Comentários
Michelle Louise Michelle Louise Author
Title: [LIVROS] RESENHA - CYBERSTORM
Author: Michelle Louise
Rating 5 of 5 Des:
Em meio a uma forte tensão política internacional, os Estados Unidos sofrem um grande ataque cibernético: todos os meios de comunicação ...



Em meio a uma forte tensão política internacional, os Estados Unidos sofrem um grande ataque cibernético: todos os meios de comunicação começam a falhar. Ao mesmo tempo, uma forte tempestade de neve assola a cidade de Nova York, e uma possível epidemia de gripe aviária parece se aproximar. Presos na cidade e quase sem contato com o resto do mundo, os moradores de repente se veem imersos em um cenário verdadeiramente apocalíptico. Enquanto rumores e especulações correm sobre a origem desses ataques, Mike Mitchell se concentra em questões que para ele parecem mais urgentes. A crise o atingiu em um momento crítico de sua vida, complicando seus já confusos problemas pessoais e financeiros. Agora, sua prioridade é manter a família unida e viva no crescente caos que se que se forma a sua volta.


Lançado em 2015, Cyberstorm de Matthew Mather, não poderia ser mais atual e realista. Abordando de forma intrigante a relação do homem com a tecnologia, o autor nos permite uma reflexão desde o início da narrativa: Como seria a nossa vida sem a internet? Num primeiro momento, antes mesmo de mergulharmos na trama, pensamos nas infinitas relações e informações alcançadas nos últimos anos, e como não viveríamos sem o celular com o mundo ao alcance de nossas mãos. Mas a tecnologia tem uma influência muito mais vasta em nosso cotidiano, pois vivemos hoje num mundo gerido quase que integralmente pelos diversos instrumentos tecnológicos, que tanto transformaram a vida do ser humano. Mas até que ponto essa dependência extrema é segura e saudável? Essa é a reflexão que o livro nos proporciona. 

A trama tem como cenário os Estados Unidos, que próximo às comemorações de natal, vive uma tensão política internacional, devido a um possível conflito com a China, e é acometido por um ataque cibernético de origem desconhecida, tudo isso enfrentando uma das piores nevascas da história de Nova York, cidade onde se desenvolve a história. A narrativa em primeira pessoa, através do protagonista Mike Mitchell, é um recurso fantástico utilizado pelo autor, pois acompanhamos a trajetória de um cidadão comum, que em meio a todo esse caos, tem como principais preocupações, sua sobrevivência e de seus familiares e amigos, além da resolução de seus problemas conjugais, representando o drama da população de uma maneira geral. É importante enfatizar também, que um dos aspectos mais angustiantes acerca de todos os problemas que acontecem, é a falta de informação e de respostas, nos sentimos ansiosos juntamente com os personagens, sem saber ao certo os motivos do que está acontecendo, e o que está sendo feito para resolver a situação. 

Os problemas acerca da falta de internet que se iniciam na celebração de Ação de Graças, são sentidos de maneira extrema, sobretudo quando os demais meios de comunicação começam a falhar, assim como a distribuição de água, energia elétrica, e alimentos, tudo isso unido ao medo instaurado devido aos boatos de um surto de cólera e de gripe aviária. Mike, juntamente com sua esposa, Lauren, seu pequeno filho Luke, e seus amigos e vizinhos, Chuck, Susie e Tony (personagens sensacionais) seguem as orientações das autoridades através de programas de rádio, permanecendo, num primeiro momento, no prédio onde moram, mas vivendo todos juntos, lutando pelos itens básicos dos quais necessitam: alimento, água potável e aquecimento, enquanto aguardam alguma resolução, ou mesmo notícias, por parte do governo. 

A busca pela sobrevivência acaba trazendo a tona o lado obscuro do homem, pois os valores e a moral ficam em segundo plano quando só o que você é capaz de pensar é na fome, no frio, e em como o amanhã é incerto. As nossas necessidades acabam se sobrepondo as necessidades dos outros, e esse é um aspecto abordado de maneira incrível por Mathew, mostrando que existem os que conseguem manter seus princípios diante de momentos extremos, mas também aqueles que visam até mesmo tirar algum proveito da situação complexa e da falta de presença das autoridades. Um aspecto que me chamou a atenção na obra é a construção das relações dos personagens e como seus sentimentos foram fundamentais para que se mantivessem em equilíbrio. Com uma narrativa acelerada e de certa forma angustiante, ao longo de toda a leitura ficamos pensando: Nossa,  isso realimente poderia acontecer! E a íntima relação do ser humano com a tecnologia, passa a ser vista através de outro ângulo. 

 Nos questionamos  o tempo todo sobre como essa tecnologia está dominando a vida das pessoas, e são inegáveis os inúmeros benefícios que passamos a possuir, mas não podemos deixar de nos perguntar o quanto a dependência extrema pode também trazer inúmeros problemas num mundo onde tudo é dependente dos computadores, tudo esta interligado. Mas, diante de situações difíceis, sem informações e sem respostas, acabamos percebendo que ainda que nos consideremos superiores e evoluídos, nossas fraquezas e necessidades permanecem as mesmas, e alguns de nossos valores básicos, que nos esquecemos em nossos dias corridos, são tão fundamentais. 

Confesso que fiquei um pouco decepcionada com o final, pois cada capítulo se desenvolve de uma maneira muito ágil, dando margem para uma série de possibilidades acerca do que poderia estar acontecendo enquanto a população tentava sobreviver, creio que acabei criando em minha mente muitas expectativas e ideias, que acabaram se mostrando frustradas, mas nada que comprometa a qualidade e o valor da obra, que é excepcional.

Cyberstorm
Livro cedido de parceria pela Editora
Título: CyberStorm
Autor: Matthew Mather
Editora: Aleph
Páginas: 363
Ano: 2015
Onde Comprar: Site Editora Aleph 

Reações:

Sobre o Autor

 
Top