Comentários
Lilian Zin Lilian Zin Author
Title: [REVIEW] NCIS: NEW ORLEANS - S02E05: FOREIGN AFFAIRS
Author: Lilian Zin
Rating 5 of 5 Des:
  “Ooh! Takes talent to get under Dwayne Pride's skin.” – Loretta Wade Depois de muito pensar se veria ou não o episódio de NOLA ...
 “Ooh! Takes talent to get under Dwayne Pride's skin.” – Loretta Wade

Depois de muito pensar se veria ou não o episódio de NOLA no “dia certo”, (tudo por uma prova de cálculo), acabei optando por aceitar King como luz do meu dia. E, posso dizer, não me arrependi, mesmo ficando um pouco irritada com a presença da Parsons, mas volto a falar disso depois.

Não sei se a culpa foi da hora em que assisti ao episódio, mas achei o caso um pouco confuso. Teve momentos em que me perdi entre os nomes e nacionalidades de Colston e Ryder. Mas o assassino, ah, soube desde a primeira vez que o vi. Apesar de minha confusão, gostei do caso. Não tanto quanto gostei dos casos apresentados nos episódios anteriores, mas foi bom.

O que gostei sobre o caso foi como toda a história foi levada para a situação de que o hitman havia errado seu alvo, matando Colston, aparentemente inocente, ao invés de ter matado Ryder. E mesmo já sendo uma coisa muito repetitiva toda a situação de uma pessoa totalmente ciumenta arquitetar todo um plano complexo para ficar com quem ama, mesmo sem ser correspondido, gostei da forma que foi tratada.


 Outra coisa que AMEI, definitivamente, foi Chris e Brody trabalhando juntos novamente. Sei que é acabar pedindo muito, mas se houvessem brincadeirinhas entre os dois, como na primeira temporada, ficaria extremamente feliz. Ainda bem que desisti de shippar os dois já no primeiro episódio, porque só agora vejo como é bom ver a amizade de ambos e como se parecem mais irmãos do que um casal.

Senti falta da Sonja. Mas muita falta mesmo. Ela dá um tom de leveza, tendo em vista que ela, Lasalle e Sebastian são “a parte divertida” da série. Loretta e Sebastian apareceram pouco nesse episódio, mas espero que seja algo bem temporário, tendo em vista que o foco do plot secundário foi King.


Não me entendam errado: amo o Pride. Desde o momento em que o vi em Crescent City (NCIS – S11E18), me apaixonei. Quando vi que ele e Linda haviam se divorciado mesmo, fiquei feliz por um lado, pois não veríamos mais um King desesperado para salvar o casamento, mas fiquei com receio de ele se afundar em trabalho. Tudo estava indo perfeitamente bem, até Parsons aparecer. E, por coincidência, justo quando Laurel está na cidade. Adoro a Laurel, mas achei que sim, ela estava tentando fazer o pai apressar seu tempo de “luto” e já seguir em frente, como Linda fez.

Certo, ele merece arrumar alguém que o ame muito e que ele vá amar também. Mas não acho que foi certo isso de praticamente “empurrar” a Parsons, do nada, para trabalhar no caso. Reconheço que ela tinha suas qualidades, mas não me convenceu. Espero que o próximo episódio, de Halloween <3, seja bem melhor do que esse.

“Look, your mother,  one of a kind. But she's moved on, and I'm okay with that. I'm also okay not rushing to replace her.” – Dwayne Cassius Pride
Reações:

Sobre o Autor

 
Top