Comentários
Leandro Cardoso da Cruz Leandro Cardoso da Cruz Author
Title: [FILMES] CRÍTICA #65 - HOMEM-FORMIGA
Author: Leandro Cardoso da Cruz
Rating 5 of 5 Des:
"Eu preciso que você seja o Homem-Formiga!" Caros leitores, temos enfim a crítica do mais novo filme do Marvel Studios , ...
"Eu preciso que você seja o Homem-Formiga!"

Caros leitores, temos enfim a crítica do mais novo filme do Marvel Studios, mais um que integra o Universo Cinematográfico da Marvel!

Em primeiro lugar, devo citar que, devido aos problemas na produção (saída de Edgar Wright da direção depois de anos preparando o filme) ele se mostra bem fechado, com uma história simples que atende ao público comum e serve aos fãs de quadrinhos de forma quase satisfatória.

Por que quase? Bem, acredito que em alguns momentos o filme peca por acelerar demais a história para condensar a criação dos personagens e o objetivo final em um filme de 115 minutos. Além disso, toda a cena que relaciona o Homem-Formiga com o Falcão serve apenas pra dar aquela certeza que é o mesmo universo (da mesma forma que Guardiões da Galáxia só mostrou Thanos pra isso).

Mas tirando essas chatices reclamações, o filme diverte e serve de uma boa introdução à um personagem pouco conhecido do grande público!


A atuação de Michael Douglas como Hank Pym, o Homem-Formiga orinigal, é, como sempre, excelente! Ele consegue passar sua preocupação com o êxito da missão e com a segurança de sua filha de uma maneira que não fica nada forçado. Além disso, apesar de ele não demonstrar claramente os problemas que Pym tem nos quadrinhos, ele deixa claro em alguns momentos que o personagem não é a pessoa mais equilibrada do mundo.


Esse pra mim foi o motivo da Marvel usar Scott Lang (Paul Rudd) como o herói do filme. Hank é sim um personagem importante nas HQs, mas o seu lado mais sombrio (acessos de raiva e loucura) não casam com o tom dos filmes da Marvel. Já Scott em sua jornada de redenção e de ser uma pessoa boa pra sua filha tem o perfil padrão. Devo admitir que Paul Rudd foi bem no papel, mas às vezes parecia estar vendo o Chris Pratt falar, de tão parecidas que achei as atuações. Mais uma vez sou eu sendo chato!


O vilão do filme, interpretado por Corey Stoll, mais uma vez segue o mantra marveliano de inimigos que são maus ou loucos por natureza, ou com um motivo raso. As cenas de ação com ele foram boas, mas me pareceu uma atuação por vezes caricata de mais.


Por fim, a personagem de Evangeline Lilly, Hope Von Dyne, a filha de Hank Pym com Janet Von Dyne (a Vespa original), demora a engrenar, mas também passa por seu momento de redenção ao perdoar o pai e ajudá-los. O presente da cena pós-créditos era esperado e merecido, além de que deve ter uma importância maior no futuro dos filmes da Marvel.

Não posso deixar de citar a morte mais triste do Universo Cinematográfico Marvel: Anthony, sentiremos sua falta!

Ah sim, é impossível não apontar que, dessa vez, acho que a Marvel acertou o tom na comédia, diferente de Vingadores: A Era de Ultron, com piadas na hora certa! Luis foi um personagem importante nesse ponto.

Por fim é claro, vocês viram né: "Temos heróis que sobem pelas paredes". Vem Spidey!




Reações:

Sobre o Autor

 
Top