Comentários
João Carlos João Carlos Author
Title: [REVIEW] LAW & ORDER: SVU: S16E09 - PATTERN SEVETEEN
Author: João Carlos
Rating 5 of 5 Des:
Para uma série que é procedural é difícil fazer um cliffhanger ótimo para o público voltar para a próxima temporada ou, neste caso, p...

Para uma série que é procedural é difícil fazer um cliffhanger ótimo para o público voltar para a próxima temporada ou, neste caso, para o resto da temporada a não ser que tenha morte de algum personagem importante ou algum serial killer da vez ataque. Nesta final da primeira parte da temporada de SVU os redatores, além de nos apresentar um episódio que nos deixa apreensivo a todo momento, deixou algumas pontas que serão desenvolvidos ao longo da temporada.

Algo que vem ocorrendo muito nessa temporada é a ligação de Amanda com Atlanta da onde ela foi transferida antes de entrar para a unidade. Nas temporadas passadas sempre que a irmã de Rollins, Kim, aparecia na série sempre trazia problemas para a nossa detetive e sempre tinha um bom episódio. Agora parece que nessa temporada a série está nos dando pistas de como eram as coisas com Rollins lá em Atantla para caso houver alguma trama envolvendo tudo isso não será necessário explicar tudo apressadamente. 

Uma teoria minha é que na época que Rollins trabalhava em Atlanta ela foi abusada ou sofria assédios sexuais por parte do Chief Patton que apareceu nesse episódio e parece ter uma fixação por Rollins. Sempre que Rollins se referia a Atlanta ela fala que lá era o clube dos meninos e ela como mulher as coisas não eram fáceis. Eu espero que saia alguma trama boa sobre a Amanda, pois todos os episódios que são centrados nela a série faz muito bem.

Além de ter problemas com esse caso que a unidade está investigando Benson ainda tem que lidar com todos os problemas que vem cercando o baby Noah. Dá uma raiva dessa mulher do conselho tutelar, pois agora que Noah tem uma casa decente e com pessoas que dão carinho para ele, ela pega no pé da mama bear Benson. Esse era o novo desafio da personagem nessa temporada conciliar sua vida pessoal com a profissional, e para Olivia que agora não é mais só ela na sua vida tem que saber quais escolhas fazer, e neste episódio, e em outros, vimos que Noah sempre vem em primeiro lugar. Ela se apegou ao filho e vai lutar com unhas e dentes para fazer de tudo por ele.

Neste episódio tivemos o retorno do Deputy Chief William Dodds para fazer um pouco de pressão para Benson, mas como o objetivo do personagem não é só ficar criticando as decisões da sargento, achei bem interessante a forma que ele a defendeu na reunião sobre estatísticas de queixas.


O caso desse episódio não teve nada de novidade, mas isso não deixou de ser um episódio ruim e sim o contrário. Era sobre um estuprador serial que tinha um modus operandi bem específico que levou a detetive Rollins relembrar de alguns casos semelhantes na época em que ela trabalhava em Atlanta que a faz ir para lá investigar. Ao que tudo indicava seria bem difícil pegar o responsável por todos esses ataque até que ele comete um deslize de tentar fazer alguma coisa com uma garota de 12 anos, mas, felizmente, não consegue e a menina deixa um pista para trás, seus fones de ouvido.
Somos levado ao primeiro suspeito o Doutor Joseph Conklin, pois os detetives encontraram o fone de ouvido da menina dentro do carro dele. No interrogatório descobrem que o único crime que ele comete é de dar receitas de medicamentos para mulheres em troca de sexo, e após a analise de algumas evidencias descobriram que o tipo sanguino não batia. Depois de mais algumas investigações tudo levou ao enfermeiro Albert Beck que tinha acesso a todos os veículos do hospital onde trabalhava e sempre nas cidades onde ele passava sempre ocorria algum ataque.
No interrogatório foi a hora de Carisi brilhar e dessa vez é oficial “the New Guy’s ok”, palavras ditas pelo próprio detetive Fin após Carisi conseguir que Albert admitisse vários dos seus crimes, tantos outros que a polícia nem tinha conhecimento. Agora eu só não entendo o porquê a série não faz episódios onde tem Carisi e Amaro juntos é sempre um ou outro. Não morro de amores por Amaro, como já sabem, mas ele é um personagem que já está na série a um bom tempo e já é importante para as tramas e também não tem nenhum rumor da saída do personagem e quero ver logo a interação dos dois detetives juntos. Espero que na outra metade da temporada isso seja feito.


Agora para concluir esse fantástico episódio tivemos uma fala que serve tanto para a série quanto para a vida real. Na ultima cena da Benson na reunião foi levantado a questão de como a unidade de vitimas especiais deveria ter feito de diferente para tentar resolver o caso, e foi falado que em NY o crime foi resolvido em questão de semana, mas como o culpado mudava de estados com frequência e que há lugares onde os recursos são baixos para fazerem uma análise completa de alguns crimes demorou para ele ser pego. A atriz Mariska Hargitay é conhecida por fazer parte de causas contra abuso sexuais. Ela é um grande exemplo de como sua personagem na série faz parte da sua vida e essas palavras vindo de Benson é um ótima critica para a sociedade em si.

A série entrara em hiato é só volta no dia 7 de janeiro e espero que o restante da temporada seja bem sólida e coerente como foi nessa primeira metade.


PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO:

Reações:

Sobre o Autor

 
Top