Comentários
W.H. Pimentel W.H. Pimentel Author
Title: [REVIEW] ORANGE IS THE NEW BLACK - S03E01 - MOTHER'S DAY
Author: W.H. Pimentel
Rating 5 of 5 Des:
Voltou calma, mas voltou bem. A terceira temporada de Orange is the New Black acabou sendo liberada algumas horas mais cedo que o pre...
Voltou calma, mas voltou bem.

A terceira temporada de Orange is the New Black acabou sendo liberada algumas horas mais cedo que o previso (como recompensa de nosso bom comportamento) e o Diário de Seriador não perderia de jeito nenhum a oportunidade de fazer a review logo cedo, não é mesmo? Ficou curioso (a)? Então desce para ver o que rolou na premiere dessa série maravilhosa!


Como era de se esperar, houve uma passagem de tempo razoável entre o final da segunda temporada e o início da terceira e, como resultado disso, alguns plots se desenvolveram no meio do caminho. Nicky e Big Boo, aparentemente, estão tentando comandar o tráfico que Vee gerenciou na temporada passada, porém, nenhuma das duas nunca teve alguma ideia genial para continuar o processo e estão com planos bem patéticos de remover todo o bagulho da lavanderia. Adorei o recomeço da amizade entre Nicky e Morello, coisa que não vejo tanta fofura desde a primeira temporada, foi bom ter alguns momentos dessas duas loucas para aliviar o ânimo. Big Boo também compartilhou um momento com Pennsatucky, cuja revelou ter abortado seis filhos quando ainda era uma drogada. Confesso que eu nunca fui fã da Pennsatucky, mas até em mim esse momento doeu um pouco, poxa, ter que abortar seis filhos não deve ser nada fácil. Ainda bem que Big Boo levantou o nosso alto astral citando um dos livros que ela leu.


Alex e Piper mal apareceram no episódio e estranhamente, fiquei bastante feliz com isso. A explosão de raiva/vingança de Piper no final da segunda temporada tentando sabotar a vida de Alex me fez imaginar que no momento em que Alex aparecesse em Litchfield, Piper desceria o cassete nela ou mandaria um daqueles quotes tipo "Olha só quem voltou!", mas para a minha tristeza (e para aumentar ainda mais o meu sono), as duas reataram o relacionamento e estão tentando ser fofinhas. Ai que preguiça da Alex, senhor. O bom é que o Larry não volta essa temporada, então é menos um peso morto para ter que aturar.


Red decidiu se tornar uma pessoa free spirit e agora canta Diante do Trono (brincadeira). Na realidade, caiu a ficha de que ela só tem mais dois anos na prisão e que qualquer deslize ali dentro poderia aumentar a sua pena, então ela acabou ativando o modo foda-se e parou com toda e qualquer criminalidade que ela cometia ali dentro. No entanto, esse plot e mais alguns outros ainda devem dar as caras até o final da temporada, uma vez que duas das mentiras de Piper já foram mencionadas (a do restaurante e a da Alex) e isso não deixará ninguém feliz, muito em especial Red, que já fez bem mais por bem pouco. Te cuida Alex... Aliás, não te cuida não que eu não gosto tanto assim de você.

É dia das mães na penitenciária de Litchfield e como é de costume, aquele lugar nunca aparenta ser uma prisão de verdade e está sempre fazendo o melhor para garantir o conforto das inmates (oi?), só que como era de se esperar, Orange nos enviou mais um episódio calmo e que todo esse enredo envolvendo o dia das mães serviu, na maior parte, para criar novas histórias ao longo da temporada. Os flashbacks das personagens com suas respectivas mães foi espetacular e em particular, amei o da Nicky e da Pennsatucky, mas não pelo que ocorreu e sim por nunca ter visto algo da infância delas. Não sei se a intenção do episódio foi tentar centralizar a Daya como personagem chave, mas se foi, definitivamente não funcionou. O enredo dela está ficando cada vez mais batido e a personagem que um dia já foi minha favorita, agora me faz revirar os olhos de desprezo só de olhar para a cara (o mesmo serve para crazy eyes, sorry fellas). Eu só espero que, por algum milagre de Cristo, essa história dela com o bebê crie um impacto gigante e isso recaia sobre os ombros de alguém importante na série, porque eu não estou nem aí para o Bennett.


Poussey e Taystee referenciando Harry Potter foi a melhor coisa do mundo, e agora a Poussey parece estar acreditando em magia. Espero que ela consiga falar com a mãe dela - ou pelo menos, acredite que foi com a mãe dela que ela falou -, já que ela é a mais sofrida ali, uma coisa boa tem que acontecer, pelo menos. Também senti muita falta das loucuras da Sophia, das asiáticas, das mexicanas e lógico, da sem noção da Soso. Mudando um pouco para o lado profissional da coisa, Sam Healy ficou muito enfurecido com a contratação da nova policial - corrijam-me se estiver errado, mas ele deu o mesmo chilique na primeira temporada, não foi? - e Caputo não está nem aí para o que ele pensa ou deixa de pensar, e francamente, nem eu, já que a policial nova é bem mais interessante que metade do elenco. 

Bom pessoal, essa foi a premiere de Orange is The New Black. Comentem aqui o que vocês acharam do episódio, suas teorias (se é que é possível ter teorias com essa série) e, obviamente, não se esqueçam de divulgar as reviews para os migos, ok? Vejo vocês na próxima review, valeu!
Reações:

Sobre o Autor

 
Top