervoso com a situação e junta com o caso em que está trabalhando seus nervos estão a flor da pele. A cena do bar com Rollins provocando Amaro para ver até onde seu limite da raiva vai foi quase a gota d’água para o detetive, pois ele perdeu a calma totalmente e quase agrediu Rollins, mas ele pensou melhor e decidiu se afastar. E parece que qualquer relacionamento que os dois tinham acabou ali mesmo.

Para finalizar, temos A.J. sendo acusado culpado pela agressão contra Paula dando a entender que seria um alívio para ela, mas na cena final vimos que Paula diz para Olívia que por causa disso ela destruiu o casamento  e a família dela. Por mais que Olivia sabe que fez o que deveria ser feito ela sabe, por experiência profissional, que a vítima está num estado psicológico abalado pelos abusos que sofre e achando que seu marido seria a resposta para tudo, mostrando o quão dependente de A.J. Paula é.

Por mais que seja um episódio que volta a base comum da série e diminuindo um pouco o ritmo, ainda mais depois do episódio passado, o tema abordado no episódio foi feito de uma forma bem interessante.

PS: Neste episódio contamos com dois convidados especiais. Meagan Good e Chad L. Coleman do The Walking Dead. Ele é o Segundo ator de TWD a participar da série.

PS: O próximo episódio só vai ao ar no dia 10 de Dezembro. E Carisi estará de volta!!

PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO:

Reações:

Sobre o Autor

 
Top