Comentários
Yara Oliveira Yara Oliveira Author
Title: [FILMES] CRÍTICA #57: CAMINHOS DA FLORESTA
Author: Yara Oliveira
Rating 5 of 5 Des:
Desde sua estreia oficial em 2014, Caminhos da Floresta veio surpreendendo críticos, que diziam ser um filme mais sombrio do que o espera...

Desde sua estreia oficial em 2014, Caminhos da Floresta veio surpreendendo críticos, que diziam ser um filme mais sombrio do que o esperado e bem... é verdade!
O musical que garantiu a Meryl Streep lugar no Oscar estreou essa semana no Brasil, ainda que o roteiro tenha seus problemas o elenco salva o longa da Disney.
Caminhos da Floresta reúne 5 contos de fadas, João e o pé de feijão, Rapunzel, Cinderela e Chapeuzinho vermelho. Todas essas histórias são interligadas por um casal de padeiros interpretados por James Corden e Emily Blunt, que precisam quebrar uma maldição lançada pela bruxa (Meryl Streep) para conseguirem constituir uma família.
Rob Marshall, diretor que já é conhecido por trabalhos em musicais como Nine, deixa o espetáculo teatral que inspirou o filme só no roteiro e deixou de lado aqueles cenários que mais nos lembram um palco de teatro. Sem exageros, Rob faz a trama depender das canções, o que diferenciando de Nine, onde a música era um espetáculo a parte.


Na primeira metade do filme, parecem haver muitas histórias para pouco tempo, não fossem as canções o espectador mal teria tempo para piscar, tudo acontece em um ritmo acelerado e como já disse no início, é o elenco que salva esse texto tão corrido, é a Meryl Streep que dá profundidade para sua personagem, Emily Blunt e James Corden demonstram excelente química em cena o que nos faz simpatizar por eles mais do que o próprio texto. Mesmo com seus agudos que chegam a incomodar, Anna Kendrick  convence com a indecisa e muito menos glamourosa Cinderela. As crianças são um Show a parte, sendo a cena da Chapeuzinho com o lobo uma das mais divertidas. Aliás, o lobo mal, mesmo com apenas uma música foi um dos melhores papéis de Johnny Depp, depois dos últimos flops.


Johnny Depp não foi o único personagem "menor" que supreendeu, Crhis Pine e Billy Magnussen, respectivamente os príncipes da Cinderela e Rapunzel, conseguem destaque para seus personagens e a cena mais divertida do filme é protagonizada por ambos. A canção "Agony", ganha a interpretação cheia de clichés de contos de fadas, onde todos aqueles "encantos" dos príncipes das histórias infantis se tornam ridículos.


A segunda metade do filme é o que realmente surpreende, reviravoltas inesperadas acontecem depois do que deveria ser o nosso conhecido "final feliz", mesmo com acontecimentos surpreendentes, essa "segunda parte" se torna um pouco cansativa, não demora muito para o público começar a se remexer nas cadeiras, ou perguntar que horas são, isso por conta da súbita mudança de tom, as piadas que serviam como um "respiro" se tornam mais raras e até as músicas não são tão comuns. Parece que estamos assistindo a um outro filme com os mesmos personagens.
Mesmo com alguns problemas, Caminhos da Floresta diverte e com certeza entra na minha lista de musicais preferidos.


TRAILER DO FILME:

Reações:

Sobre o Autor

 
Top