Comentários
Lilian Zin Lilian Zin Author
Title: [REVIEW] NCIS: NEW ORLEANS - S01E15: LE CARNIVALE DE LA MORT
Author: Lilian Zin
Rating 5 of 5 Des:
"Não funciona desse jeito. Não entre pais e filhas." - Dwayne Pride  Desde que NCIS: New Orleans foi anunciada, um evento em...
"Não funciona desse jeito. Não entre pais e filhas." - Dwayne Pride 

Desde que NCIS: New Orleans foi anunciada, um evento em particular veio imediatamente à minha mente: Mardi Gras. Não fiquei nem um pouco desapontada com o modo com que foi representado na série e fiquei mais feliz ainda com o fato de que o elenco realmente foi convidado para desfilar na terça-feira de carnaval pelas ruas de New Orleans.

O carnaval do Brasil é bem animado, mas o Mardi Gras não perde em nada. São os desfiles nas ruas, bailes em vários lugares, fantasias elaboradas e quase uma semana de comemoração. Do mesmo modo que temos os blocos, lá eles dividem em Krewes. Entre eles está o Rex, que seria o Krewe do rei do carnaval. Apesar de vários dias de comemorações, o Mardi Gras é apenas a terça-feira anterior à quarta-feira de cinzas. (Mardi Gras é fracês para terça-feira gorda, ou o “adeus a carne”, uma menção à quaresma). Mas, vamos parar com a aula de história e ir direto para o episódio.


O P.O. Toussaint Patrice foi morto, em um beco, com feridas feitas por uma lâmina. Mas o caso tinha bem mais que isso. Começando por um dos últimos locais em que a vítima foi vista: um baile em que todas as pessoas usavam as mesmas máscaras que o assassino. Patrice havia sido expulso da área vip do local por brigar devido a uma bebida derramada. Acontece que o suspeito não tinha nada a ver com o assassino.

Porém a vítima não estava usando uma máscara tradicional, como todo mundo. Ele usava uma máscara de gás. Daí começa a ficar interessante. Havia um pedaço de vidro para ser examinado e ele foi provado como um pedaço de uma lente para celulares. Outra informação era a de que o assassino e seus cúmplices estavam interessados em joias. A partir daí fica bem tranquilo.


Finalmente conhecemos Cassius, pai de King. Ainda não ficou muito claro o que ele fez para despertar a raiva do filho, mas já dá para ver que não foi nada bonito. Pride falando que ele não escreveria uma carta para a condicional dele porque a cadeia é o único lugar que pode o deixar salvo dele mesmo foi triste. Mas verdadeiro, ao mesmo tempo.

E Laurel botando mais gasolina no fogo, por assim dizer, defendendo o avô sem saber o que ele havia feito. Ainda acho que Pride deveria ter contado as histórias do que Cassius fez e não as histórias fofas de antes de tudo acontecer. Adoro a Laurel, acho que ela realmente deveria aparecer mais, porque ela sensibiliza King facilmente. Claro que isso vai voltar futuramente, mas por enquanto já foi o suficiente para esclarecer algumas dúvidas.


PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO

Reações:

Sobre o Autor

 
Top