Comentários
Bernardo Seben Bernardo Seben Author
Title: [REVIEW] MAD MEN - S07E08: SEVERANCE
Author: Bernardo Seben
Rating 5 of 5 Des:
 Eis que o drama mais influente da TV americana atual volta de sua longa pausa. Mad Men teve sua 7ª temporada dividida em duas partes, s...

 Eis que o drama mais influente da TV americana atual volta de sua longa pausa. Mad Men teve sua 7ª temporada dividida em duas partes, sendo uma delas, intitulada "The Beggining", exibida em 2014 e encerrada com maestria em seu episódio sete, "Waterloo", enquanto a parte final, chamada "The End of an Era", a temida remessa final de episódios deste clássico moderno, acaba de estrear neste abril de 2015.

E "Severance" foi um bom retorno ao meu ver. Talvez pela expectativa generalizada pelo retorno da série, o episódio acabou sendo um pouco decepcionante. Até porque, citando outros exemplos parecidos, The Sopranos e Breaking Bad, outros dois dramas aclamados pela crítica, tiveram suas temporadas finais divididas em duas partes, e também retornaram para sua leva final de episódios, com o pau comendo solto, enlouquecendo os fãs. O caso de Mad Men é diferente. Aliás, Mad Men é uma com um estilo diferente do usual, e isso é uma virtude. Matthew Weiner, criador do show, manteve durante todas as temporadas, um estilo padrão de escrita, com seu próprio ritmo, com suas características sutilezas e com várias doses de uísque marcando presença. Não havia porque já chegar botando pra quebrar, até porque, o roteiro Mad Men não funciona assim.

A cena inicial foi uma trollada típica do Weiner: o charmoso e clássico Don Draper, falando em tom mais charmoso ainda, com uma mulher muito bonita tirando a roupa bem devagar. Era o retorno do velho Don Draper? Não, era apenas trabalho. Uma orientação para uma atriz candidata a participar de um comercial. Mas depois o velho Don Draper voltou mesmo, nesse caso com o pau comendo solto mesmo (interprete como quiser), já com uma nova amante, e ainda após isto, com a garçonete que ele acreditava ser alguém de seu passado. Aliás, ao final do episódio, tudo deu a entender de que ela era ninguém, e que tudo seria paranoia do Don, mas, tratando-se da última temporada da série... Talvez a paranoia seja minha.


Já a discussão entre a Peggy e a Joan no elevador foi uma das mais tensas da série. A Joan, após tudo o que passou, e continua passando, por conta de seus "atributos", não suportou o comentário da Peggy sobre a sua maneira de se vestir. Eu adoro a Peggy, e entendi aquele comentário como uma forma de confortar a Joan, após uma avalanche de assédios numa reunião com executivos da McCann Ericksson, mas não funcionou muito e soou como uma repreensão. A Joan, claramente exaltada, entendeu de forma negativa, e revidou de forma ácida, com um "deal with it". Foi minha cena favorita do episódio. Após a relação delas ter tido uma trajetória marcado por pequenas discussões, trocas de gentilezas e apoio mútuo - de vez em quando - acredito que, especificamente, a discussão deste episódio pode ter consequências grandes na interessante relação entre as duas personagens.

O Ken Cosgrove nunca foi um personagem que se destacou muito. Teve seus bons momentos, mas nenhum foi tão bom quanto o deste episódio. Após ser confrontado pela sua esposa por ser um "covarde", por não arriscar fazer o que gosta (o que foi muito parecido com o Don, no mesmo episódio, lidando com a morte da Rachel Menken, e refletindo sobre o fato de ter negado uma relação amorosa recíproca com ela no passado), o loirinho caolho foi demitido pelo Roger (com seu novo bigode anos 70), após ordens vindas da McCann. Uma sequência de coincidências, como a aposentadoria do sogro, o colocou, incrivelmente, na irônica posição de cliente do Roger, e como o próprio Ken mesmo disse, ele não é um cliente fácil de ser agradado. Parece mesmo que o Ken fará o que gosta. E não é escrever, e sim, aproveitar-se dos outros.


Mad Men deixa claro que, após tanto tempo em exibição, é uma série quase imune a críticas negativas, visto que, mesmo com nem todo mundo curtindo o episódio de retorno da série, ainda é difícil encontrar alguém que tenha achado um completo lixo, ou tenha se desapontado profundamente com ela. No fundo, a maioria absoluta dos que não gostaram do retorno, acreditam fortemente que a série venha a ter um final excelente, enquanto a maioria dos que gostaram, estão confiantes num final "épico". Mas cuidado, Matthew Weiner já disse, mais de uma vez, que o final da série irá gerar controvérsia - o que é notável vindo de uns produtores-executivos do super-controverso final de Sopranos. 

Após um misto de opiniões em relação ao episódio, fica a expectativa geral de que os próximos encaminhem a história para um bom desfecho.

PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO:

Reações:

Sobre o Autor

 
Top