Comentários
João Carlos João Carlos Author
Title: [REVIEW] LAW & ORDER: SVU: S17E03 - TRANSGENDER BRIDGE
Author: João Carlos
Rating 5 of 5 Des:
Preconceito e aceitação foram os temas abordados neste episódio e foi feito de uma forma magistral e bonita de se ver. Temas assim são c...

Preconceito e aceitação foram os temas abordados neste episódio e foi feito de uma forma magistral e bonita de se ver. Temas assim são comuns em séries e afins e não chega a ser uma novidade, mas saber explorar de uma forma interessante é o diferencial.

Acompanhamos brevemente a vida de Avery Park um garoto que decidiu abraçar sua orientação sexual e diferente dos garotos da sua idade se maquiava e usava roupas consideradas de mulheres. Ela, como gostava de ser dirigida, tinha aceitação dos seus colegas mais próximos e principalmente a aceitação dos seus pais com quem ela poderia ser verdadeira.

Por ser diferente dos padrões da sociedade Avery era sempre alvo de chacota pelo seu jeito de vestir e é em um desses momentos horríveis que a vida dela cruza com a de Darius McCrae. Devido a sua ignorância e preconceito, Darius junto de outros amigos mexem com Avery tentando intimidá-la, perguntando o porquê da maquiagem e do vestido, incentivado por outros jovens que estavam no local. Até que então, acidentalmente, Avery é empurrada da ponte e é a partir desde momento que a unidade entra em ação para investigar o ocorrido.

Enquanto Avery estava hospitalizada pelos ferimentos causados da queda, os culpados sendo menores de idade seriam julgados pela vara da família. Mas, após uma complicação devido ao ferimento na perna de Avery, resultando em sua morte, o responsável pela queda, Darius, será julgado na vara criminal podendo ser julgado como um adulto.

Achei meio extremo fazerem isso de julgar Darius como um adulto. Uma estratégia usada pelo promotor Kenneth O’Dwyer, que já havia aparecido na série na temporada passada, para fazer do caso um exemplo contra esses tipos de crime. E fiquei surpreso da condenação, pois acreditava que haveria uma comoção por parte da juíza, mas não foi o que aconteceu.


A forma como a série consegue desenvolver alguns personagens, isso tirando os personagens principais, às vezes é interessante. Há algumas vítimas ou até mesmo os suspeitos que a série deixa a desejar no seu desenvolvimento, mas há outros que a série faz ser cativante. Neste episódio senti uma certa empatia com a personagem Cheryl McCrae, mãe do Darius. Por mais que a personagem aparece pouco no episódio, dá para notar que ela está preocupada com o futuro do filho e se sente culpada em falhar com ele. Claro que além dos personagens serem bem escritos, o ator ou a atriz que está interpretando a personagem faz a diferença e Adrieen C. Moore, atriz que interpreta a Cindy de Orange is the New Black, conseguiu passar muito bem os aflitos da personagem.

Com o preconceito e a aceitação veio o perdão. Perdão que veio a partir da própria Avery após receber o pedido de desculpa de Darius. Ela, como ninguém, sabe como é difícil ser ela mesma e receber um pedido de desculpas é algo quase único e em seu último momento de vida decide perdoar Darius. E perdão, também, vinda dos pais de Avery que, mesmo após a morte de Avery, tentam ajudar a família de Darius, pois eles veem o arrependimento do garoto em relação ao ocorrido e também como o último pedido da filha. Mas toda ação leva a uma consequência seja ela ruim ou boa.


E assim a temporada continua numa maré de bons episódios. Cedo dizer que será uma temporada fantástica de se acompanhar, mas se os episódios restantes forem iguais a esses três que já foram apresentados, essa temporada será de toda boa.

PS: Em um momento do episódio achei que Darius estaria secretamente apaixonado por Avery e as provocações foram só para disfarçar na presença dos amigos, mas foi só impressão mesmo.

PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO:

 
Reações:

Sobre o Autor

 
Top