Comentários
João Carlos João Carlos Author
Title: [REVIEW] LAW & ORDER: SVU: S17E14E15 - NATIONWIDE MANHUNT / COLLATERAL DAMAGES
Author: João Carlos
Rating 5 of 5 Des:
Em relação ao crossover em si da para notar que os roteiristas sempre trabalham em cima dos possíveis erros que os crossovers passados...

Em relação ao crossover em si da para notar que os roteiristas sempre trabalham em cima dos possíveis erros que os crossovers passados tiveram e consertam no atual.
 
Este episódio foi definitivamente uma continuação da história do Greg Yates e da Nadia que mais afetou o pessoal de Chicago PD, mas que por consequência dos eventos que aconteceram na season premiere de SVU reforçou esse crossover, já que Yates tinha um relacionamento com o Dr. Carl Rudnick e ambas as séries não poderiam desperdiçar essa oportunidade para fazer um bom episódio.

Alguns elementos se mantiveram o mesmo em comparação ao crossover passado, como por exemplo Yates, que só se comunica com a detetive Rollins e a mesma entende o porquê dele fazer isso, enquanto o pessoal desconfia que Yates está enrolando para conseguir o que quer. Porém o episódio continua sendo bem trabalhado e traz novidades à trama.

Claro que como era um crossover este episódio serviu só como uma abertura para a trama toda e a conclusão seria só na parte final com Yates fugindo para Chicago para perturbar ainda mais a vida da Erin Lindsay e do pessoal. O único que teve uma conclusão neste episódio foi o Dr. Rudnick que, mesmo após a fuga, foi capturado pela polícia e voltará para a prisão.


Uma referência a outros episódios foi a presença de Bronwyn Wilkins que foi a mulher que ajudou William Lewis a fugir da cadeia e a mesma ajudou, mais uma vez, tanto Yates como Rudnick. A indignação do pessoal principalmente a Benson ao saber da Bronwyn  foi a melhor.

Agora já no episódio Collateral Damages a série fez, de novo, um ótimo trabalho desde o roteiro, à direção e também na atuação. Foi um episódio sensacional e tocante em certos aspectos. Não é incomum na série termos as perspectivas do que acontece com a vida das vítimas após o ataque que a unidade está investigando e neste episódio vimos o que acontece com os familiares do acusador.


A promotora Pippa Cox já havia aparecido na série quando o caso trata mais de ataques contra crianças, como também Hank Abraham, que sempre aparece dando ordens de como deve ser conduzido algumas investigações. Após saber o que seu marido, Hank, faz, todo o mundo de Pippa desaba. Primeiro ela acha que era um marcação contra Hank, algum jogo político para desmoralizá-lo, mas, ao perceber o que realmente estava acontecendo, ela pede consolo à Olivia. E esse é o trunfo do episódio, ao menos para mim.

Chegou a hora do Mike ter um destaque. Com uma manobra do Chief Dodds em colocar seu filho Mike com o sargento da unidade, agora o mesmo tenta fazer a mesma coisa colocando Mike em um outro cargo visando seu crescimento profissional. Porém Mike gosta de estar e fazer parte da unidade de vitimas especiais, mas também não quer decepcionar o pai. E esse dilema é que seguirá o personagem até ele tomar uma decisão sobre isso.


PS: Se eu já desconfiava que Benson e Tucker tinha uma relação, após esse último episódio tenho mais certeza ainda.
                                           
                                               PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO:

Reações:

Sobre o Autor

 
Top