Comentários
Rafa Rodrigo Rafa Rodrigo Author
Title: [REVIEW] NASHVILLE – S3E11: I'M NOT THAT GOOD AT GOODBYE
Author: Rafa Rodrigo
Rating 5 of 5 Des:
Nada como iniciar o ano com um episódio fechando plots e intensificando outros, claro que com o bom e gostoso drama que amamos somada à...

Nada como iniciar o ano com um episódio fechando plots e intensificando outros, claro que com o bom e gostoso drama que amamos somada às pequenas surpresas que nos fazem torcer, arregalar os olhos e suspirar. Senhoras e senhores, Nash está de volta!  E veio mostrando com dor de corno, que até uma musica onde a palavra cerveja aparece 44 vezes pode ficar boa se estiver nela sendo contada uma história.

Ok, sei que nem todos os plots foram mega interessantes e importantes para o todo, mas acho que a saudade da série me fez gostar muito deste episodio. Pra começar, a música de Gunnar e Mika (muito bonitinha por sinal, mostrando que todo mundo que tenha ao menos duas falas em um episodio nessa série sabe cantar) somada a toda essa história de paternidade foi de cortar o coração, tendo assim um fechamento mais rápido do que eu imaginava. Alguém ai culpa Gunnar de não ter contado de imediato para o pequeno? Eu não; ainda mais depois de se apegar tanto ao menino.


Julliett devidamente casada com Avery tem seu primeiro draminha bobo do casal, mas Who cares? Ela merecia um draminha bobo não é? Depois de duas temporadas e meia de bastante sofrimento, podemos dar a carta branca à história da cadeira que não combina com nada na sua pequena casa. Ah, ela tem outra desculpa, os hormônios; sendo assim nada de reclamações contra o plot de Juvery.

Layla não morreu, isso já imaginávamos, mas vejo tal decisão como algo positivo afinal o Will precisa conviver com isso, ou seja, com o fato do quanto suas péssimas escolhas influenciam todos que o cercam. Mesmo eu não sendo daqueles que têm raiva do rapaz já estou começando a me incomodar com ele, com este divorcio chegando, as questões do reality sendo resolvidas e até Jeff mostrando um lado não tão demoníaco. Está na hora de todo mundo crescer e lidar com a sua própria vida, pondo um fim ao que Layla nomeou inteligentemente como “the gay card”


Agora deixando o melhor para o final: Rayna, Deacon e Luke. O cancelamento do casamento, tão esperado, causou diversos problemas para a queen, sendo assim, ela teve que lidar com tudo, imprensa, família, ex noivo e o amor da sua vida. Só não entendo como ela acha que melhoraria ter uma conversa com o cara que, nem podemos dizer que ela largou no altar por que o coitado nem chegou lá, e claro, ela ouviu o que não queria, desta forma cada um lidou como pôde com tudo que aconteceu, o bacana desta história é que, Luke não é um vilão, Rayna também não, são apenas pessoas complicadas e que precisam lidar com essa situação.desconfortável. No meio do caminho temos Deacon, descobrindo o câncer e entendendo o complicado e único tratamento possível, um transplante, já que Scar não é compatível, mesmo que tenha escolhido contar a amada, prevejo que a doação terá de ser feita pela Maddie, e isso não vai demorar muito.

Uau, quanta coisa! Episódio completinho e cheio de coisas boas para acompanhar. Vamos agora aguardar o que a Scarlett espera indo atrás da mãe, como vai ficar a relação da Maddie com o filho do Deacon, como vai ser a vida deste novo Jeff, se Sadie vai viver com medo do ex marido lunático e se teremos mais “Previously on Nashville” falado no inicio do episodio pela Daphne por que vamos combinar, foi muito bonitinho.

PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO.


Reações:

Sobre o Autor

 
Top