Comentários
Rafa Rodrigo Rafa Rodrigo Author
Title: [REVIEW] NASHVILLE – S3E21 e E22: IS THE BETTER PART OVER
Author: Rafa Rodrigo
Rating 5 of 5 Des:
É assim que Nashville encerra sua terceira temporada, com aquele drama, tensão e torcida a favor e contra seus personagens. Mesmo t...

É assim que Nashville encerra sua terceira temporada, com aquele drama, tensão e torcida a favor e contra seus personagens.

Mesmo tendo um cliffhanger padrão (afinal, não seria um final de Nashville sem a quase morte ou morte de alguém), estes dois episódios trouxeram fechamentos para alguns plots e inícios de outros, sendo o de Teddy o que menos me importava durante a temporada o que mais me surpreendeu. O prefeito foi marionete a temporada toda, e no final quis agir de forma diferente, para não ver sua ex cunhada e ex mulher envolvidas em um escândalo maior que o da sua própria vida, resolveu não colaborar com os feds. O que não esperava mesmo, era o envolvimento de Tandy nos podres de Lamar, principalmente a questão do dinheiro sujo que foi primordial para a criação da H65, pelo visto isso dará muito o que falar na próxima temporada.


Sobre Juliett a primeira coisa que me vem à cabeça ao analisar os últimos episódios é: Será mesmo que alguém pensou que uma intervenção com uma paciente que sofre de um transtorno psicológico seria a melhor abordagem para um início de tratamento? Um dos principais fatores tão comentados pela série em uma depressão pós-parto são as oscilações de humor, sendo assim, nada pior que uma reuniãozinha para apontar que você está doente. Claro, nada justifica os posicionamentos da princesinha do country, voltar a trabalhar com Jeff então foi o fim da picada. Agora o que esperar disso e do trabalho lado a lado com Luke na próxima temporada é uma incógnita.


Nos plots menores, Gunnar consegue ser ainda mais pedante que o normal, sendo apenas interessante quando está ao lado de Scarlett que resolve caminhar com o seu relacionamento com o doc que pelo visto, e contando com as trocas de olhares envolvendo entre ela e o Gunnar, não deve durar muito. Outro assunto chato que ainda precisaremos lidar será Layla e Jeff, minha revolta é tanto com o plot que vou falar apenas uma coisa, como pode uma pessoa quebrar o vidro dianteiro do carro do cara e no segundo seguinte com uma frase magica o cara ser perdoado por ser um completo idiota? 


Rayna e Deacon encerram seu plot, o mais pesado da temporada com a tão esperada cirurgia, onde Beverly decidiu ser a pessoa que salvaria a vida do irmão, claro, não por ser o que realmente queria, mas para mostrar que ela pode ser também uma heroína. Claro que a cena final envolve a morte de Beverly e não de Deacon, mas não há fã que não ficou com o coração na boca quando o doutor entra no quarto e fala a frase tanto ouvida em series medicas indicando que vem notícia ruim por aí...

Por fim, dentre os plots principais da série está o de Will, quem não ficou com o coração na mão ao ver que o rapaz seria arrancado do armário da pior forma possível? O envolvimento do pai do garoto em um dos episódios me surpreendeu pois pensei que logo que aparecesse, atrapalharia a vida do rapaz, mas não, a abordagem foi carinhosa já que o paizão esperava que o rapaz tivesse sido “curado”, só que não. O que gostei mais disso tudo foi a conclusão deste impasse que vem sido carregado por todas as temporadas até aqui, Will se assumindo, diante de tudo e de todos, e se envolvendo de forma verdadeira com o Kevin, tendo direito até mesmo a um I love you (que espero ser respondido com um I love you too daqui a uns meses) fazendo deste o momento mais cute deste season finale.

Agora é esperar, a série foi renovada, sem aquele stress do ano anterior, quando não sabíamos se teríamos ou não outra temporada. Que venha a quarta temporada com bastante drama, músicas lindas e lagrimas. See yall!

Reações:

Sobre o Autor

 
Top