Comentários
Lara Séphora Lara Séphora Author
Title: [REVIEW] HOW TO GET AWAY WITH MURDER - S02E07: I WANT YOU TO DIE
Author: Lara Séphora
Rating 5 of 5 Des:
Pensei que ia parar em Paris, mas o único em que eu parei foi no chão. E fiquei por lá. Sem vodka cara nem lençóis confortais. Aquele ch...

Pensei que ia parar em Paris, mas o único em que eu parei foi no chão. E fiquei por lá. Sem vodka cara nem lençóis confortais. Aquele chão duro e frio, parecido com o coração da Bonnie.

Tivemos algo que eu nunca esperei presenciar: na dança das cadeiras, Annalise ficou de fora do espetáculo principal.  Entretanto o episódio não teve apenas dissabores, Wes continua a cativar significantemente meu desprezo, o Asher voltou a agir como o babaca de sempre e tivemos a volta triunfal da Eve - agora, um minuto de silêncio pra todo o meu psicológico que foi enterrado com esse último acontecimento.

Tudo bem ficar feliz pelo Nate ter matado a esposa, tudo bem ser simpática com o Wes, tudo bem comprometer a carreira pela Annalise (por mais que ela não mereça), tudo bem voltar pra sambar forte no meu coração e fazer planos de uma firma em Paris com finais de semana na cama que jamais serão cumpridos... Sim Eve, querida, tudo bem voltar pra me iludir, pra me fazer de trouxa, está tudo bem, de verdade. Valeu apena cada segundo dessa doce ilusão.

O episódio teve um protagonismo bastante incomum da Laurel. Ela é uma das personagens mais autônomas, nunca deixou transparecer o terror psicológico que sentia em meio aos infelizes acontecimentos, ela sempre foi a calma na tempestade. Foi um plot confuso que ouso chamar de norteador, a Laurel não é apenas a garota do Frank, ela não foi a fácil massa de manobra no meio dos infelizes eventos da morte do Sam (ela não contesto porque não precisava, ela sabia que seguindo a correnteza daria tudo certo), ela não é apenas um rostinho bonito - e ao contrário de Michaela, sabe o que pode fazer com o seu corpo, sabe que é poderosa e desejável. A Laurel se sentir menosprezada pelas coisas que a Annalise disse fazem a personagem ter um novo senso, mostra que ela está tão apavorada como os demais, porém sabe ser madura o suficiente pra lidar bem com isso, para seguir em frente com sua vida. Sinceramente, toda essa frieza a torna ainda mais perfeita para o Frank, do jeito que lida bem com essas situações de tensão ela seria a melhor pessoa para ter um namorado homicida.

A mesma calma que vimos na Laurel não pode ser estendida para os demais núcleos. Na verdade, foi esse o contrapeso que a trama propôs. De um lado tempos uma personagem tentando se equilibrar entre o caos e o temor, do outro, temos uma que está se afogando em mágoas. Bonnie atingiu o ponto de pressão e explodiu, resolveu lavar a roupa suja que começou a acumular desde a primeira temporada. E é impossível não perceber que os contornos do tiroteio na mansão Hapstall estão se delimitando. Estou me consumindo em teorias: a Sinclair foi morta pelo Frank, que incriminou a Catherine (ela não sabia, mas o irmão sim) e vão usar isso como legítima defesa, inventar a história de uma promotora desesperada por atenção da mídia que perseguia qualquer caso que tivesse notoriedade e ficou desesperada quando viu sua única chance de ascensão desaparecer; a Bonnie tirou proveito da situação e resolveu se vingar da Annalise, atirando sem que ninguém soubesse; a Laurel descobre o que o Frank estava tramando e chama o Wes para ajudá-la a pará-lo, infelizmente eles chegam tarde demais... Bom, minha teoria está cheia de furos, em que lugar o Connor e a Michaela entram nessa história? Por que a Bonnie ia levar o Asher pra fazer isso? A Annalise sabia do plano ou não? A questão aqui é, basicamente, comentar com vocês como eu estou enlouquecendo cheia de teorias e morrendo de curiosidade pra saber o que diabos aconteceu.


