Comentários
Lilian Zin Lilian Zin Author
Title: [REVIEW] NCIS: NEW ORLEANS - S02E07: BROKEN HEARTED E S02E08: CONFLUENCE
Author: Lilian Zin
Rating 5 of 5 Des:
Novamente venho com minhas desculpas. Mas dessa vez não tinha condições – físicas e principalmente psicológicas – de escrever algo que ...


Novamente venho com minhas desculpas. Mas dessa vez não tinha condições – físicas e principalmente psicológicas – de escrever algo que fosse coerente com o que vi. Optei pela review dupla pois seria o melhor, tendo em vista que tenho pouco a falar sobre um episódio e um pouco mais sobre o outro.


“You're a good man, Triple P. You did everything you could.” – Dwayne Cassius Pride

Em um episódio com múltiplas vítimas, Broken Hearted trouxe o drama de Max Pinzon, um garoto na espera de um transplante de coração. Porém o tipo sanguíneo de Max é muito raro, o que torna as chances de encontrar um doador compatível praticamente nulas. Não sei se foi porque estava em uma semana ruim, ou se foi do episódio mesmo, mas não me chamou muito a atenção. Não fiquei com aquela vontade de saber logo quem era o assassino. Senti que demorou muito a passar. Pode ser que o ator interpretando Max não tenha me cativado, ou toda cena em que a mãe da Brody aparecia, mas, pela primeira vez, achei um episódio de NOLA fraco.

Entendam: acho muito interessante trazerem membros das famílias dos agentes para a série. Nunca tive nada contra os filhos da Loretta, ou o pai e a filha de King, ou até mesmo Cade, o irmão problemático de Lasalle. Mas a mãe da Brody se superou. Enquanto assistia ao episódio, cheguei a me lembrar diversas vezes da relação de mãe e filha entre Elizabeth e sua mãe em ER: aquilo de querer a mãe próxima, mas a mãe não está tão interessada nisso. Achei que ficou um pouco forçada a relação entre as duas.

É claro que tiveram partes muito boas, como por exemplo quando Patton e Max começaram a se entender, e a cena final, não posso me esquecer. Mas fiquei na expectativa de um episódio melhor em seguida. E fui atendida.

“You can't protect a man who won't allow himself to be protected.” – Loretta Wade

Já em Confluence, quando a testemunha importante de um caso é assassinada enquanto fala com King no celular, a equipe procura ligações entre o ocorrido e Hugo Garza, arm dealer e réu do caso. É claro que toda a suspeita cai sobre Garza, sendo que sempre que um grande julgamento está sendo feito, provas aparecem e testemunhas acabam desistindo ou sumindo antes de dar seu testemunho. Com a promessa de que o homem seria pego, King foi atrás da outra testemunha, Marc Maslow, que de início não queria testemunhar. Porém depois de algumas condições, entre elas a de que King deveria pedir desculpas, ele aceitou ir contra Garza.

Sobre Garza ter escapado, mesmo que por pouco tempo, só tenho uma coisa a dizer: Como transportar um prisioneiro 101 – um agente sempre fica com o acusado. Já vi a mesma coisa acontecer em outras séries (Rookie Blue, por exemplo) e sempre me dá raiva. O que me deu mais raiva foi a facilidade que King pegou Zed Hastings, aquele que tinha colocado um preço na cabeça do agente. Fiquei com raiva porque achei que a história da milícia iria acabar por ali. Ainda bem que isso não deve acontecer por enquanto.

Além disso, tivemos Sonja sendo confrontada pelo chefe, por estar passando bastante tempo indo até onde sua amiga, Marion, está. Fiquei contente de ver que King acha que a probie deve sim fazer o que seu coração manda, e acabou deixando que ela participasse da operação para derrubar o fornecimento de drogas naquele lugar. Gostei também de ver Lasalle e Brody trabalhando juntos. Mas, gostei ainda mais do Chris LaBee, carinhoso nome dado à finada abelha por Sebastian. Fiquei tentando imaginar como seria o nome da abelha Brody. Talvez Merri BroBee.

“How the hell do I know? You were willing to get shot at all over Texas based a promise.

I'd like to give this a try.” – Sonja Percy
Reações:

Sobre o Autor

 
Top