Comentários
Rafa Rodrigo Rafa Rodrigo Author
Title: [REVIEW] NASHVILLE - S04E10: WE'VE GOT NOTHING BUT LOVE TO PROVE
Author: Rafa Rodrigo
Rating 5 of 5 Des:
Último episódio do ano. E aí, qual o saldo de Nash sem Juliett Barnes? As coisas não foram fáceis para a série nos seus últimos episó...
Último episódio do ano. E aí, qual o saldo de Nash sem Juliett Barnes?

As coisas não foram fáceis para a série nos seus últimos episódios, plots fracos e desinteressantes nos fizeram até sentir falta das lagrimas eternas de Layla e dos confusos picos de afeto despertados de Scarlett e Gunar, o que fez deste o Summer Finale mais fraco da série até aqui.

Dentre as partes interessantes está o fim do plot Luke’s Brand, a marca já era, o cara está mais pobre e o primeiro pensamento ao ver esta conclusão foi: Como alguém perde tanto e não percebe? Mas na boa e velha linha “nada está ruim que não pode piorar”, o rapaz perde a namoradinha e recebe um tratamento icebergue mode do filho. Um drama teen que prestou nesta temporada para mostrar que nem tudo envolvendo adolescentes faz com que a gente revire os olhos.
Já que estou falando de revirar os olhos, vamos falar de Markus. Sério mesmo que ele foi embora? Foi tudo tão repentino e rápido que parece que perdi algo no meio. Primeiro o cara está todo nervoso e não quer subir ao palco, quando decide ir depois de um belo discurso da Ray, o cara arrasa e na comemoração faz caquinha, o que leva ao toco e daí tchau Nashville. Tipo, oi? Todo o investimento e trabalho de paciência para acabar assim. Não entendi, vamos ver o que 2016 nos trará quanto a isso.

Comecei falando de Juliett que está sumida, mas não esquecida, Emily sempre fofa fazendo a ponte entre a princesinha e sua família. Tirando o drama do “tenho medo de me machucar novamente, afinal a Juliett sempre faz besteira e volta pedindo perdão”, o que na verdade não ´e totalmente mentira, tudo neste plot foi interessante, o reconhecimento de que Juju está doente, o comparecimento de sua psiquiatra, o bate papo com a Emily após o seu retorno a casa. Bem, está pronto o terreno certo? Já dá para essa mulher voltar, pelo amor!

No plot envolvendo o Will e o senhor Wade Cole, nada surpreendente, o homofóbico a favor da família tradicional é na verdade um homossexual enrustido, que se escondeu a vida toda e construiu a “vida perfeita” para manter o status de estrela country. Que bom que com isso podemos perceber o amadurecimento do Will quanto a este assunto. A questão em aberto é: O que impedia o relacionamento com Kevin era que o rapaz não queria apenas ser um escritor e sim cantar suas próprias canções, daí ele vai até a casa do cara para escrever com ele novas canções? Hum... estranho.
E em meio as canções temos outros momentos significativos, a abertura do The Beverly, o termino de Scarlett e Caleb, personagem nova na área que vai escrever com a Maddie (que pode ficar ainda mais chata) e enfim o pedido de casamento que a 4 anos estamos esperando.

Agora é aguardar 16 de março (hiatos dos infernos) para enfim ver o casamento de Deacon e Rayna. Para matar a saudade, só mesmo conferindo o On The Record desta temporada. 


Reações:

Sobre o Autor

 
Top