Comentários
Ayla Aguiar Ayla Aguiar Author
Title: [REVIEW] FOREVER S01E13 – DIAMONDS ARE FOREVER
Author: Ayla Aguiar
Rating 5 of 5 Des:
Nesse episódio eu posso falar que a gente teve excelentes plots twists . Somos apresentados a um caso de um roubo de uma joalheria, o...

Nesse episódio eu posso falar que a gente teve excelentes plots twists. Somos apresentados a um caso de um roubo de uma joalheria, onde a vítima é achada logo depois atropelada, justo no bairro em que a nossa detetive mora, e ele tinha batido horas antes na porta da mesma, e quando ela atendeu o cara já tinha sumido. E o detalhe maior: o cara que foi morto estava entre um dos casos do marido da Jo, o promotor Sean Moore. Ou seja, já sabia que ai vinha alguma coisa sofrida.

Não deu outra. No decorrer do caso, descobrimos mais sobre a vítima e o assalto a joalheria, e um antigo colega da Jo, que também é detetive, se envolve no caso, já que ele também se envolveu no mesmo caso desse ladrão a uns anos, e né, ele sabia alguns detalhes. O caso também revela que o marido da Jo também influenciou na vida do ladrão dentro da cadeia, já que ele teve uma melhoria lá dentro graças ao depoimento, se não me falha a memoria, do marido da detetive.




Assim, ao longo do caso descobre-se que o ladrão engoliu umas pedras de diamantes da loja que ele roubou, só que os diamantes eram falsos, e não valiam quase nada, ou nada. A partir disso o problema residia em saber porque ele roubaria esses falsos, se ele poderia roubar qualquer outra coisa da loja. E o caso vai seguindo, seguindo, com trocentos mil plots twists, e quando você percebe: maior porrada no final, gente que você menos esperava envolvida no roubo e assassinato. 

Já na história secundária, temos o Abe tentando resolver um possível furto na loja, e ele acaba achando que é um dos clientes que veio algumas vezes, um jovem com tatuagens de quem o Abe cismou. Enquanto isso temos uma Jo sofrendo por desenterrar o caso do marido, surgindo até uma fita com uma gravação dele com o suspeito, e loo depois mostrando ele ligando pra ela. Me doeu vê-la tão doída com o caso, sentindo falta do Sean e sofrendo com a morte dele. 


“O que te mata não é o que faz seu coração parar de bater. É o que te impede de viver.” E o Henry nunca esteve tão certo ao falar isso, porque dava pra ver que ela ainda não tinha superado a morte do marido, e não conseguia ir em frente. E dá licença pra esse final e pra todas as cenas dele com ela nesse episódio: ele realmente se tornou mais do um colega de trabalho, ele se tornou amigo, aquela pessoa na qual ela pode confiar para qualquer coisa, e ele pode dizer o mesmo. Os dois são aquelas pessoas pra quem você irá correr ao fim de um problema, nem que seja só pra desabafar. 

Enfim, esse episódio foi um dos mais fofos da serie até agora. 

P.S: Olha, pelo spoiler que eu vi do ep. 18, se eles cancelarem sem esses dois se pegarem ou ao menos sem ele falar pra ela que é imortal, eu jogo os escritores da serie no mar, com uma ferida aberta pra chamar tubarão. Só avisando. Porque eu só consigo ver esses dois juntos! 


Reações:

Sobre o Autor

 
Top