Comentários
Michelle Louise Michelle Louise Author
Title: [C.NERD] RESENHA- O PLANETA DOS MACACOS
Author: Michelle Louise
Rating 5 of 5 Des:
Livro cedido de parceria pela editora Aleph Em pouco tempo, os desbravadores do espaço descobrem a terrível verdade: nesse mundo, se...
Livro cedido de parceria pela editora Aleph

Em pouco tempo, os desbravadores do espaço descobrem a terrível verdade: nesse mundo, seus pares humanos não passam de bestas selvagens a serviço da espécie dominante… os macacos. Desde as primeiras páginas até o surpreendente final – ainda mais impactante que a famosa cena final do filme de 1968 –, O planeta dos macacos é um romance de tirar o fôlego, temperado com boa dose de sátira. Nele, Boulle revisita algumas das questões mais antigas da humanidade: O que define o homem? O que nos diferencia dos animais? Quem são os verdadeiros inimigos de nossa espécie? Publicado pela primeira vez em 1963, O planeta dos macacos, de Pierre Boulle, inspirou uma das mais bem-sucedidas franquias da história do cinema, tendo início no macacosclássico de 1968, estrelado por Charlton Heston, passando por diversas sequências e chegando às adaptações cinematográficas mais recentes. Com milhões de exemplares vendidos ao redor do mundo, O planeta dos macacos é um dos maiores clássicos da ficção científica, imprescindível aos fãs de cultura pop.


Ulysse Mérou, jornalista francês, e o renomado cientista Antelle, deixam o planeta Terra com a intenção de explorar um planeta no sistema da estrela Betelgeuse. Com a tecnologia desenvolvida pelo professor Antelle, eles viajariam numa velocidade próxima a da luz. Os passageiros presente na viagem sabiam que quando retornassem para casa já teria se passado muitos anos (afinal, a passagem do tempo se dá de maneiras diferentes nesses dois ambientes) e seus parentes e amigos já não existiriam mais. Um risco de todos aceitaram prontamente correr para alcançar seus objetivos de explorar esse desconhecido sistema. 

Ao chegarem ao novo planeta, logo percebe-se que sua fauna, flora, bem como a composição química são semelhantes às encontradas no planeta Terra. Com uma única diferença básica e fundamental. Os seres humanos não reinavam ali. Desprovidos de intelecto desenvolvido, os seres humanos viviam a mercê daqueles que dominavam a inteligência, as ciências e as artes do planeta: Os macacos.  

Após ser capturados pelos Macacos (que viviam numa ordem que inclua gorilas, chipanzés e orangotangos), Ulysse precisa provar que possui inteligência e fazer entender (e provar) que ele veio de outro planeta, onde os papéis dos símios e homens era completamente invertido. 

O livro é narrado por Ulysse, afinal, a obra é o relato deste de tudo que passou, viu e sentiu no Planeta dos Macacos. A obra é repleta de personagens marcantes como Dra. Zira, uma chimpanzé extremamente sensível e perceptível a presença de uma inteligência em Ulysse. Zira é um personagem extremamente doce, ao mesmo tempo que é lógica, e isso faz com que você se apague a ela muito rápido. Assim como Nova - uma selvagem humana no planeta-, com que Ulysse se apega - muito guiado pela questão da atração sexual- porém, se sente frustado pela limitação intelectual da mesma. 

Com uma escrita extremamente fluida, com personagens bem desenvolvidos e descritos, é uma missão praticamente não se apaixonar pela obra. E, obviamente, ainda mais difícil não se encantar e parar para pensar em todos os debates que o autor propõe. 



Minhas lembranças sobre "Planeta dos Macacos" remontavam dos últimos filmes da franquia, isso mesmo... a série atual iniciada em 2011 com James Franco.  O livro era, até o lançamento desta edição pela Editora Aleph, relativamente difícil de encontrar para ler, então, vocês podem imaginar a minha alegria quando recebi esse verdadeiro presente da Editora. 

O estilo da narrativa de Boulle neste livro me remeteu muito a Julio Verne, o qual amo, então é uma escrita que muito me agrada. Escritas em primeira pessoa, quando feita dessa forma e com essa qualidade principalmente, me prende na leitura (e isso ocorre em raras vezes, prefiro geralmente a terceira pessoa). 

O livro, com passagens bem ácidas em alguns momentos - me fazendo quase rir- é uma crítica direta a forma como a sociedade humana se organiza e vive. É impossível não se sentir afetado pela inversão dos papéis na história. No planeta dos Macacos, os símios utilizam seres humanos como sua cobaias em testes, lobotomia e afins. A narração de Ulysses é de espanto e repulsa ao ver sua espécie sendo utilizada para tais fins. Porém, quando paramos para pensar, é exatamente isso que fazemos com os macacos aqui, em nosso planeta. 

Porém, uma das coisas mais fantásticas, ao menos para mim, é a forma como Boulle encara o fim das civilizações - como a humana que ocorreu em tal planeta. Se na obra cinematográfica nos primeiros filmes (entre os anos de 1960 e 70) o responsável por esse fim foi uma explosão nuclear, onde apenas 3 símios sobrevivem, e na atual é uma gripe criada em laboratório que os deixa mais inteligentes ao mesmo tempo que mata parte da humanidade, na versão de Boulle é tudo mais simples. As sociedades são finitas. Não existe uma causa específica, elas são feitas para acabarem algum dia, é impossível que elas reinem para sempre. Não há culpados. 

Dentro de um contexto laboratorial de experimentação animal, a troca de símios por humanos pode chocar o leitor no começo. Parece cruel. Parece cruel porque é cruel, porém, neste planeta isso ocorre com macacos. Se ver na situação do outro te obriga a pensar, a sentir, é um diálogo e uma criação de linha de pensamento importante. A obra pode não ser recente, porém, seu debate ainda é atual. O que me encanta na mesma proporção que me assusta. 

Preciso fazer uma nota sobre a qualidade da edição do livro. Numa capa vermelha, com um crânio ao fundo, é difícil não prestar atenção a obra. Que conta ainda com bordas arredondadas e páginas mais grossas que o normal (acreditem, as páginas são lindas e muito gostosas de ler, de mexer), com um posfácio maravilhoso, o livro é absolutamente encantador (e fica maravilhoso na estante, com essa lombada vermelha e escrita rústica). 

De longe, posso dizer que foi uma de minhas melhores leituras. Gosto de livros que te propõe um "algo mais" para se pensar quando você termina e ele faz justamente isso. Aliás, ele te fornece vários "algos mais" para pensar a respeito depois. Sobre valores, inteligência, questões de experimentação animal, evolução humana ou, o mais simples, "para onde vamos afinal?". É preciso tentar não se deixar levar pelo sentimentalismo e compaixão pela espécie humana ao ler este livro. Abra a mente e viaje.

Acredite, o Planeta dos Macacos é uma viagem que vale a pena. 

AUTOR: Pierre Boulle

NÚMERO DE PÁGINAS: 216
EDITORA: Aleph
LANÇAMENTO: 2015
ONDE COMPRAR: Clique aqui.


Reações:

Sobre o Autor

 
Top