Comentários
Lilian Zin Lilian Zin Author
Title: [REVIEW] NCIS: NEW ORLEANS - S02E09: DARKEST HOUR
Author: Lilian Zin
Rating 5 of 5 Des:
  “Thing is-- family is what you make of it. Sometimes it's simple. Most times it's not.” – Dwayne Cassius Pride Ah, NOLA . S...
 “Thing is-- family is what you make of it. Sometimes it's simple. Most times it's not.” – Dwayne Cassius Pride

Ah, NOLA. Sempre me fazendo feliz depois de uma semana ruim. Achei que o episódio seria bem previsível, seguindo padrões já conhecidos, mas logo vi que estava parcialmente errada. O motivo desse “parcial” explico daqui a pouco.

Quando vi a briga entre o Petty Officer Nick Benton e outra pessoa, sabia que ia acabar em assassinato. E quando vi que eles estavam perto de um gerador de energia, ia acabar pior ainda. Não sei se foi toda a história de Frankie ter procurado King para ajudá-la a encontrar o noivo, ou se foi outra coisa, mas gostei bastante do episódio, como um todo.

É muito bom quando conhecidos dos agentes estão envolvidos na situação. Parece que dá um gás a mais, não só no episódio, mas também no personagem, que cria uma vontade imensa de encontrar o assassino e dar a conclusão que a família da vítima precisa. Além disso, como não é novidade para ninguém, King transforma alguns casos em missões, para que sejam concluídos cada vez mais rápido, tendo em vista que causaria menos dor aos envolvidos, incluindo ele mesmo.


Claro, o que mais chamou a atenção no episódio foi o apagão ocorrido. Por um lado, complica imensamente o trabalho de toda a equipe, já que basicamente toda a investigação é baseada no uso de computadores para identificar digitais, DNA, ligações telefônicas, transações bancárias... Me lembrou bastante de Power Down (NCIS – S07E08), porém sem todo o jeito cômico do episódio. E é aqui que o parcial se encaixa. Achei que iria acontecer acidentalmente durante a briga. E estava com essa mentalidade até ver que foi tudo parte de um plano para roubar móveis extremamente caros, especialmente da família Fontaine.

Essa mesma família apareceu na investigação que Benton estava fazendo por conta própria, para dar à noiva tudo o que ela nunca teve. Por um lado, adorei a iniciativa de Nick, procurando a família paterna de Frankie, para que ela não se sentisse excluída em seu próprio casamento. Por outro, estava bem óbvio que coisas ruins sucederiam a descoberta. Herança é um dos maiores problemas que qualquer herdeiro pode arrumar. Acreditem, já vi muito disso. Ainda mais quando o falecido tem um filho no casamento e outro fora, causando a raiva extrema no primeiro, que quer a herança só para si.  Mas fiquei feliz com o rumo que a história tomou.


Como sempre, o humor da série ficou por conta de Chris e Sonja, competindo para ver quem ganharia os $100 de Pride. Achei que Lasalle ia dar um jeito à lá Macgyver e fazer o bendito gerador funcionar, mas fiquei esperando em vão. Quanto ao que Sonja fez: imaginei algo do tipo vindo dela. Afinal, King não especificou como queria o gerador funcionando. E toda a interação dela com o Mr. It's-A-Shmancy-Warehouse foi excelente. Ainda não consigo entender como existem pessoas que não conseguem suportar Percy. Outro personagem que me divertiu, como sempre, durante suas poucas aparições foi Sebastian. Fora isso, não só toda a cidade de New Orleans estava apagada, assim como dona Brody, Loretta e Triple P. Ainda espero uma mudança nesse quesito.

P.S.: E meu amor pelo Pride só aumenta.
P.S.2: Lasalle with big guns <3

“Three years ago. At the Navy Birthday Ball. I brought Frankie and Laurel as my plus-two. Soon as Nick asked her to dance, she just lit up. Been together ever since. Best thing that ever happened to her.” – Dwayne Cassius Pride
Reações:

Sobre o Autor

 
Top