Comentários
Camila Menezes Camila Menezes Author
Title: [REVIEW] HANNIBAL - S03E13 - THE WRATH OF THE LAMB
Author: Camila Menezes
Rating 5 of 5 Des:
Hannibal: aquela série com enredo já conhecido, mas ainda assim é capaz de deixar o seriador estático na frente da tela. Eu terminei o ep...
Hannibal: aquela série com enredo já conhecido, mas ainda assim é capaz de deixar o seriador estático na frente da tela. Eu terminei o episódio do mesmo jeito que terminei a primeira season finale: incrédula. Aquela sensação de não estar acreditando no que seus olhos veem e, isso é a melhor coisa que há em Hannibal. Inovação!

Engano nosso ao pensar que a terceira temporada seria algo estritamente novo e que seria focada na caçada ao então revelado Hannibal Lecter. Essa terceira (e última) temporada foi nada mais do que a continuação da segunda, que drasticamente foi interrompida pelo último episódio Mizumono. Hannibal sempre teve o objetivo de fazer Will cruzar a linha do escrúpulo que os diferenciava. O objetivo era fazer Will tornar-se o próprio Hannibal, tendo em vista que eles são iguais, a não ser por alguns limites que Will se recusava a cruzar. Will se recusou a ser discípulo, Hannibal fugiu e deu-se início a caçada ao canibal. Quando Lecter se entregou ao FBI e disse que estaria em um lugar onde Graham saberia onde o achar, o que ele quis dizer era que, caso Will mudasse de ideia, o canibal ainda estaria disposto a transformá-lo em algo maior.

E assim foi de fato. Assim que houve oportunidade, o pequeno Graham “precisou” ver Hannibal Lecter e o processo de transformação recomeçou e seu ápice aconteceu na series finale

- Isto é tudo que sempre quis para você, Will. Para nós dois.
- É lindo.


Esse diálogo não deixa dúvidas que, naquele momento, enquanto matavam Dolarhyde, Will cruzou a linha da moralidade e tornou-se o próprio Hannibal. A transformação que teve início na segunda temporada concretizou-se na terceira. Os dois sabiam que, no exato momento que se encontrariam novamente, o jogo de influências recomeçaria e tenderia a se concretizar. Por isso, Will disse a Molly que não retornaria da mesma forma. 

Vimos acontecer dentro de três temporadas a transformação de um personagem tão complexo, tão cheio de facetas, tão rico em interpretações. Acompanhar uma personalidade ser trabalhada meticulosamente ao longo de três anos é lindo. Isso sim é lindo! 
Vi ao longo de três anos a personalidade de cada um dos personagens ser transformada em algo maior. Não a do Will somente! Compare Alana Bloom da primeira temporada com a mesma Alana da terceira. Antes extremamente ingênua e agora madura. Jack Crawford, pescador de homens, tornou-se um homem sem esperança, mais seco depois da morte da sua esposa. Todos os personagens tiveram oportunidade de crescer bem ali, diante dos meus olhos. 

Bem diante dos meus olhos eu vi um produtor corajoso reviver um enredo pré-existente, com todo o peso das comparações, e conseguir sustentar essa série por três longos anos, mesmo com uma audiência medíocre. Eu vi uma série extremamente desafiadora para um canal aberto gradativamente conquistar respeito no meio dos seriadores. Eu vi como essa série proporcionou a muitos jovens a oportunidade de conhecerem um dos melhores thrillers psicológicos da literatura americana. Eu sou o fruto da coragem desse produtor e como eu sou grata por isso. Foi através dessa série que eu conheci Hannibal, o canibal interpretado por Anthony Hopkins. Foi através dessa série que eu conheci filmes icônicos que, até então, nunca tinha ouvido falar como Dragão Vermelho e Silêncio dos Inocentes. Foi através dessa série que eu conheci personagens tão incríveis como Mason e Margot Verger, Francis Dolarhyde, Clarice Starling, Will Graham, Jack Crawford, Alana Bloom, Frederick Chilton e, claro, Hannibal Lecter.

Todos, personagem e seriadores, tivemos a oportunidade de crescer ao longo desses três anos. Olhe como Francis mudou do episódio 8 para o 13. Olhe diferença da postura quando foi para cima de Hannibal. De menino tímido a senhor de si mesmo. Morreu como Dragão em todo seu esplendor. Bedelia, sempre tão segura de si mesma, visivelmente abalada ao se tornar a nova Abel Gideon. Apreciada não apenas por um canibal, mas agora dois. Naquela cena pós-créditos vemos três cadeiras à mesa. Provavelmente, aquela cena se passa algum tempo depois da morte do Francis e, Hannibal e Will foram cumprir uma promessa antiga.Para evitar que acontecesse o mesmo, Alana fugiu junto com sua nova família e me deu o grande presente de ver o tão desejado bebê Verger e rever a família Verger uma última vez. 

Avaliando a temporada em si, momentos como a morte do Mason e o desenvolvimento do Dragão Vermelho foram os pontos altos desse último ano, mas em relação ao último episódio, continuo com o final da temporada passada no topo de melhor final que já vi na minha vida. A cena da queda do penhasco foi melodramática demais e desnecessária, tendo em vista que um final aberto poderia ser construído de outra maneira.
Desde o anúncio de cancelamento, meus sentimentos já passaram por muitos estágios. De revolta à negação. Mas, especialmente hoje, o sentimento predominante em cada linha desta review é tristeza. Tristeza porque odeio despedidas. Ainda mais quando essa despedida é tão prematura e injusta. Mas como disse Martha DeLaurentiis, a lealdade de fãs e a paixão não podem ser medidas de forma precisa por um sistema de audiência de TV. E, nós, fãs de Hannibal, somos insanamente apaixonados e expressamos isso de todas as formas possíveis. Se Hannibal teve três temporadas, a culpa disso é minha e sua. Com o registro de audiência, a série teria tido 1 temporada apenas. Foi a repercussão na internet, os comentários carinhosos que impulsionaram mais dois lindos anos.

Sempre fiz questão de deixar claro nas minhas singelas análises que falar de Hannibal não é um emprego. O que me motivou a compartilhar minha opinião com vocês foi meu profundo amor por essa série. Eu amo Hannibal. Desequilibradamente, eu amo Hannibal e tenho certeza que você notou isso em alguma review ao longo desses anos.

Obrigada a todos que me acompanharam e compartilharam comigo teorias, sentimentos, surtos e tristeza ao longo dessas temporadas. Há muitos tipos de leitores que me acompanham, desde aqueles mais participativos, que comentam e criam teorias comigo até aqueles que leem, vão embora e guardam sua opinião para si mesmo. Cada um de vocês foi o responsável por colocar a minha review em primeiro lugar nas mais vistas da semana aqui no Diário por 13 vezes durante o ano. 

Obrigada a todos os recados carinhosos que eu encontrei aí embaixo nos comentários. Obrigada por me incluir na experiência de ver Hannibal. Por hoje, o destino e as circunstâncias tem nos devolvido a este momento, quando a xícara estilhaça e somos obrigados a nos despedir. No entanto, haverá um lugar onde a xícara volta a se juntar. Lá estão Clarice Starling, Abigail Hobbs e Mischa. Quando a xícara voltar a se juntar, não precisaremos nos despedir porque iremos nos reunir novamente para mais uma temporada. Mas isso só quando a xícara voltar a se juntar.

Au revoir
Reações:

Sobre o Autor

 
Top