Comentários
Lilian Zin Lilian Zin Author
Title: [REVIEW] NCIS - S13E10: BLOOD BROTHERS
Author: Lilian Zin
Rating 5 of 5 Des:
“Don't let a bad situation define who you are.” – Eleanor Bishop Uma das coisas que mais sou grata é pela existência de NCIS . Ap...
“Don't let a bad situation define who you are.” – Eleanor Bishop

Uma das coisas que mais sou grata é pela existência de NCIS. Apesar de a série já ter 13 anos, a conheci apenas há 3 anos. Nesse tempo, não consigo passar um dia sem ver algo relacionado a NCIS: seja um episódio, uma música que tocou na série, uma imagem, algum fanvid, notícias... Enfim, qualquer coisa. Episódios com temas de comemorações sempre tendem a ser bons. Com Blood Brothers não foi diferente.

Quando Vance explicou para Gibbs a situação da família Quinn, pensei que alguém poderia ter colocado um alvo nas costas da família. Porém não seria algo possível, já que o Tenente Alex Quinn estava enfrentando um dos piores estágios de sua leucemia. Os dois irmãos mais velhos foram mortos em combate. E o mais novo, estava meio enrolado, com uma acusação de lavagem de dinheiro nas costas e sendo informante do FBI e Serviço Secreto, o que, caso viesse á tona, poderia trazer consequências irreversíveis.

A questão é: Sean Quinn deveria ser encontrado, já que ele era a única chance de que seu irmão pudesse conseguir um transplante de medula bem sucedido. Quer dizer, a única chance disponível, já que o outro doador compatível se recusava a realizar o procedimento, a não ser que conseguisse um acordo para ficar livre de sua prisão perpétua por ter duplo homicídio. Porém, quando o sangue de Sean é finalmente testado, descobre-se a incompatibilidade entre irmãos, o que reforça ainda mais a necessidade de Richard Doogan aceitar a doação.


Fiquei muito contente de ver que Sean estava tentando fazer algo certo, ao contrário do que todos pensavam que ele estava fazendo. Ainda bem que TC Fornell apareceu para esclarecer a história toda e conseguir prender os responsáveis pela lavagem de dinheiro. Devo admitir que me sinto muito bem vendo o Fornell, principalmente por seu “cabelo” ter crescido novamente. Por mim, as aparições do personagem se tornariam cada vez mais constantes, sendo que ele e Gibbs se sentem bem trabalhando juntos, além dos momentos engraçados proporcionados pelos dois. O convite de Tobias para que Tony fosse passar o dia de Ação de Graças com ele e Emily foi surpreendente. E lindo. Não posso esquecer de mencionar sua “raiva” por McGee permanecer por um longo tempo, mesmo que Tim não tenha dormido com Diane.

Gosto muito quando McNozzo tomam conta do caso. É muito bom ver a dinâmica entre Weatherly e Murray continuar incrível ao longo dos anos. Quando olho para os dois, vejo praticamente dois irmãos juntos, não colegas de trabalho. Finalmente Jimmy deu as caras no episódio, trazendo suas piadas péssimas e seu turducken, que no caso é um peru recheado com uma galinha recheada com um pato. Já tinha ouvido falar em algo parecido, mas nunca visto. Abby estava muito fofa com aquele vestido preto e fazendo as abóboras com o rosto de cada membro da equipe. Ducky e Vance apareceram pouco, porém só de ouvir as vozes deles já fico muito feliz.

“Rule number 28 – When you need help, ask.”

Um dos pontos altos do episódio foi Bishop em Oklahoma. Sempre achei o interior dos Estados Unidos encantador. As belas paisagens, o modo como as pessoas se preocupam com as outras, me deixa com uma vontade ainda maior de conhecer. Depois da decisão de voltar para casa no episódio da semana passada, Ellie tem focado seus pensamentos em cortar lenha e realizar atividades do interior, sem mencionar a dor que está sentindo. Vejo muito potencial na personagem, principalmente em como está lindando com a situação atual. Quando o Very Special Agent Anthony DiNozzo ligou para ela, pedindo ajuda no caso, fiquei aliviada. Achei que Bish ficaria apenas sofrendo em silêncio, passando tempo com seu irmão.

Ela teve papel fundamental na decisão de Doogan doar a medula para Quinn. É importante aceitar que mudanças, por mais dolorosas que sejam, às vezes são necessárias. E nem sempre temos a oportunidade de ter uma segunda chance. Começar tudo outra vez, sem cometer os mesmos erros, fazendo tudo diferente. Mesmo que Doogan não pudesse sair da prisão, teria a consciência de que ajudou alguém a ter uma nova vida. Outra coisa que me deixou emocionada foi a chegada de Gibbs, que não conseguia conter seu sorriso, em Oklahoma, além da conversa entre ele e as Bishop. Sempre vi Gibbs como o pai de todos os agentes. Sempre olhando por eles, cuidando e se preocupando, mesmo que de formas um pouco não convencionais (DiNozzo ganhando seus headslaps que o diga). É por isso que amo NCIS. No fim, você acaba se sentindo parte daquela família.

“Everyone reaches a point, Bishop, even me. You just got to take the first step.” – Leroy Jethro Gibbs
Reações:

Sobre o Autor

 
Top