Comentários
Gabriel Diniz Gabriel Diniz Author
Title: [REVIEW] CSI - S15E09: LET'S MAKE A DEAL
Author: Gabriel Diniz
Rating 5 of 5 Des:
Quando alguém é morto numa prisão onde estão encarcerados mais de 2 mil detentos, logo se pensa que o assassino é um desses presos. Mas ...

Quando alguém é morto numa prisão onde estão encarcerados mais de 2 mil detentos, logo se pensa que o assassino é um desses presos. Mas no episodio de CSI dessa semana descobrimos que muita coisa se passa numa prisão e que os nossos primeiros julgamentos nem sempre estão certos.

Abrindo o episódio, temos vários presos em fila, aguardando para receberem vacina. Até ai nenhum problema. A questão é quando um desses presos tem um surto psicótico e começa a atacar todo mundo. Na sua fuga, ele acaba na lavanderia, e quando uma equipe de agentes chega, abre uma porta... Poft! Um corpo cai em cima dele.

Uma coisa interessante nesse episódio foi os CSIs se lembrando de coisas que ocorreram no passado (algumas mais antigas e outras mais recentes), como por exemplo, Greg e Morgan falando sobre doenças e Greg se lembrando de quando ficou em quarentena, em ‘’Bad Blood’’, nessa mesma temporada. E como eles são fofos.


Como eu falei ali em cima, quando se pensa em alguém assassinado numa prisão você deduz que o culpado é alguém ali de dentro. Mas nesse episódio fomos levados à um lado diferente das prisões, que acabou até envolvendo o FBI. Desde reduções de penas e informantes até investigações contra agentes penitenciários: ninguém ali era santo. O policial contrabandeava maconha pra dentro do presídio e deixava os presos fazerem o que quisessem na lavanderia. Já o detetive realmente me surpreendeu. Quando o vi ali pela primeira vez, nem passou pela minha cabeça que ele poderia ser corrupto. Ele se aproveitava dos presos e produzia falsas evidências só pra fechar seus casos e ganhar destaque pra ser promovido. 

Já Grady também não era nenhum santinho. O cara cometeu diversos crimes, mas graças a informações que ele passava para investigações, suas penas eram sempre reduzidas. Sendo informante, ele relatava tudo que sabia para os investigadores e conseguia que os crimes que tinha cometido fossem considerados como menos graves.

Descobrimos Grady tinha molestado uma criança de 9 anos algum tempo atrás. Graças a essas informações que ele passava, em três anos foi solto. E a criança, chamada Pete, que ele estuprou, cresceu, se tornou adulto. A maior coincidência foi que ele foi preso e acabou indo pra mesma prisão onde estava Grady. E graças a toda a burocracia que existe no sistema, Pete ficou mais tempo do que devia ali. É bom vermos que os escritores não querem apenas mostrar o lado certinho da policia, mas também passar o lado verdadeiro, onde há problemas, corrupção, propina, drogas... E por conta desse tempo a mais que Pete ficou preso, ele acabou reencontrando quem o abusou a 20 anos atrás.


Eu acho que qualquer pessoa que passe por isso faria o mesmo. Por que como vimos no episódio, uma simples frase pode fazer com que se relembre de tudo que passou com você, mesmo que tenha sido a vários anos e que você já tenha esquecido, por um tempo. Memórias existem e as vezes elas ressurgem pra gente. Pete ouviu aquela voz, e todo o sentimento de raiva e ódio que ele tinha tomaram conta do pobre rapaz e o fizeram matar Grady.

Pra finalizar, não tem como esquecer de falar daqueles minutos finais do episódio. Dava pra ver que Nick se comoveu com a história do homem, que ainda parecia menino. Já fazia um tempo que não víamos Nick desse jeito. Nos acostumamos a ver um personagem que se preocupava com as vítimas e que tinha seu lado mais emocional. E foi essa parte que vimos. Ele ficou triste em perceber que toda a papelada atrasada fez com o que uma coisa pequena se tornasse algo tão grande. D.B. foi bastante amigo nesse momento, ao perceber que o colega estava abatido. E é disso que precisamos ver mais em CSI. Um elo maior entre os personagens quando eles mais precisam.

PS 1: Cadê a Sara?
PS 2: Hodges e o seu olfato.
PS 3: Quando citaram aquele assassino que estava preso, até imaginei que iriam falar do Gig Harbor Killer.
PS 5: Isso ai Conrad! Bem feito pro agente do FBI. Não quis colaborar antes então agora fica quieto.
PS 4: Nick, infelizmente, nem sempre as coisas saem do jeito que queremos. E como diria Kate Beckett, A cop doesn't get to decide how the story ends.

PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO:

Reações:

Sobre o Autor

 
Top