Comentários
Ayla Aguiar Ayla Aguiar Author
Title: [REVIEW] ONCE UPON A TIME S05E02 – THE PRICE
Author: Ayla Aguiar
Rating 5 of 5 Des:
Bom, essa temporada veio pronta pra mostrar que não tá para brincadeira nesse segundo episódio. Vou repetir o que disse duas semanas ...


Bom, essa temporada veio pronta pra mostrar que não tá para brincadeira nesse segundo episódio. Vou repetir o que disse duas semanas depois que terminei: pela primeira vez em três anos, desde que eu acompanho a série, eu terminei um episodio embasbacada, totalmente sem palavras além do “Só sei sentir!”. Foram 43 minutos cheios de plot twist, de sentimentos, de sofrimento e de momentos fofos. Tudo ao mesmo tempo. Fiz um check in no chão, sabe.

Pois bem, como sempre depois dessas maldições com perda de memoria, vemos uma temporada com a parte A ou B focando nesse conjunto de flashback/Storybrook que nós amamos (ou não). E o S05E02 não seria diferente. Só que pra mim ficou um diferente bom: porque acho que não foi uma coisa só que fez a Emma surtar e abraçar as trevas de vez. Foi um conjunto de situações que foram ficando óbvias nesse episódio, e assim como ela falou no final da premiere que “Você foi me salvar das trevas, e você falhou” pra mãe.

Então, enquanto o episódio começa com os anões querendo sair da cidade por medo da Swan, mas com receio do que pode acontecer se eles saírem, já que após 1 maldição, se alguém saísse da cidade, a pessoa perdia a memória de quem era (maldição da Regina, mas poderia mantê-la se levasse algo pessoal/da pessoa que ama, com um feitiço pra proteger a memória, só não poderia tirar de jeito nenhum do corpo), e depois da 2, se saísse virava um macaco voador (maldição da Zelena). Não tá fácil né! ri horrores nessa cena. E quando os Charming e a Regina chegam pra tentar impedir a debandada, pra mostrar que não aconteceria nada, um dos anões saiu e...se transformou numa árvore!

E dai voltamos pra Camelot, onde a gente descobre que o Merlin ficou preso numa árvore há 10 anos, logo depois de fazer a profecia englobando a destruição das trevas, e por consequência o pessoal. Sabe, eu gostei desse toque de uma das vertentes das lendas do Merlin, onde ao final ele é preso a uma árvore por ter revelado seus maiores segredos a uma moça, por ter se apaixonado. Mas até o momento não sabemos o porquê da árvore na série. E é dai que começa as pequenas situações que levaram a Emma como ela está: a Regina assume o papel de Salvadora, por motivos de razões, desculpa Swan, e essa ultima não gosta de jeito nenhum, e é compreensível, já que ela sempre foi a salvadora desde a 1ª temporada.


Enquanto isso, nos dias atuais: vemos um Hook desesperado pra tentar resgatar a Emma, com o beijo do amor verdadeiro, pedindo a ajuda da Bela pra isso, e que por um acaso funcionou com a Emma? Não! E plau! E por que motivos não funcionou? Ela abraçou as trevas de vez, e o que só atiça ainda mais a curiosidade da pessoa aqui: o que, pelas calças de Merlin, aconteceu em Camelot pra culminar nisso?! Isso tá me deixando meio louca já!

Vemos também que o Arthur veio junto com a maldição e trouxe metade do reino com ele. A historia da Regina e de quem eles são foi repetida ~e ninguém sabe ainda kkkkkkk~.  E assim o episódio vai rolando, vamos descobrindo mais coisas sobre os dois lados, de 6 semanas até o momento.

Mas posso falar uma coisa? Nesse episodio eu fui Swan Queen tantas vezes, que olha. Essas duas estavam tão divinas e com tanta química, que foi impossível não pensar uma vez sequer pra elas se pegarem de vez, principalmente na cena da torre do Merlin. E que cena digna amigos, maravilhosa, e completamente engraçada (“Eu posso me acostumar com isso!”, e claramente Regina melhor pessoa²). Mas meu coração ainda é Outlaw Queen amores.