Desde o começo do caso dos irmãos nós já sabíamos que ia dar merda acontecer algo errado. Em nenhum flashforward encontramos o Ollie, em contrapartida tínhamos um Connor desesperado. O final do episódio apertou meu coração, novamente aquela ironia amarga. Tão perto e tão longe. Tão certos e ao mesmo tempo tão errados. Se algo acontecer com o Ollie haverá choro e ranger de dentes. Virou um dos casais mais queridos e amados do público, foi um casal que se desenvolveu com a série, que permitiu o crescimento dos dois personagens. O Oliver passou a ser a terra firme do Connor, sua razão, seu porto seguro, passaram a depender emocionalmente do outro e acabaram por aceitar as suas diferenças gritantes. A preocupação velada de ciúmes do Connor foi uma das cenas mais lindas do último episódio, o que só desperta minha profunda mágoa se algo acontecer com esse ship.

E por falar em coisas lindas vamos voltar a falar da Eve. Eu nunca vou me cansar de falar dela. Como pode ser tão perfeita? O diploma é em direito, mas a pós-graduação é em divagem e tramoia. Não é só Annalise que consegue burlar as leis, não é só Annalise que não tem um pingo de escrúpulos - obrigada mundo por isso!

Preciso ser bem sincera, consegui ficar com ódio da Annalise, em nenhum momento ela estava preocupada com a Eve – e a Eve sabia – é tanto que a Annalise esperou a cobrança, esperou o rechaço, esperou a repressão, esperou toda a revolta de alguém que sabia que estava sendo usado, mas a Eve não o fez. Nesse episódio percebi que não amo esse ship, eu amo a Eve, a amo e amo forte tudo o que ela sente pela Annalise, admiro muito como ela consegue se entregar a esse sentimento e não esperar nada em troca. Admiro como apesar de saber tudo o que a Annalise fez, ela ainda consegue enxergar o lado humano daquela mulher de ferro. Admiro como ela consegue se controlar e deixar passar levemente seus sentimentos, algo tão sutil para os de fora e gritante para intimidade entre as duas. Sim, ela estava com ciúmes quando soube que os dois tinham se encontrado depois dela ter livrado o Nate da cadeia. Não, ela não falaria com ele sobre a Annalise, ela não conseguiria admitir que elas jamais passariam de um caso. A Eve, apesar de todos os infortúnios de estar apaixonada por alguém que nunca será dela, sabe preservar uma amizade, ela sabe valorizar a companhia da Annalise e chega a ser poético sua entrega a esses instantes que passam juntas.


Existe uma cumplicidade entre as duas que não sei identificar em palavras, porém a série se mostra novamente brilhante quando em meio a tanta ternura, a um momento completamente a parte da confusão dos homicídios, nos entrega um pista da verdadeira relação entre o Wes e a Annalise , “It’s him”, ela disse a uma Eve atônica que se torna gradativamente sorridente, realizada, feliz pela amiga. Sempre tive que lidar com uma vertente do fandom que shippava enlouquecidamente a Annalise e o Wes, nessa geração Lannisters a gente espera de tudo, porém, gosto de acreditar que o Wes não será o futuro peguete da Annalise, e que realmente existe um laço familiar para ser explorado - ok, a trama cairá em um desses velhos clichês, mas eles não seriam tão recorrentes se não fossem ganchos tão bons.

Por fim, o caso da semana deve ficar como reflexão pessoal. Você que tanto stalkeia, você que tanto sofre pelo crush, você que faz loucuras pelo crush, ele vale apena? Volto essa pergunta pra Eve, querida, a Annalise realmente vale apena? Tem tanta gente no mundo dando bola pra você... Ok, parei por aqui.

Estamos nos aproximando em passos violentamente rápidos das respostas. Agora, fiquem com a PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO:
Reações:

Sobre o Autor

 
Top