Comentários
Rayssa Rayssa Author
Title: [REVIEW] PERSON OF INTEREST - S04E09: THE DEVIL YOU KNOW
Author: Rayssa
Rating 5 of 5 Des:
Como os romanos diziam: "prefiro morrer a ser derrotado". Meu Deus do céu! Não sei como eu não infartei. Mas ó, fiquei a ...

Como os romanos diziam: "prefiro morrer a ser derrotado".

Meu Deus do céu! Não sei como eu não infartei. Mas ó, fiquei a beira de lágrimas o episódio todo. A nostalgia, o perigo, o fim da linha. Foi tudo tão aterrorizante que por um momento eu achei que íamos perder Elias e quase desabei! Gente, por que tanta maldade? Mas precisa preocupar não, Elias. Eu vou pegar o filho da mãe do Dominic eu mesma!

Uau! Os roteiristas de Person of Interest não estão brincando e mesmo após quatro temporadas continuam fazendo episódios fantásticos. Construindo uma história maravilhosa. Aumentando o nível da guerra tão prometida. Superando todas as expectativas, tivemos mais um episódio de tirar o fôlego.

Primeiro, que a vadia loira achou Shaw. E começou a abrir fogo no meio da loja de maquiagem. Uma pena não ter pegado o chefe enjoado da Sameen, mas pelo menos a Machine veio ao nosso resgate. Shaw estava preparada e Root foi a eficiência em pessoa.


Mas aí temos um problema: a exposição do disfarce da Sameen colocou todo mundo em perigo. Tipo, a vadia loira (infelizmente) é tão boa em rastrear pessoas que se a Shaw colocar o nariz para fora do esconderijo, ela irá encontrá-la. Ainda mais agora que ela possui um exército a sua disposição. Cortesia do outro filho da mãe chamado Greer. Pelo menos eles ainda não conseguiram encontrar os drives implantados pela Root na temporada passada. Ou seja, por hora os demais estão a salvos.

Ou estariam, se não fosse pela atitude da Shaw. Não só ela já demonstrou que não conseguirá ficar quieta, longe da ação e sem salvar números, como ela também poderá ser a responsável por expor todos os outros. Sério, Harold, tem que trancar essa mulher tipo agora! Antes que ela acorde. Porque a exposição da identidade falsa dela é uma coisa muito séria e só a Sameen não entende isso.


Daí, como se desgraça pouco não fosse bobagem, a vadia loira foi atrás do Fusco. O que torna tudo ainda pior, porque ele não faz ideia de nada. Do que é a Machine, o que é o Samaritano e o quão séria é toda a situação em que ele está envolvido. E pior, o fato dele ser mantido no escuro também pode comprometer o resto do elenco, tornando ainda mais fácil o rastreamento dos demais.

Do outro lado da cidade, o mundo estava acabando. O sem vergonha do Dominic resolveu destronar o nosso rei. Sério, que audácia! Que coisa de moleque! Que ódio, gente!

Pior que todo ar de nostalgia promovido pela série através dos diálogos entre John e Elias foi me aterrorizando. Porque fizeram exatamente isso com a Carter. Toda a retrospectiva, a fuga, o beco sem saída.


Aí eu só ficava "pelo-o-amor-de-Deus-não-tirem-o-Elias-da-gente!". Sério, não estou preparada para outra perda. E olha que eu cheguei a ficar abalada com a morte do Anthony (embora eu também o chamasse de Scarface, igual o John). Porque foi uma cena muito bonita. Muito bem construída. Muito digna do braço direito do Elias.

E foi ótimo conhecer um pouco mais do passado do nosso vilão preferido, que na verdade nenhum de nós, fãs de Person of Interest, vemos como um vilão, mas sim como um aliado genial, que está sempre ali para ajudar e nos deliciar com suas aparições.

Mas graças a Deus John provou porque ele é o homem de terno, o detetive mais badass de Nova York e conseguiu o impossível (e cá entre nós, quanta munição ele guarda dentro daquele terno?) e salvou Elias. Manteve ao lado da nossa equipe o diabo que conhecemos. Pode confessar, Harold, você também se apegou ao chefão do crime, não é?


Não descobrimos o que estava dentro do cofre, mas pelo menos Dominic não conseguiu. O que já é uma vitória. E eu mal posso esperar para ver Elias limpando a casa e destruindo cada safado traidor que o vendeu ao Dominic. Afinal, já sabemos a maior fraqueza deste metido a professor de história: excesso de confiança.

Ainda bem, viu, porque eu estava começando a ficar irritado com o fato do Elias não levar a sério o perigo em que ele estava. Colega, se o John apareceu, pode correr porque vem chumbo pesado atrás de você. E aqui, já deu esta de ficar apontando arma para o John. E se considere em dívida infinita com nossa equipe, você deve duas vezes sua vida para a gente.

Aliás, Dominic já percebeu que tem mais uma peça no jogo. Algo que ele ainda não entendeu, mas que foi o responsável pela sobrevivência do Elias durante todo este tempo. Será que ele conseguirá descobrir sobre a Machine e o Samaritano? Será que ele cruzará o caminho da vadia loira? Porque ela super se redimiria comigo se matasse ele.


Mas pelo visto esta guerra está só começando. Salvem-se os bons e tomem seus remédios para o coração antes do próximo episódio. A coisa está ficando muito quente.

Obs: Person of Interest irá fazer um hiatus de três semanas. Só volta dia 16 de dezembro. Daí temos algum tempo para nos recuperar de "The Devil You Know".

Obs: História do Elias me partiu o coração. Se quiser um abraço estou aqui, colega.

Obs: A tensão sexual entre a Root e a Shaw estava tão forte que eu quase perguntei se elas queriam privacidade.

Obs: Vocês acham que o discurso de Anthony mexeu com o Link? Porque, pelo o que eu percebi, ele não está nem um pouco disposto a morrer pelo Dominic.



Melhores momentos:

"-Suponho que a loira psicopata não foi lá atrás da bolsa grátis.
-Não. O seu disfarce foi descoberto."

"-Veja pelo lado positivo, Sameen. Tenho certeza que você vendeu o seu último iluminador."

"-Ele provou ser um valioso aliado nestes tempos sombrios. É o que mantém Dominic e a Irmandade sob controle.
-Ele é o diabo que conhecemos."

"-Devo perguntar?
-Quer mesmo saber?
-Honestamente? Não."

"-E você deveria saber que se eu digo que você está em perigo, você realmente está.
-Eu acredito em você, John."

"-Lembra da última vez que me deu uma arma?
-Mirou na minha cabeça. Não faça eu me arrepender de novo."

"-Você está bem?
-Estou ótimo. Só não gosto deste quarto."

"-Acho que a chegada desse dia era inevitável.
-Chegará para todos nós."

"-Pode acabar comigo quando quiser. Depois da sua soneca."

"-O mundo é um lugar violento, Harold. E sempre será. O melhor que podemos fazer aqui é proteger aqueles próximos a nós."

"-Ainda não fui conquistado."
Reações:

Sobre o Autor

 
Top