E outra, que eu preciso falar do crescimento da Regina como personagem até esse momento: como ela mudou tanto, e pra tão bem minha gente. De pessoa sem coração, que não tinha pena nenhuma de destruir uma vila inteira, atualmente se preocupa com todos os amigos (o quão lindo é essa palavra pra definir a relação dela com os Charmings e os mais próximos a eles), e com a segurança de cada um. Eu estou apenas amando essa fase dela! Que não mede esforço algum pra ajudar, inclusive vencer a própria insegurança por ter sido a Evil Queen um dia, e que, diga-se de passagem, foi piorada pela Emma na conversa do começo do episodio. E o Henry apoiando a mãe, dizendo que ela pode sim ser a heroína dessa vez, outra coisa maravilhosa!

Agora eu posso expressar todo o meu amor pra melhor sequência de cena do episodio, que foi a dela dizendo que não ia ao baile por pura insegurança, de novo, já que como poderiam acreditar que ela pode salvar um reino, se nem dançar ela consegue? abraça forte a Regina. E o David entra em ação, se tornando meu herói da vida, junto com a Mary, pra ensinar a Queen a dançar. Que cena mais fofa, eles dançando, ela trocando o vestido, pra algo menos evil, e a cena logo depois, a do baile em sim, e que por um acaso eu gorfei arco-íris demais! Vocês tem ideia da insanidade disso: eu já revi a cena milhares de vezes e não canso, de tão fofa. O que foi todo mundo feliz ali, rindo, sem preocupação por pelo menos algumas horas, e vamos para detalhe de QUE TEVE DANÇA OUTLAW QUEEN SIM, TEVE BEIJO SIM! E CS também, e se reclamar tem mais! E eu não to sabendo lidar, socorro! E ainda teve espaço pra uma mãe ciumenta e protetora. Quero mais disso, por favor!


Mas também foi dai que começou a desandar e foi tiro atrás de tiro, você não sabendo pra onde virava, porque em Storybrook temos o Robin sendo sequestrado por um bicho estranho pra caramba, e em Camelot ele morrendo ao tentar salvar a Regina de um stalker da época dela de Evil Queen. Ai que começa o “eu não to entendendo é nada!”. Tivemos mais um motivo pra Emma abraçar as trevas: a Regina implorando pra ela salvar o Robin, que a mesma não podia, pois a espada estava enfeitiçada pra ela, não pro Hood. E confusão, babado e gritaria, sei que a Emma salvou o Robin, mas se complicando em Storybrook, onde a Swan jogou verdades dolorosas na cara, que doeu em mim, e desespero batendo sem ela saber como resolver o problema do Robin, chegamos no final do episodio, que foi o tiro maior. O Robin já esta quase no Submundo, quando chega os Charmings, Zangado, Arthur e Regina pra impedir ele de ser morto (?), e fica aquela coisa da Fúria (sim, aquele bicho estranho é meio que o guarda do Submundo, o responsável por cobrar o preço desses tipos de magia que a Emma fez), mas né, heróis são heróis e Regina se meteu na frente, os outros seguiram, e deu tudo certo. Com isso, a Regina finalmente conseguindo se provar, soltemos fogos de artificio.

E o discurso final, do Rumple? Que maravilha aquilo ali. Nesse discurso dele, sobre o que sempre limitou os Senhores das Trevas enquanto eles existem: família, que você sempre quer proteger, os amigos, que te lembram quem você era, a magia que desfaz todos os seus feitos malignos, e o amor, que nunca desiste de você, onde ele resumiu a série inteira e a relação dos personagens, o outro toque divino! Arrepiei pouco sabe, aplaudi muito, e a Excalibur presa na pedra, a Emma querendo completá-la com a adaga, que por um acaso é o final da espada, to dizendo, esses dois primeiros episódios foi samba atrás de samba. Detalhe para isso: ela não consegue tirar a espada, cabendo ao Rumple dizer que ela precisa pagar alguma coisa em troca!


Em resumo: foi um puta episodio bom, como a tempos eu não vi nessa série, que me colou na cadeira por 43 minutos, com reações intensas, e com direito a momentos fofos, a momentos de querer meter a mão na cara dos personagens, ou querer simplesmente dar colo.


P.S 1: Teve momento mãe e filha, e foi lindo, foi digno, foi perfeito! *__*
P.S 2: Vestido da Emma tava lindo, ela tava linda. *-----* Regina também!
P.S 3: Quero o Roland pra mim, como faz? Criança maravilhosa gente! 
P.S 4: Pra quem ainda não sabe qual é a musica que toca no baile e no final, é a Only You, do Yazoo. :) 
Reações:

Sobre o Autor

 
Top