Comentários
Leandro Cardoso da Cruz Leandro Cardoso da Cruz Author
Title: [REVIEW] FEAR THE WALKING DEAD - S01E03 - THE DOG
Author: Leandro Cardoso da Cruz
Rating 5 of 5 Des:
"Boas pessoas são as primeiras a morrer" E a história vai se desenvolvendo a passos lentos, como prometido diga-se de passage...
"Boas pessoas são as primeiras a morrer"

E a história vai se desenvolvendo a passos lentos, como prometido diga-se de passagem. Mais um episódio e basicamente a trama se passa em uma noite e o começo da manhã. Mas ainda assim parece-me que está sendo bem desenvolvido, ainda há interesse nos conflitos, ainda. Digo isso porque fico em dúvida se a série pode se manter nessa ideia ou se vai sentir a falta de um grande acontecimento. A menos que este grande acontecimento esteja vindo, fica a espera.

Até quase metade do episódio o grupo seguiu separado, Travis, família e os Salazar estavam no centro da cidade, em meio a destruição, enquanto Madison e filhos estavam em casa, esperando por eles. Para que essa reunião pudesse enfim acontecer, o pessoal do centro decide abandonar a barbearia e fugir em meio a multidão de arruaceiros, brilhante não é mesmo? De qualquer forma era aquela situação, se ficar o bicho come (literalmente talvez), se correr o bicho pega. 


Na fuga Griselda, a senhora Salazar, tem o pé esmagado em um acidente. Esse fato pode ter unido definitivamente a família portenha ao grupo principal na história. Após chegar à caminhonete, Travis tenta levar os Salazar à um hospital, mas estão todos sob ataque. Vejamos a lógica - hospitais, check! Pessoas morrem lá, check! Zumbis, check!

Enquanto isso, no núcleo Monopoly da série...ok, péssimo. Mas de qualquer forma, achei boa a sacada deles jogarem enquanto esperam por Travis e os outros. Demonstra que, mesmo sabendo que há algo de errado, as pessoas ainda não entendem o real problema que estão enfrentando.


Agora o que pra mim foi um pouco forçado no episódio: eles escutam um barulho lá fora, é o zumbi do vizinho, ok, até aí tudo bem. Mas o Nick lembrar que os vizinhos, dois velhinhos asiáticos tinham uma espingarda, sabendo até o lugar em que guardavam, foi meio aleatório, não é? Ok, falamos dos Estados Unidos, onde todos tem armas, mas ainda assim.

Tirando isso, essa arma veio a ter importância na trama, sendo usada por Daniel (o senhor Salazar, pra quem não ligou o nome a pessoa ainda) pra se livrar do zumbi-vizinho. Foi colocada em questão a incapacidade de alguns em lidar com a situação, frente ao sangue frio de outros. Expediente comum em The Walking Dead, que se repete aqui.


Por fim, os personagens começam a compreender o que está acontecendo, primeiro com Nick, ao dizer que a vizinha não está doente, mas sim morte, e depois com Alicia, que enfim entende o que houve com Matt. Agora a questão é como esse entendimento será desenvolvido e como irá afetar a todos. 

Outro gancho deixado para a sequencia é a reação de Nick ao saber que tem que dividir seus remédios com Griselda (ó o vicio sendo tratado aí, ainda tá indo bem). Além disso acredito que a aversão de Travis às armas deve render um bom plot, além da relação de sua ex-mulher com Madison.

A chegada do exército no fim do episódio deixa uma mensagem interessante: a fé do norte-americano em suas Forças Armadas. E isso será posto a prova no decorrer da série, uma vez que sabemos, por TWD, que o exército não tem êxito em deter a ameaça.

ps: nada do nosso ídolo Tobias dessa vez.

A seguir, a promo do próximo episódio:

Reações:

Sobre o Autor

 
Top