Comentários
Leandro Cardoso da Cruz Leandro Cardoso da Cruz Author
Title: [REVIEW] THE FLASH - 1º TEMPORADA
Author: Leandro Cardoso da Cruz
Rating 5 of 5 Des:
Meu nome é Barry Allen e tenho uma série de super-herói que não tem medo de ser isso! Corro sérios risco ao fazer a afirmação acima,...

Meu nome é Barry Allen e tenho uma série de super-herói que não tem medo de ser isso!

Corro sérios risco ao fazer a afirmação acima, mas na minha opinião, é mais pura verdade. Numa época onde filmes e séries baseadas em HQ's tem que ser realistas e sombrios, The Flash beira o limite do fan service e as vezes até o ultrapassa. Viagens no tempo, um gorila telecinético, multiversos (Ok, essa fica pra próxima temporada), heróis e vilões com poderes beirando o inexplicável. Aaah mas não é um série perfeita. Não, não é, mas é quase, repito, quase como ver uma HQ ser transferida na sua integridade para a televisão. 

A série começa com Barry se recuperando dos ferimentos adquiridos com a explosão do reator de partículas. E ao acordar e ir conhecendo seus poderes, ele descobre que outras pessoas também foram afetadas, os chamados meta-humanos. E grande parte dos vilões da série se originam desse momento.

Um ponto que funcionou muito bem na série foi o relacionamento da equipe que ajudava o Flash. Cisco (Carlos Valdes), Caitlin (Danielle Panabaker) e Dr. Wells (Tom Cavanagh). Enquanto os verdadeiros interesses de Wells não foram expostos a equipe funcionou muito bem, cada um cumprindo seu papel e interagindo com Flash no seu desenvolvimento.



Diversos vilões foram apresentados nessa temporada, alguns clássicos, outros mais desconhecidos. Isso se vale da grande galeria de vilões que o Flash possui nos quadrinhos, suprindo facilmente a ideia de uma série de 23 que precisa do vilão da semana. É claro que isso tem seu lado negativo, tirando um pouco o foco da trama principal. Porém a série soube balancear e ir sempre trazendo referências as história maior.

E se teve algo que a série não teve medo de fazer, foi trazer easter-eggs! Meus amigos, a quantidade foi absurda e ao mesmo tempo perfeita. Só para citar alguns, podemos falar da referência à Hal Jordan (o Lanterna Verde) no episódio 22, além do Museu do Flash e do capacete de Jay Garrick (o primeiro Flash das HQ's) no episódio 23. Se fosse para apresentar todos, seria necessário um post só sobre isso. (Quem sabe um dia)

Outro ponto alto foram os efeitos. Sim, dava pra ver quando era computação gráfica, mas convenhamos, é uma série da CW, com um orçamento bem mais baixo se comparado a grandes produções. E os produtores da série afirmaram que poderão investir mais nessa área na próxima temporada. E bem, se com esse orçamento o Grodd já me convenceu, imagina melhorando!


Agora se tem algo pra criticar é o romance exagerado. E sim, isso é padrão de séries da CW e terá em todas as suas produções. O triângulo Eddie-Iris-Barry teve uma abordagem exagerada e se manteve em foco até o momento final do episódio final, o que não era necessário. E o fim da temporada deixa uma abertura pra que o romance continue a tomar sua parte na história.

A trama principal gira em torno da busca de Barry Allen pelo assassino de sua mãe e assim poder inocentar seu pai. No decorrer da temporada ele identifica o vilão como o Flash Reverso e passa a ter sua busca focada nele.


[Possíveis spoilers a seguir]

A história foi bem criada e com algumas boas reviravoltas. Desde o início da série fica claro que o Dr. Wells tem algo a esconder, porém só depois da metade da temporada é explicado que ele é na verdade Eobard Thawne e veio do futuro. A explicação do porque o Dr. Wells é o Flash Reverso é bem feita e satisfaz ao que havia sido apresentado. Suas motivações se tornam claras no fim da série e condizem com o personagem dos quadrinhos.

O episódio final, com Barry voltando ao passado para tentar salvar sua mãe e o fim do Flash Reverso pareciam deixar um claro fechamento pra história. Porém tudo termina com a reviravolta da reabertura do Buraco de Minhoca e a necessidade do Flash de salvar a todos mais uma vez.

A temporada se encerra com alguns ganchos claros. Além do final já comentado, temos a rápida aparição da Mulher-Gavião (ainda como Kendra Saunders), o rápido corte de uma cena de Legends of Tomorrow quando o Flash está tentando voltar ao passado e a descoberta de que Cisco foi afetado pelo reator (o que deve leva-lo a se tornar o herói Vibro).

Agora nos resta esperar a próxima temporada e acompanhar os novos rumos da série, com a inclusão de Multiversos e mais vilões! Para fechar, fiquem com o vídeo rápido onde os produtores Greg Berlanti e Andrew Kreisberg falam sobre a season 2:


Reações:

Sobre o Autor

 
Top