Comentários
W.H. Pimentel W.H. Pimentel Author
Title: [PRIMEIRAS IMPRESSÕES] - SUPERGIRL
Author: W.H. Pimentel
Rating 5 of 5 Des:
Girl Power Is Back On! Estou aqui com um love  imenso por Kara Zor-El e toda a sua equipe amável, ao mesmo tempo que uma dor gigante d...
Girl Power Is Back On!

Estou aqui com um love imenso por Kara Zor-El e toda a sua equipe amável, ao mesmo tempo que uma dor gigante de só ter o próximo episódio daqui a seis meses. 

Para quem é leigo de HQ's e afins e mal sabia da história do Superman, pegar uma série "derivada" e "similar" (elogios encontrados de modo avulso na internet) à Smallville, Supergirl bem que conseguiu. em 46 minutos de episódio, mostrar a que veio e jogar na cara do telespectador tudo aquilo o que ele/ela precisa saber sobre o enredo da série.


Basicamente, houve uma guerra em Krypton e antes do planeta explodir em pedaços pelo universo, Kal-El e sua prima, 13 anos mais velha, Kara Zor-El, foram enviados à Terra como último recurso, mas, infelizmente, a nave espacial onde Kara se encontrava, foi atingida por uma onda de energia e ela acabou indo parar na Zona Fantasma, lar da prisão de segurança máxima de Krypton, Forte Rozz. 24 anos depois, Kara caiu na Terra e foi resgatada pelo seu primo, que a deixou com os seus pais adotivos para que ela pudesse viver uma vida normal, uma vez que ele já havia crescido e por conta da sua hibernação, ela continuava com apenas 13 anos e já não mais tinha uma missão a cumprir.


Como nem tudo são flores na vida de ninguém, Kara acabou optando por viver uma vida "normal" e foi trabalhar para Cat Grant na esperança de mudar o modo que as pessoas pensam, ou seja, fazer algo interessante e que pudesse ajudar as pessoas, mas não foi nem de perto isso que ela conseguiu. Embora ela tenha tido sua meia-irmã Alex o tempo inteiro com ela desde que chegou à Terra, Kara claramente nunca conseguiu se adaptar ao planeta e enfrenta constantes constrangimentos em situações cotidianas de convívio social. Ela não se dá tão bem em encontros e é visivelmente cega quando o assunto é perceber que alguém está dando em cima dela (já que não percebeu o amigo cantando ela e também não percebeu o encontro nem aí para ela).


Saindo um pouco da vida cotidiana de Kara e migrando para o lado herói da série, já levamos um baque ao ver ela se revelando para o mundo logo no primeiro bloco do pilot da série, coisa que para The Flash levou o piloto inteiro e para Arrow levou alguns episódios aí (até que ele deixasse de ser visto como vigilante), e talvez essa evolução de uma série para outra seja um sinal excelente para a próxima série de Greg Berlanti, Legends of Tomorrow. Retomando o foco, Kara seguiu os passos do primo e salvou os passageiros de um avião prestes a cair - o qual a sua irmã se encontrava - e ali o mundo acabou conhecendo a Supergirl. A partir daí, a série mostra o seu ritmo dinâmico e irreverente em relação à ela se mostrando como uma heroína. Com a ajuda de seu melhor amigo Winn (que me desculpem, já estabeleci ship aqui), Kara acabou se metendo numas confusões básicas em relação ao uso de seus poderes. A falta de prática acabou causando resultados não tão favoráveis e logo ela foi capturada pelo DOE (Departamento de Operações Extranormais) e eles trataram de mostrar que a vida não é só sair fazendo algo.

Há consequências. Com a exibição clara e destemida do símbolo da casa de El no seu peito, os prisioneiros de Forte Rozz que escaparam quando Kara chegou à Terra, decidiram se vingar de Alura Zor-El (mãe da Kara) matando a nossa querida e amada Supergirl, e esta não tem a menor ideia do tamanho do perigo que ela terá que encarar. Adorei as cenas de luta da série, especialmente por, diferente de The Flash e Arrow, Greg ter posto a Supergirl levando umas boas surras antes de conseguir fazer algo decente com os seus poderes, e mais uma vez, isso se mostra como um ótimo sinal para Legends of Tomorrow.


Quando Kara finalmente encontra seu inimigo no deserto de National City (BTW, adorei o nome da cidade), os dois têm uma luta bastante rápida e ela, obviamente, leva umas boas porradas. Curti bastante o twist que Alex preparou ao guiar a irmã sobre o que ela deveria fazer e eu definitivamente não estava esperando ver Kara usar a sua visão de calor tão cedo (especialmente por já termos visto ela usando visão de raio-X, voo, super força, super audição e cura), e definitivamente isso me animou ainda mais para os próximos episódios. E AQUELE FINAL?! Colegas, a irmã gêmea da Alura ali simplesmente me deixou desmaiado no chão. Achei que teria uma break de baques com as séries depois do 3x16 de Wonderland, mas Supergirl não esperou e nem teve compaixão comigo e já chegou me destruindo. GOSTO ASSIM.

Eu sobre o final

De um todo, Supergirl mostrou bem a que veio e deu na cara dos pilotos tanto de Arrow quanto de The Flash, uma vez que, ao jogar na cara todas as informações necessárias para até mesmo alguém leigo de HQ's como eu, entender a série, pode acabar atraindo mais telespectadores e acabar dando bem certo na CBS (then again, se der errado, sempre temos a CW não é migos).

Deixarei aqui embaixo o trailer da série e o trailer de Legends of Tomorrow, para quem tiver curioso sobre. Até Novembro, galera!

Trailer Legendado de Supergirl:

Trailer Legendado de DC's Legends of Tomorrow: 
Reações:

Sobre o Autor

 
Top